Início » Notícias da Agropecuária » Sites e Especiais » Soja Brasil » Aguardando relatório do USDA, mercado da soja tem dia lento no Brasil

COTAÇÃO

Aguardando relatório do USDA, mercado da soja tem dia lento no Brasil

Em Chicago, o mercado iniciou o dia em baixa, pressionado pelo clima favorável ao desenvolvimento das lavouras americanas e pela demanda enfraquecida, mas deu uma recuperada ao longo do dia

09 de setembro de 2019 às 18h29
Por Agência Safras
sooja nas mãos

Foto: Pixabay

A segunda-feira foi marcada por poucos negócios e por preços mistos para a soja nas principais praças do país. Dólar e Chicago tiveram um dia de volatilidade, afastando os negociadores do mercado. Atenções voltadas para o relatório de setembro do USDA, que será divulgado na quinta, 12.  

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos permaneceu em R$ 81,50. Na região das Missões, a cotação seguiu a R$ 81,00. No porto de Rio Grande, preço ficou em R$ 85,50.

Em Cascavel, no Paraná, o preço subiu de R$ 79,00 para R$ 79,50 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca avançou de R$ 85,00 para R$ 85,50 a saca. 

Em Rondonópolis (MT), a saca caiu de R$ 77,50 para R$ 77,00. Em Dourados (MS), a cotação baixou de R$ 77,50 para R$ 77,00. Em Rio Verde (GO), a saca aumentou de R$ 77,00 para R$ 78,00.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira com preços mistos, perto da estabilidade. O dia foi marcado por muita volatilidade. 

Os agentes buscam um melhor posicionamento frente ao relatório de setembro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que será divulgado na quinta, 12. Até lá, a tendência é de sessões voláteis. 

Nesta segunda, o mercado iniciou o dia em baixa, pressionado pelo clima favorável ao desenvolvimento das lavouras americanas e pela demanda enfraquecida. Ao longo do dia, as cotações se recuperaram, com base em fatores técnicos. Mais perto do final da sessão, houve um ajuste e a maior parte dos contratos fechou estável ou perto disso. 

Os contratos da soja em grão com entrega em novembro fecharam estáveis em relação ao fechamento anterior, a US$ 8,57 3/4 por bushel. A posição janeiro teve cotação de US$ 8,72 por bushel, também inalterada. 

1 comentário

  1. Mauro em 10 de setembro de 2019 às 09:43

    Na nossa região de Panambi
    Os preços estão ao redor de 74.00

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Sites e Especiais » Soja Brasil » Aguardando relatório do USDA, mercado da soja tem dia lento no Brasil

COTAÇÃO

Aguardando relatório do USDA, mercado da soja tem dia lento no Brasil

Em Chicago, o mercado iniciou o dia em baixa, pressionado pelo clima favorável ao desenvolvimento das lavouras americanas e pela demanda enfraquecida, mas deu uma recuperada ao longo do dia

09 de setembro de 2019 às 18h29
Por Agência Safras
sooja nas mãos

Foto: Pixabay

A segunda-feira foi marcada por poucos negócios e por preços mistos para a soja nas principais praças do país. Dólar e Chicago tiveram um dia de volatilidade, afastando os negociadores do mercado. Atenções voltadas para o relatório de setembro do USDA, que será divulgado na quinta, 12.  

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos permaneceu em R$ 81,50. Na região das Missões, a cotação seguiu a R$ 81,00. No porto de Rio Grande, preço ficou em R$ 85,50.

Em Cascavel, no Paraná, o preço subiu de R$ 79,00 para R$ 79,50 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca avançou de R$ 85,00 para R$ 85,50 a saca. 

Em Rondonópolis (MT), a saca caiu de R$ 77,50 para R$ 77,00. Em Dourados (MS), a cotação baixou de R$ 77,50 para R$ 77,00. Em Rio Verde (GO), a saca aumentou de R$ 77,00 para R$ 78,00.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira com preços mistos, perto da estabilidade. O dia foi marcado por muita volatilidade. 

Os agentes buscam um melhor posicionamento frente ao relatório de setembro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que será divulgado na quinta, 12. Até lá, a tendência é de sessões voláteis. 

Nesta segunda, o mercado iniciou o dia em baixa, pressionado pelo clima favorável ao desenvolvimento das lavouras americanas e pela demanda enfraquecida. Ao longo do dia, as cotações se recuperaram, com base em fatores técnicos. Mais perto do final da sessão, houve um ajuste e a maior parte dos contratos fechou estável ou perto disso. 

Os contratos da soja em grão com entrega em novembro fecharam estáveis em relação ao fechamento anterior, a US$ 8,57 3/4 por bushel. A posição janeiro teve cotação de US$ 8,72 por bushel, também inalterada. 

1 comentário

  1. Mauro em 10 de setembro de 2019 às 09:43

    Na nossa região de Panambi
    Os preços estão ao redor de 74.00

Deixe um Comentário





Mais Notícias