Início » Notícias da Agropecuária » Sites e Especiais » Soja Brasil » Produtor vê soja morrer com estiagem depois de perder trigo para geada

SITUAÇÃO DESESPERADORA

Produtor vê soja morrer com estiagem depois de perder trigo para geada

A Aprosoja do Paraná recomenda que os agricultores esperem a chegada das chuvas antes de optarem pelo replantio; entenda a situação

15 de outubro de 2019 às 19h56
Por Carolina Lorencetti, de Cascavel (PR)

As sementes de soja estão morrendo por falta de chuva. Desde que o produtor Nelson Del Galo plantou, três semanas atrás, choveu apenas três milímetros em Cascavel (PR), oeste do Paraná. Ele estima que 30 hectares estejam comprometidos. Ao lado, os 25 hectares de milho primeira safra não crescem. Para piorar, nem a safra de inverno deu lucro, porque o trigo foi atingido pela geada.

“Você sabe que vai gastar muito para ter um bom retorno, mas, às vezes, não dá esse retorno. Não tem o que fazer, o jeito é se conformar e esperar pelo clima para voltar a tentar plantar”, lamenta o agricultor.

O presidente do Sindicato Rural de Cascavel, Paulo Orso, conta que o caso de Del Galo não é exceção. Segundo ele, 60,7% da área já deveria ter sido plantada, mas apenas 35% foi cultivada. “Desse percentual, tem muita gente que está perdendo, em média, 20%. Temos produtores que já perderam praticamente todo o plantio”, diz.

Semente de soja morta pela estiagem

Foto: Carolina Lorencetti/Canal Rural

Na propriedade de Eloize Macoris Colombo, o plantio até começou, mas precisou ser interrompido. “A estiagem já está afetando a produtividade da safra de soja. Isso, mais para frente, vai acarretar também em prejuízo no plantio do milho safrinha [segunda safra], principalmente porque a janela da soja já foi atrasada”, diz a produtora.

Em Toledo, na mesma região, a seca também está provocando estragos. “Muitas áreas não foram plantadas ainda, e as que foram terão problemas e precisarão de replantio”, afirma o presidente do sindicato rural local, Nelson Paludo.

A orientação da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado do Paraná (Aprosoja-PR) é que os agricultores aguardem as chuvas para depois avaliar a necessidade de replantio. “Ele não pode fazer o replantio sem a umidade adequada, porque pode perder novamente”, afirma o presidente da entidade, Márcio Bonesi.

4 comentários

  1. ANÍSIO RABELO em 15 de outubro de 2019 às 21:24

    Não dá para entender. Apesar de todas as circunstâncias adversas, que os agricultores atravessam, não se vislumbra reações positivas nas cotações das comodities.
    Engraçado isso …!

  2. Givanildo Dias Quintao em 15 de outubro de 2019 às 21:36

    Tem alguns que dizem que aplicar randap ajida a planta passar pela falta de chuva no meu ponto de vista e errado uma vez que o milho for resistente ao randap. Como vai ajudar se a planta está em déficit hídrico e se cair no ponto de mucha permanente já era. Mas o ideal e fazer um planejamento observar as informações da climatologia. Deixar chover uns 50 mm e solo na capacidade de campo se existe água no solo e realmente não ter risco de veranico e garantia de plantio deixa a janela de plantio de lado.

  3. Sergio Lorenzetti em 16 de outubro de 2019 às 08:45

    É bom esses colonos perderem um pouco.. são os que menos empregam pessoas e os que mais faturam, além do governo passar a mão com fncto a juros baixíssimos

    Justiça sendo feita, vão trabalhar e ralar todo dia como eu e todo mundo faz

    Vende a picapona do ano.. quem sabe sobra dinheiro pra comer

  4. Marcos navarro em 16 de outubro de 2019 às 13:40

    Que tristeza!!!!

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Sites e Especiais » Soja Brasil » Produtor vê soja morrer com estiagem depois de perder trigo para geada

SITUAÇÃO DESESPERADORA

Produtor vê soja morrer com estiagem depois de perder trigo para geada

A Aprosoja do Paraná recomenda que os agricultores esperem a chegada das chuvas antes de optarem pelo replantio; entenda a situação

15 de outubro de 2019 às 19h56
Por Carolina Lorencetti, de Cascavel (PR)

As sementes de soja estão morrendo por falta de chuva. Desde que o produtor Nelson Del Galo plantou, três semanas atrás, choveu apenas três milímetros em Cascavel (PR), oeste do Paraná. Ele estima que 30 hectares estejam comprometidos. Ao lado, os 25 hectares de milho primeira safra não crescem. Para piorar, nem a safra de inverno deu lucro, porque o trigo foi atingido pela geada.

“Você sabe que vai gastar muito para ter um bom retorno, mas, às vezes, não dá esse retorno. Não tem o que fazer, o jeito é se conformar e esperar pelo clima para voltar a tentar plantar”, lamenta o agricultor.

O presidente do Sindicato Rural de Cascavel, Paulo Orso, conta que o caso de Del Galo não é exceção. Segundo ele, 60,7% da área já deveria ter sido plantada, mas apenas 35% foi cultivada. “Desse percentual, tem muita gente que está perdendo, em média, 20%. Temos produtores que já perderam praticamente todo o plantio”, diz.

Semente de soja morta pela estiagem

Foto: Carolina Lorencetti/Canal Rural

Na propriedade de Eloize Macoris Colombo, o plantio até começou, mas precisou ser interrompido. “A estiagem já está afetando a produtividade da safra de soja. Isso, mais para frente, vai acarretar também em prejuízo no plantio do milho safrinha [segunda safra], principalmente porque a janela da soja já foi atrasada”, diz a produtora.

Em Toledo, na mesma região, a seca também está provocando estragos. “Muitas áreas não foram plantadas ainda, e as que foram terão problemas e precisarão de replantio”, afirma o presidente do sindicato rural local, Nelson Paludo.

A orientação da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado do Paraná (Aprosoja-PR) é que os agricultores aguardem as chuvas para depois avaliar a necessidade de replantio. “Ele não pode fazer o replantio sem a umidade adequada, porque pode perder novamente”, afirma o presidente da entidade, Márcio Bonesi.

4 comentários

  1. ANÍSIO RABELO em 15 de outubro de 2019 às 21:24

    Não dá para entender. Apesar de todas as circunstâncias adversas, que os agricultores atravessam, não se vislumbra reações positivas nas cotações das comodities.
    Engraçado isso …!

  2. Givanildo Dias Quintao em 15 de outubro de 2019 às 21:36

    Tem alguns que dizem que aplicar randap ajida a planta passar pela falta de chuva no meu ponto de vista e errado uma vez que o milho for resistente ao randap. Como vai ajudar se a planta está em déficit hídrico e se cair no ponto de mucha permanente já era. Mas o ideal e fazer um planejamento observar as informações da climatologia. Deixar chover uns 50 mm e solo na capacidade de campo se existe água no solo e realmente não ter risco de veranico e garantia de plantio deixa a janela de plantio de lado.

  3. Sergio Lorenzetti em 16 de outubro de 2019 às 08:45

    É bom esses colonos perderem um pouco.. são os que menos empregam pessoas e os que mais faturam, além do governo passar a mão com fncto a juros baixíssimos

    Justiça sendo feita, vão trabalhar e ralar todo dia como eu e todo mundo faz

    Vende a picapona do ano.. quem sabe sobra dinheiro pra comer

  4. Marcos navarro em 16 de outubro de 2019 às 13:40

    Que tristeza!!!!

Deixe um Comentário





Mais Notícias