Home » Sites e Especiais » Soja Brasil » USDA: plantio da soja está ainda mais atrasado do que o esperado nos EUA

LEVANTAMENTO

USDA: plantio da soja está ainda mais atrasado do que o esperado nos EUA

Os operadores de mercado esperavam que o plantio da oleaginosa estivesse em pelo menos 79%. Preços do grão fecharam o dia na Bolsa de Chicago com forte alta

17 de junho de 2019 às 17h49
Por Daniel Popov, com informações da Agência Safras
plantio, EUA

Foto: USDA/ Divulgação

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a evolução de plantio das lavouras de soja. Até 16 de junho, a área plantada estava apontada em 77%. Em igual período do ano passado, a semeadura era de 96%. A média é de 93%. Na semana anterior, o percentual era de 60%. O mercado apostava em percentual de 79%. A chegada das chuvas é a razão para tamanho atraso.

Segundo a consultoria Safras & Mercado, os agentes avaliam a possibilidade dos produtores não encerrarem a semeadura e ainda de um possível comprometimento na produtividade.

Com isso, os contratos da soja em grão com entrega em julho fecharam com alta de 16,00 centavos de dólar por libra-peso ou 1,78%, a US$ 9,12 por bushel. A posição agosto teve cotação de US$ 9,19 por bushel, com ganho de 16,25 centavos de dólar por libra-peso ou 1,79%.

Veja mais notícias sobre soja

2 comentários

Deixe um Comentário





Home » Sites e Especiais » Soja Brasil » USDA: plantio da soja está ainda mais atrasado do que o esperado nos EUA

LEVANTAMENTO

USDA: plantio da soja está ainda mais atrasado do que o esperado nos EUA

Os operadores de mercado esperavam que o plantio da oleaginosa estivesse em pelo menos 79%. Preços do grão fecharam o dia na Bolsa de Chicago com forte alta

17 de junho de 2019 às 17h49
Por Daniel Popov, com informações da Agência Safras
plantio, EUA

Foto: USDA/ Divulgação

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a evolução de plantio das lavouras de soja. Até 16 de junho, a área plantada estava apontada em 77%. Em igual período do ano passado, a semeadura era de 96%. A média é de 93%. Na semana anterior, o percentual era de 60%. O mercado apostava em percentual de 79%. A chegada das chuvas é a razão para tamanho atraso.

Segundo a consultoria Safras & Mercado, os agentes avaliam a possibilidade dos produtores não encerrarem a semeadura e ainda de um possível comprometimento na produtividade.

Com isso, os contratos da soja em grão com entrega em julho fecharam com alta de 16,00 centavos de dólar por libra-peso ou 1,78%, a US$ 9,12 por bushel. A posição agosto teve cotação de US$ 9,19 por bushel, com ganho de 16,25 centavos de dólar por libra-peso ou 1,79%.

Veja mais notícias sobre soja

2 comentários

Deixe um Comentário





Mais Notícias