MELHOR AMIGO

Senar de Goiás oferece curso para que pecuarista treine seu cão de pastoreio

Curso é gratuito e voltado para o pecuarista interessado no aproveitamento de animais que executam o trabalho de até dois peões

Fonte: Cláudio Murilo / Canil Boiadeiro

A utilização de cachorros para pastoreio ainda é uma prática pouco utilizada no Brasil. Para estimular esse tipo de trabalho, o Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) de Goiás criou há quatro anos um curso de adestramento de cães. Mais de 500 alunos já foram formados.

Um cão bem treinado pode substituir o trabalho de dois peões e manejar até 200 animais de uma só vez. Mas a adaptação do rebanho com o cachorro deve ser aos poucos. E a pessoa que vai comandar também precisa ser treinada.

O instrutor do Senar-GO Marcos Gonçalves tem uma parceria que já dura seis anos com Chian. O cão da raça border collie é o amigo inseparável na hora de manejar o gado. Basta um comando e lá vai ele. Com agilidade e paciência, Chian leva todo o rebanho para dentro do curral.

“Ele entende o comando de voz e o comando do apito. A voz, você usa quando está perto do cão. Depois de uma distância de 50 metros, você precisa gritar e, quando você grita, o cão perde o foco. O apito não demonstra oscilação na voz, não mostra estresse. Com o apito você pode trabalha a uma distância de até 800 metros”, ensina o instrutor.

O trabalho de adestramento começa a partir de um ano de idade. Entre seis e oito meses de treinamento, os cães estão prontos para a lida no campo. Um animal treinado custa em média R$ 6.000 e pode ser utilizado no manejo de bovinos, caprinos e até mesmo aves.

“A partir dos quatro ou cinco meses, nós fazemos um teste de aptidão. A partir disso, nós começamos a lapidar o cachorro e ensinar os comandos laterais. O treinamento começa nas ovelhas. Mesmo que o cliente vá trabalhar com gado, nós começamos o treinamento com as ovelhas”, diz Gonçalves.

“Fiz uma visita ao Uruguai e à Argentina e vi em uma fazenda esse tipo de manejo com ovelhas e bovinos. Vi que nós poderíamos trazer isso para nosso estado. É um apoio para o pecuarista e para o vaqueiro que faz o manejo”, diz Marcelo Pena, coordenador técnico do Senar-GO.

Para este ano, estão programadas mais 30 edições do curso por todo o estado. “Trabalhamos com as raças blue hiller, border collie e kelpie. A raça que mais se destaca é a border collie. O curso dura 32 horas, é voltado para o produtor rural e é totalmente gratuito”, completa o coordenador.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Assine grátis a melhor newsletter sobre agronegócios do Brasil