Início » Notícias da Agropecuária » Sites e Especiais » Febre Aftosa » Começa hoje a campanha de combate à febre aftosa em Roraima

IMUNIZAÇÃO

Começa hoje a campanha de combate à febre aftosa em Roraima

Dados apontam que quase 98% do rebanho nacional recebeu a vacinaNesta quarta, dia 1º de abril, começa a primeira etapa da campanha contra a febre aftosa no estado de Roraima e em 41 municípios na cabeceira do Rio Amazonas. Já no próximo dia 15, haverá vacinação em Rondônia e, em maio, acontece a primeira etapa na maioria dos estados brasileiros.

01 de abril de 2015 às 15h13
Por Canal Rural

Um balanço divulgado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) sobre a última campanha de vacinação da febre aftosa, realizada no segundo semestre de 2014, revelou que 97,8% do rebanho nacional de bovinos e bubalinos foram imunizados.

A região Centro-Oeste do país obteve os maiores índices de proteção. Os estados que atingiram os maiores índices de imunização foram: Mato Grosso, com 99,61%, Goiás, com 99,60%, e Mato Grosso do Sul, com 99,26%. No caso de Mato Grosso, há 19 anos não são registrados casos da doença.

– Isso é resultado de um esforço conjunto e demonstra a consciência do produtor rural com o processo e a importância dele para o seu negócio – afirma o coordenador da campanha de vacinação da doença, Plínio Lopes, que participou do programa Giro do Boi de hoje.

Já em Minas Gerais, segundo estado com maior rebanho de gado comercial do Brasil, 97,22% dos animais foram imunizados. Alguns estados, principalmente no Norte e o Nordeste do país, tiveram índice inferior a 90%, o que influencia diretamente na média nacional, de 97,8%.

– A cada dia, a gente tem conseguido avanços tanto com o processo de erradicação da doença quanto com a prevenção dela. Vamos completar nove anos sem a ocorrência da febre aftosa em nosso país – conta Lopes.

Ele destaca a importância da vacinação, salientando que a ocorrência de um foco da doença, por ser um problema econômico incalculável e de grande repercussão tanto a nível nacional quanto internacional, gera diversos transtornos:

– Quando a febre aftosa é detectada em um local, a primeira reação do mercado é a suspensão de importações, pois existe o receio de que ela extrapole limites e seja introduzida em áreas que não tenham sido imunizadas – afirma o coordenador da campanha.

Roraima

A Agência de Defesa Agropecuária de Roraima estima que todo o rebanho bovino, composto por 750 mil cabeças de gado, seja vacinado até 30 de abril. As vacinas estarão disponíveis nas casas agropecuárias e todos os criadores de animais bovinos e bubalinos são obrigados a imunizar seus animais. Depois da vacinação, o criador tem 15 dias para fazer a notificação, levando as notas fiscais das vacinas e a estratificação –todas as informações com as classificações dos animais, separados por idade, sexo e outros dados na Unidade de Defesa Animal (UDA) mais próxima de sua propriedade.

Quem deixar de vacinar ou notificar, estará sujeito a multa de R$ 1.070,00 mais R$ 70,00 para cada cabeça de gado não vacinada. Além disso, o criador ficará impedido de retirar a GTA (Guia de Transporte Animal) ficando impedido de movimentar as criações e fazer a comercialização. O último caso de febre aftosa em Roraima foi registrado no município de Caroebe, no ano de 2001.

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Sites e Especiais » Febre Aftosa » Começa hoje a campanha de combate à febre aftosa em Roraima

IMUNIZAÇÃO

Começa hoje a campanha de combate à febre aftosa em Roraima

Dados apontam que quase 98% do rebanho nacional recebeu a vacinaNesta quarta, dia 1º de abril, começa a primeira etapa da campanha contra a febre aftosa no estado de Roraima e em 41 municípios na cabeceira do Rio Amazonas. Já no próximo dia 15, haverá vacinação em Rondônia e, em maio, acontece a primeira etapa na maioria dos estados brasileiros.

01 de abril de 2015 às 15h13
Por Canal Rural

Um balanço divulgado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) sobre a última campanha de vacinação da febre aftosa, realizada no segundo semestre de 2014, revelou que 97,8% do rebanho nacional de bovinos e bubalinos foram imunizados.

A região Centro-Oeste do país obteve os maiores índices de proteção. Os estados que atingiram os maiores índices de imunização foram: Mato Grosso, com 99,61%, Goiás, com 99,60%, e Mato Grosso do Sul, com 99,26%. No caso de Mato Grosso, há 19 anos não são registrados casos da doença.

– Isso é resultado de um esforço conjunto e demonstra a consciência do produtor rural com o processo e a importância dele para o seu negócio – afirma o coordenador da campanha de vacinação da doença, Plínio Lopes, que participou do programa Giro do Boi de hoje.

Já em Minas Gerais, segundo estado com maior rebanho de gado comercial do Brasil, 97,22% dos animais foram imunizados. Alguns estados, principalmente no Norte e o Nordeste do país, tiveram índice inferior a 90%, o que influencia diretamente na média nacional, de 97,8%.

– A cada dia, a gente tem conseguido avanços tanto com o processo de erradicação da doença quanto com a prevenção dela. Vamos completar nove anos sem a ocorrência da febre aftosa em nosso país – conta Lopes.

Ele destaca a importância da vacinação, salientando que a ocorrência de um foco da doença, por ser um problema econômico incalculável e de grande repercussão tanto a nível nacional quanto internacional, gera diversos transtornos:

– Quando a febre aftosa é detectada em um local, a primeira reação do mercado é a suspensão de importações, pois existe o receio de que ela extrapole limites e seja introduzida em áreas que não tenham sido imunizadas – afirma o coordenador da campanha.

Roraima

A Agência de Defesa Agropecuária de Roraima estima que todo o rebanho bovino, composto por 750 mil cabeças de gado, seja vacinado até 30 de abril. As vacinas estarão disponíveis nas casas agropecuárias e todos os criadores de animais bovinos e bubalinos são obrigados a imunizar seus animais. Depois da vacinação, o criador tem 15 dias para fazer a notificação, levando as notas fiscais das vacinas e a estratificação –todas as informações com as classificações dos animais, separados por idade, sexo e outros dados na Unidade de Defesa Animal (UDA) mais próxima de sua propriedade.

Quem deixar de vacinar ou notificar, estará sujeito a multa de R$ 1.070,00 mais R$ 70,00 para cada cabeça de gado não vacinada. Além disso, o criador ficará impedido de retirar a GTA (Guia de Transporte Animal) ficando impedido de movimentar as criações e fazer a comercialização. O último caso de febre aftosa em Roraima foi registrado no município de Caroebe, no ano de 2001.

Deixe um Comentário





Mais Notícias

preço do milho, incentivos fiscais, seguro rural

ABERTURA DO MERCADO

Milho: bom ritmo de exportações sustenta preços no Brasil

28/11/2018 às 06h11
milho

ABERTURA DE MERCADO

Milho: oferta restrita faz preços subirem no Brasil

26/11/2018 às 06h51