CELEBRAÇÃO

Canal Rural homenageia a Fecoagro pelos 42 anos

Uma placa comemorativa foi oferecida à entidade como forma de agradecimento pela parceria de cinco anos

Fonte: Divulgação

Nesta terça-feira, dia 29, o Canal Rural homenageou a Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado de Santa Catarina (Fecoagro) pelos 42 anos. O diretor comercial da empresa de comunicação, Marcos Gomez, entregou uma placa agradecendo pela parceria de cinco anos entre canal e federação, através do programa Cooperativismo em Notícia – apresentado aos sábados de manhã.

Em Santa Catarina existem 260 cooperativas, sendo 53 agropecuárias. Na Fecoagro, mais de 36 mil famílias compõem as 11 cooperativas associadas. Com o programa Cooperativismo em Notícia, a federação pretende levar o exemplo dessas famílias para todo o país, fortalecendo o conceito de cooperação.

“A expectativa é que a gente continue com essa parceria, sempre melhorando. Como o Canal Rural está aberto a todo Brasil e a gente consegue levar a nossa mensagem do cooperativismo e dessa forma cumprir o nosso objetivo”, afirma o presidente da Fecoagro, Cláudio Post.

Durante a homenagem o secretário da Agricultura e da Pesca de Santa Catarina, Moacir Sopelsa, falou sobre a expectativa com a indicação ao Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul) como representante do estado. “É uma honra representar os quatro estados – Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O que nós temos em mente é que o país precisa caminhar da forma que caminhou Santa Catarina, indo buscar a segurança sanitária cada vez maior. A nossa torcida é que o Paraná e o Rio Grande do Sul possam suspender a vacinação de febre aftosa e nós possamos nos proteger juntos”, afirma Sopelsa.

Atualmente Santa Catarina é o único estado com status de livre de febre aftosa. O secretário explicou que foi necessário um trabalho de oito anos para conseguir que a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) reconhecesse a área desta forma. “Visitamos propriedade por propriedade e isso nos deu segurança que todo nosso rebanho era vacinado. Há 14 anos, conseguimos o reconhecimento de área livre de febre aftosa e tem sido um trabalho conjunto para manter assim”.

Com a certificação, quem sai ganhando é o produtor, já que novos mercados se abrem ao estado. “O produtor conseguiu alcançar mercados que antes não conseguia e que remuneram melhor a carne, a exemplo do Japão e Coreia do Sul, que valorizam mais. Os Estados Unidos também estão importando a carne de Santa Catarina e o produtor consegue colocar uma parte maior da produção para exportação”, explica Cláudio Post. 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *