Início » Notícias da Agropecuária » Sites e Especiais » Soja Brasil » EUA: lavouras de soja de Nebraska e Indiana também estão ruins

ACOMPANHAMENTO

EUA: lavouras de soja de Nebraska e Indiana também estão ruins

Ao todo Crop Tour da consultoria Pro Farmer já visitou 4 estados, em todos as plantas apresentam menos vagens por planta, do que nos últimos 3 anos

21 de agosto de 2019 às 10h25
Por Daniel Popov, de São Paulo
soja, lavoura, safra, EUA, Estados Unidos

Foto: Tarso Veloso/ Arquivo pessoal

O Brasil segue de olho nas condições reais das lavouras dos Estados Unidos. O crop tour realizado pela consultoria americana Pro Farmer trará atualizações e percepções de como andam as lavouras de soja no país. O segundo dia de visitas passou por Nebraska e Indiana, ambos apresentaram desenvolvimentos piores das plantas.

Nebraska

As lavouras de soja do estado de Nebraska, no centro-norte dos Estados Unidos, também apresentam um desenvolvimento ruim neste ano, segundo avaliação realizada pela consultoria Pro Farmer.

A contagem de vagens da soja chega a uma média de 1.210,83 em uma área de três pés
por três pés, acima da média dos últimos três anos que era de 1.217,72. No ano passado, o Crop Tour estimou a contagem de vagens em 1.299,08.

O rendimento para a soja indica uma variação muito grande. A contagem de vagens em um espaço de 3 por 3 pés teve números entre 794 e 1.359 no estado.

Indiana

As lavouras de soja no estado de Indiana, no leste dos Estados Unidos, apresentam um desenvolvimento pior neste ano, se comparado com a média dos últimos três anos, segundo a Pro Farmer.

A contagem de vagens da soja chega a 923,94 em uma área de três pés por três pés, ante a média dos últimos três anos de 1.219,69. No ano passado, o Crop Tour estimou a contagem de vagens em 1.311,87 em uma área de três pés por três pés.

A Pro Farmer não avalia o potencial de produtividade das lavouras americanas devido à indefinição de uma série de fatores que podem prejudicar o rendimento. Agosto é um mês crítico para a definição do potencial produtivo.

Dakota do Sul

A primeira constatação veio de Dakota do Sul, onde a produtividade da soja deverá ficar abaixo da obtida no ano passado. A contagem de vagens em um espaço de 3 por 3 pés teve números entre 656 e 900 vagens no estado, com média de 832,85. Em 2018, o número final para Ohio ficou em 1.024. A média atual é a pior dos últimos três anos, que era de 964,96 vagens.

“Em geral, as lavouras de milho e soja ainda não estão na fase de maturação. Ainda vai levar um tempo para que a planta alcance seu potencial cheio de rendimento”, afirmou o líder da equipe que percorre o oeste dos estados produtores americanos, Jeff Wilson.

Ohio

Em Ohio a perspectiva é a mesma, a produtividade da soja e do milho deverão ficar abaixo da obtida no ano passado.

A contagem de vagens em um espaço de 3 por 3 pés teve números entre 700 e 970 vagens no estado. Em 2018, o número era de 1.248.

“Milho e soja precisam de tempo e umidade para definir o potencial produtivo”, afirmou o líder da equipe que percorre o leste dos estados produtores americanos, Brian Grete.

Aprosoja também viu problemas

A dúvida de muitos produtores brasileiros a respeito dos dados divulgados pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) sobre a safra americana de soja, parece fazer sentido. Em um tour pelo cinturão agrícola do país, os representantes da Aprosoja disseram que nem mesmo os norte-americanos concordaram com o último relatório divulgado pela entidade.

Segundo o presidente da Aprosoja Brasil, Bartolomeu Braz, o relatório foi uma decepção e as informações não estão conectadas com a realidade que foram observadas. “Alguns estados estão com as lavouras muito prejudicadas, muitas áreas sem plantio, semeadura fora da janela ideal. Então é meio duvidoso os dados do USDA. Nem o produtor americano está concordando com as informações repassadas pela entidade, assim com os nós brasileiros”, relata. Continue lendo . . . 

Os problemas climáticos fizeram com que muitos produtores adiassem o início da semeadura e, até por esta razão, muitas áreas não foram nem plantadas. Entretanto a possibilidade de problemas não para por ai. Muitos produtores estão relatando receio quanto à época da colheita, afirma o representante da Famato, Marcos da Rosa, após passar por lavouras em Illinois e Wisconsin. Confira esta reportagem!

Veja mais notícias sobre soja

1 comentário

  1. Liberato Bochi, Eng Agrônomo de Santiago,RS em 23 de agosto de 2019 às 00:25

    Estou em Bluffton , Fort Waine e arredores a 15 dias, quando uma pequena estiagem começava a interferir na produtividade da soja e do milho nesta região. As precipitações regularizaram e hoje pelo que se vê, a soja e o milho se recuperaram e vai haver uma grande safra.

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Sites e Especiais » Soja Brasil » EUA: lavouras de soja de Nebraska e Indiana também estão ruins

ACOMPANHAMENTO

EUA: lavouras de soja de Nebraska e Indiana também estão ruins

Ao todo Crop Tour da consultoria Pro Farmer já visitou 4 estados, em todos as plantas apresentam menos vagens por planta, do que nos últimos 3 anos

21 de agosto de 2019 às 10h25
Por Daniel Popov, de São Paulo
soja, lavoura, safra, EUA, Estados Unidos

Foto: Tarso Veloso/ Arquivo pessoal

O Brasil segue de olho nas condições reais das lavouras dos Estados Unidos. O crop tour realizado pela consultoria americana Pro Farmer trará atualizações e percepções de como andam as lavouras de soja no país. O segundo dia de visitas passou por Nebraska e Indiana, ambos apresentaram desenvolvimentos piores das plantas.

Nebraska

As lavouras de soja do estado de Nebraska, no centro-norte dos Estados Unidos, também apresentam um desenvolvimento ruim neste ano, segundo avaliação realizada pela consultoria Pro Farmer.

A contagem de vagens da soja chega a uma média de 1.210,83 em uma área de três pés
por três pés, acima da média dos últimos três anos que era de 1.217,72. No ano passado, o Crop Tour estimou a contagem de vagens em 1.299,08.

O rendimento para a soja indica uma variação muito grande. A contagem de vagens em um espaço de 3 por 3 pés teve números entre 794 e 1.359 no estado.

Indiana

As lavouras de soja no estado de Indiana, no leste dos Estados Unidos, apresentam um desenvolvimento pior neste ano, se comparado com a média dos últimos três anos, segundo a Pro Farmer.

A contagem de vagens da soja chega a 923,94 em uma área de três pés por três pés, ante a média dos últimos três anos de 1.219,69. No ano passado, o Crop Tour estimou a contagem de vagens em 1.311,87 em uma área de três pés por três pés.

A Pro Farmer não avalia o potencial de produtividade das lavouras americanas devido à indefinição de uma série de fatores que podem prejudicar o rendimento. Agosto é um mês crítico para a definição do potencial produtivo.

Dakota do Sul

A primeira constatação veio de Dakota do Sul, onde a produtividade da soja deverá ficar abaixo da obtida no ano passado. A contagem de vagens em um espaço de 3 por 3 pés teve números entre 656 e 900 vagens no estado, com média de 832,85. Em 2018, o número final para Ohio ficou em 1.024. A média atual é a pior dos últimos três anos, que era de 964,96 vagens.

“Em geral, as lavouras de milho e soja ainda não estão na fase de maturação. Ainda vai levar um tempo para que a planta alcance seu potencial cheio de rendimento”, afirmou o líder da equipe que percorre o oeste dos estados produtores americanos, Jeff Wilson.

Ohio

Em Ohio a perspectiva é a mesma, a produtividade da soja e do milho deverão ficar abaixo da obtida no ano passado.

A contagem de vagens em um espaço de 3 por 3 pés teve números entre 700 e 970 vagens no estado. Em 2018, o número era de 1.248.

“Milho e soja precisam de tempo e umidade para definir o potencial produtivo”, afirmou o líder da equipe que percorre o leste dos estados produtores americanos, Brian Grete.

Aprosoja também viu problemas

A dúvida de muitos produtores brasileiros a respeito dos dados divulgados pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) sobre a safra americana de soja, parece fazer sentido. Em um tour pelo cinturão agrícola do país, os representantes da Aprosoja disseram que nem mesmo os norte-americanos concordaram com o último relatório divulgado pela entidade.

Segundo o presidente da Aprosoja Brasil, Bartolomeu Braz, o relatório foi uma decepção e as informações não estão conectadas com a realidade que foram observadas. “Alguns estados estão com as lavouras muito prejudicadas, muitas áreas sem plantio, semeadura fora da janela ideal. Então é meio duvidoso os dados do USDA. Nem o produtor americano está concordando com as informações repassadas pela entidade, assim com os nós brasileiros”, relata. Continue lendo . . . 

Os problemas climáticos fizeram com que muitos produtores adiassem o início da semeadura e, até por esta razão, muitas áreas não foram nem plantadas. Entretanto a possibilidade de problemas não para por ai. Muitos produtores estão relatando receio quanto à época da colheita, afirma o representante da Famato, Marcos da Rosa, após passar por lavouras em Illinois e Wisconsin. Confira esta reportagem!

Veja mais notícias sobre soja

1 comentário

  1. Liberato Bochi, Eng Agrônomo de Santiago,RS em 23 de agosto de 2019 às 00:25

    Estou em Bluffton , Fort Waine e arredores a 15 dias, quando uma pequena estiagem começava a interferir na produtividade da soja e do milho nesta região. As precipitações regularizaram e hoje pelo que se vê, a soja e o milho se recuperaram e vai haver uma grande safra.

Deixe um Comentário





Mais Notícias