FINANÇAS

Renegociação de dívidas: bancos públicos apresentam proposta em junho

Instituições financeiras se comprometeram a estudar condições para produtores que tiveram perdas por problemas climáticos, preço mínimo ou comercialização da safra 

Fonte: Marcos Santos/USP Imagens

Em reunião em Brasília nesta quarta-feira, dia 16, representantes de bancos públicos se comprometeram a estudar uma nova linha de renegociação das dívidas agropecuárias para produtores que tiveram perdas por problemas climáticos, preço mínimo ou comercialização das safras. As instituições financeiras prometeram apresentar propostas, mas as condições só devem ser divulgadas no mês que vem.

O compromisso dos bancos foi firmado junto à Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura e à Comissão Externa do Endividamento Agrícola da Câmara dos Deputados. A comissão pediu que as instituições financeiras oferecessem a produtores endividados prazo de 25 anos para pagamento, com dois anos de carência. A taxa de juros sugerida pelo governo é de 4,5% ao ano.

O secretário de Política Agrícola, Wilson Vaz de Araújo, afirma que as condições estabelecidas não afetarão o orçamento fiscal. “Os bancos vão estruturar uma proposta para a gente avaliar até onde é possível atender essa demanda”, diz. Por enquanto, ainda não há uma lista de produtores que poderiam ser beneficiados pela medida.

O governo não confirma se a nova linha vai exigir mudanças no manual de crédito rural, para permitir que produtores endividados tenham acesso aos benefícios. Os parlamentares envolvidos nas negociações com os bancos acreditam que todas as condições devem ser divulgadas nas proximidades do anúncio do Plano Safra, no mês que vem.

O deputado federal Jerônimo Goergen (PP-RS), conta que na próxima sexta-feira, dia 18, representantes do governo e dos bancos farão nova reunião. “Eles trarão a proposta deles concluída e nós vamos pedir aquilo que achamos que deva ser melhorado ou avançado. Até porque o governo trabalha com a data do dia 24 (de maio) para concluir as negociações do Plano Safra e no dia 6 ou 7 de junho fazer o anúncio”, diz.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *