Início » Notícias da Agropecuária » Programas » Informação » Rural Notícias » Projeto de lei propõe acabar com a reserva legal em propriedades rurais

SERÁ?

Projeto de lei propõe acabar com a reserva legal em propriedades rurais

Os senadores Flávio Bolsonaro e Marcio Bittar apresentaram, nesta semana, uma proposta de mudança que pode trazer grandes impactos no código florestal brasileiro

19 de abril de 2019 às 20h20
Por CANAL RURAL

Os senadores Flávio Bolsonaro e Marcio Bittar apresentaram esta semana, um projeto de lei que propõe acabar com a reserva legal em propriedades rurais. De acordo com o código florestal, aprovado em 2012 depois de muita discussão, a área, cujo percentual varia de 20% a 80%, não pode ser desmatada. O comentarista Ricardo Alfonsin analisa a possível mudança, que já era consenso, dentro da bancada ruralista.

23 comentários

  1. firmino teodoro da silva em 19 de abril de 2019 às 20:36

    Iremos VIVER futuramente numa SAARA BRASILEIRA.

  2. Cesar em 19 de abril de 2019 às 21:32

    Até que enfim alguém neste Brasil tem a cabeça no lugar. É só quem tem propriedade rural é que tem que que preservar?

  3. Maria Tereza em 19 de abril de 2019 às 22:10

    Só podem estar loucos. Vai Virar deserto e barroca geral?

  4. Glauber Scungisqui Napoli em 20 de abril de 2019 às 00:48

    2 idiotas comentando, depois que o chicote estalar, vai bater na porteira de propriedade rural agroecológica pra comprar alimento.

  5. OSORIO DAL POZ FILHO em 20 de abril de 2019 às 06:58

    Parece que o Brasil esta mudando mesmo, essa reserva legal e um absurdo, jogam nas costas dos proprietários para que cuidem de matos e outras reservas para ` manter o ar mais puro, limpar a atmosfera etc etc. ´ nas costas do proprietário sem receber nada por isso mantendo por exemplo no região norte 80% da área inutilizada, ou seja sem produção nenhuma, isso e uma contrariedade sem tamanho, muito bem, quer ar puro entao pague pelo menos uma taxa de manutenção para que o “ trouxa´` la no mato cuide para eles das tais reservas ilegais.

  6. Ciro Siqueira em 20 de abril de 2019 às 11:53

    Nenhum dos dois comentaristas sabe do que está falando. A Reserva Legal foi criada pela Lei 4.771 de setembto de1965. Esse debate precisa ser qualificado. É um pena que um Canal do Agro como o Canal Rural não consiga fazer melhor do que esse programa que mais atrapalha do ajuda nesse debate já tão difícil.

  7. Benedito Sene em 21 de abril de 2019 às 07:05

    Quando elegemos um político, esperamos que contribuam para a construção, progresso e evolução da Nação e não para defenderem interesses pessoais ou de classes e muito menos para alterar leis que levem a retrocessos e desconstrução de algo que foi resultado de uma luta a favor de um bem coletivo maior

  8. Benedito Sene em 21 de abril de 2019 às 08:13

    Sobre as áreas do Norte brasileiro, tem que se rever o percentual.Certamente muitas riquezas se encontram em seus subsolos e devem,a seu tempo, serem exploradas. Quanto às áreas de reserva legal, desde que o resto do mundo pague para mantermos, não há problemas. Cada reserva tem suas característica e devem ser consideradas.

  9. SIMONE NOGARA em 21 de abril de 2019 às 16:19

    Gostaria que analizasem pois quem tem reserva legal e o carr e assim mesmo está enpedido de usar e usufruir do restante da terra e não podemos usar peso que ISO posa ser revisto para ampliar mais lavoura para mais sustento e ganho renda.
    PRECIDENTE DEPUTADOS E SENADORES OLHEM PELOS AGRICULTORES
    AGUMAS COUISAS TEM QUE MUDAR SOBRE RESERVA E CARR

  10. Valdeir em 24 de abril de 2019 às 15:22

    Lembre-se de cada adversidade que vem por 16 anos de PTralhas, pela misericórdia do Senhor foi vencida. Bolsonaro Presidente do Brasil… Esse é o Brasil que queremos.

    • Altair Simoes em 23 de maio de 2019 às 06:41

      Eu nasci no campo e vivo até hoje com 46 anos e falo que a coisa tá difícil para o produtor rural esse que quer ser correto ai os órgãos ambientais quer mostrar serviço em cima da gente quer tirar o couro da gente vivo
      Enquanto na cidade, basta você tirar um tempo de meia hora e olhar as ruas o tanto de coisas jogadas, ai só produtor que destrói ,falar é fácil,mas é aquele ditado macaco senta no rabo e fala do rabo alheio
      pronto falei

  11. Adnael Antonio Fiaschi em 24 de abril de 2019 às 15:25

    Essa imposição, da reserva legal (não sei até onde e´legal), me parece mais uma imposição de países que não querem que nos tornemos a maior potência mundial produtiva de alimentos. Não tenho conhecimento de tanta restrição para produção agrícola como neste país.
    Até acredito em fomentação externa para grupos políticos, em detrimento ao nosso interesse de produção.
    Mais do que nunca temos que acabar com urgência deste impecilho político.
    Obs. Trabalhei 20 anos em empresa estatal na área ambiental, e só via interesses de grupo.

  12. […] Projeto de lei propõe acabar com a reserva legal em propriedades rurais […]

  13. […] de lei, de autoria dos senadores Márcio Bittar (MDB-AC) e Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), que pede o fim da obrigatoriedade da área de Reserva Legal nas propriedades rurais. “Nós que passamos tanto tempo pra construir o Código Florestal, […]

  14. […] de lei, de autoria dos senadores Márcio Bittar (MDB-AC) e Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), que pede o fim da obrigatoriedade da área de reserva legal nas propriedades rurais. “Nós que passamos tanto tempo pra construir o Código Florestal, […]

  15. […] um momento em que os senadores Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e Márcio Bittar (MDB-AC) propuseram um projeto de lei que pede o fim da obrigatoriedade da área da reserva legal. Na maior parte do país, os […]

  16. […] um momento em que os senadores Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e Márcio Bittar (MDB-AC) propuseram um projeto de lei que pede o fim da obrigatoriedade da área da reserva legal. Na maior parte do país, os […]

  17. Altair Simoes em 23 de maio de 2019 às 06:42

    Eu nasci no campo e vivo até hoje com 46 anos e falo que a coisa tá difícil para o produtor rural esse que quer ser correto ai os órgãos ambientais quer mostrar serviço em cima da gente quer tirar o couro da gente vivo
    Enquanto na cidade, basta você tirar um tempo de meia hora e olhar as ruas o tanto de coisas jogadas, ai só produtor que destrói ,falar é fácil,mas é aquele ditado macaco senta no rabo e fala do rabo alheio
    pronto falei

  18. PAULO GOMES em 14 de junho de 2019 às 22:22

    A RESERVA LEGAL NÃO DEVE ACABAR… ELA É QUE GARANTE OS BENEFICIOS AMBIENTAIS NAS PROPRIEDADES DO BRASIL, TEM É QUE IMPLANTAR DE FORMA DEFINITIVA O PSA – PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS.

  19. Bernardo Gomes Barbosa em 16 de junho de 2019 às 14:08

    Se acontecer isto o Brasil irá entrar no primeiro mundo; com certeza. Pois existe área que não pode ser planta nem 30 por cento da área pois está registrada apenas 20 por cento de reserva legal; mas o IBAMA não admite fazer todo seu aproveitamento; pois embargou e multou está área para não deixar o agricultor desenvolver a sua área; isto tem por traz as ONGs junto com o IBAMA; isto é uma vergonha; deixar este Órgão não deixar o Brasil levantar o PIB pois é o único recurso que tem para entrar no primeiro mundo devido a tecnologia de ponta que exerce dentro da agricultura do Brasil e do mundo; sabido que irá ser o celeiro do mundo caso não for podado por Órgãos e ONGs que limita o Brasil crescer e alimentar o mundo. Atualmente saiu Lei 13838 aprovada pelo Senado e sancionada pelo nosso presidente; mas estão provando que Legislativo e Executivo; não tem voz ativa no Brasil, esta Lei quem irá deferi-la será o poder Judiciário único Órgão que defini as regras e normas do Brasil já que Órgão Público; Cartorio e outros não estão acatando o legislativo e nem o executivo; isto é uma vergonha para estes dois poderes, mas é a mais pura verdade; ainda bem que temos este poder judiciário que coloca ordens aonde não existe.

  20. gilvan em 18 de junho de 2019 às 15:11

    Comentários ridículos
    A questão ambiental e de sobrevivência da nação.de Soberania nacional. Acabe com elas e teremos colapsos na sociedade. Vão revisar as aulas de biologia senhores

  21. Paulo em 25 de junho de 2019 às 04:57

    Os advogados…economistas…comentaristas e lobistas não entendem a importância da floresta na preservação da água e manutenção da diversidade das espécies…Deveriam falar com um biólogo antes de proferirem bobagens em rede nacional…Quanto aos produtores rurais…vão muito bem…obrigado !!!

  22. Roberto em 11 de agosto de 2019 às 19:17

    Enquanto outros Países estão ganhando muito dinheiro e ganharão mais com Agronegócio Sustentável, aqui, alguns “birutas”, que nunca pisaram numa propriedade rural nem em áreas de preservação ambiental, ou não sabem seus valores reais, colocam nossos produtos agrícolas em risco. Nossos pequenos e grandes Produtores Rurais não podem cair nessa lábia baixa. Devem reagir e pressionar por mais maturidade política. Negócios estão em jogo! Muitos compradores no Exterior compram nossos produtos também pautados por esse Código Florestal, pela pauta de preservação ambiental. Queremos perder credibilidade, mercados e o mais importante, perder empregos?! Somos uma potência na Economia AGRO mundial, mas se deixarmos nos convencer por gente que se baseia mais em “Twinter” que em dados científicos e econômicos, ou que não conhecem bem o Setor da Agricultura brasileira, teremos o Campo definhando! Os Avanços que tivemos em 40 anos podem ser perdidos em 04 anos!

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Programas » Informação » Rural Notícias » Projeto de lei propõe acabar com a reserva legal em propriedades rurais

SERÁ?

Projeto de lei propõe acabar com a reserva legal em propriedades rurais

Os senadores Flávio Bolsonaro e Marcio Bittar apresentaram, nesta semana, uma proposta de mudança que pode trazer grandes impactos no código florestal brasileiro

19 de abril de 2019 às 20h20
Por CANAL RURAL

Os senadores Flávio Bolsonaro e Marcio Bittar apresentaram esta semana, um projeto de lei que propõe acabar com a reserva legal em propriedades rurais. De acordo com o código florestal, aprovado em 2012 depois de muita discussão, a área, cujo percentual varia de 20% a 80%, não pode ser desmatada. O comentarista Ricardo Alfonsin analisa a possível mudança, que já era consenso, dentro da bancada ruralista.

23 comentários

  1. firmino teodoro da silva em 19 de abril de 2019 às 20:36

    Iremos VIVER futuramente numa SAARA BRASILEIRA.

  2. Cesar em 19 de abril de 2019 às 21:32

    Até que enfim alguém neste Brasil tem a cabeça no lugar. É só quem tem propriedade rural é que tem que que preservar?

  3. Maria Tereza em 19 de abril de 2019 às 22:10

    Só podem estar loucos. Vai Virar deserto e barroca geral?

  4. Glauber Scungisqui Napoli em 20 de abril de 2019 às 00:48

    2 idiotas comentando, depois que o chicote estalar, vai bater na porteira de propriedade rural agroecológica pra comprar alimento.

  5. OSORIO DAL POZ FILHO em 20 de abril de 2019 às 06:58

    Parece que o Brasil esta mudando mesmo, essa reserva legal e um absurdo, jogam nas costas dos proprietários para que cuidem de matos e outras reservas para ` manter o ar mais puro, limpar a atmosfera etc etc. ´ nas costas do proprietário sem receber nada por isso mantendo por exemplo no região norte 80% da área inutilizada, ou seja sem produção nenhuma, isso e uma contrariedade sem tamanho, muito bem, quer ar puro entao pague pelo menos uma taxa de manutenção para que o “ trouxa´` la no mato cuide para eles das tais reservas ilegais.

  6. Ciro Siqueira em 20 de abril de 2019 às 11:53

    Nenhum dos dois comentaristas sabe do que está falando. A Reserva Legal foi criada pela Lei 4.771 de setembto de1965. Esse debate precisa ser qualificado. É um pena que um Canal do Agro como o Canal Rural não consiga fazer melhor do que esse programa que mais atrapalha do ajuda nesse debate já tão difícil.

  7. Benedito Sene em 21 de abril de 2019 às 07:05

    Quando elegemos um político, esperamos que contribuam para a construção, progresso e evolução da Nação e não para defenderem interesses pessoais ou de classes e muito menos para alterar leis que levem a retrocessos e desconstrução de algo que foi resultado de uma luta a favor de um bem coletivo maior

  8. Benedito Sene em 21 de abril de 2019 às 08:13

    Sobre as áreas do Norte brasileiro, tem que se rever o percentual.Certamente muitas riquezas se encontram em seus subsolos e devem,a seu tempo, serem exploradas. Quanto às áreas de reserva legal, desde que o resto do mundo pague para mantermos, não há problemas. Cada reserva tem suas característica e devem ser consideradas.

  9. SIMONE NOGARA em 21 de abril de 2019 às 16:19

    Gostaria que analizasem pois quem tem reserva legal e o carr e assim mesmo está enpedido de usar e usufruir do restante da terra e não podemos usar peso que ISO posa ser revisto para ampliar mais lavoura para mais sustento e ganho renda.
    PRECIDENTE DEPUTADOS E SENADORES OLHEM PELOS AGRICULTORES
    AGUMAS COUISAS TEM QUE MUDAR SOBRE RESERVA E CARR

  10. Valdeir em 24 de abril de 2019 às 15:22

    Lembre-se de cada adversidade que vem por 16 anos de PTralhas, pela misericórdia do Senhor foi vencida. Bolsonaro Presidente do Brasil… Esse é o Brasil que queremos.

    • Altair Simoes em 23 de maio de 2019 às 06:41

      Eu nasci no campo e vivo até hoje com 46 anos e falo que a coisa tá difícil para o produtor rural esse que quer ser correto ai os órgãos ambientais quer mostrar serviço em cima da gente quer tirar o couro da gente vivo
      Enquanto na cidade, basta você tirar um tempo de meia hora e olhar as ruas o tanto de coisas jogadas, ai só produtor que destrói ,falar é fácil,mas é aquele ditado macaco senta no rabo e fala do rabo alheio
      pronto falei

  11. Adnael Antonio Fiaschi em 24 de abril de 2019 às 15:25

    Essa imposição, da reserva legal (não sei até onde e´legal), me parece mais uma imposição de países que não querem que nos tornemos a maior potência mundial produtiva de alimentos. Não tenho conhecimento de tanta restrição para produção agrícola como neste país.
    Até acredito em fomentação externa para grupos políticos, em detrimento ao nosso interesse de produção.
    Mais do que nunca temos que acabar com urgência deste impecilho político.
    Obs. Trabalhei 20 anos em empresa estatal na área ambiental, e só via interesses de grupo.

  12. […] Projeto de lei propõe acabar com a reserva legal em propriedades rurais […]

  13. […] de lei, de autoria dos senadores Márcio Bittar (MDB-AC) e Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), que pede o fim da obrigatoriedade da área de Reserva Legal nas propriedades rurais. “Nós que passamos tanto tempo pra construir o Código Florestal, […]

  14. […] de lei, de autoria dos senadores Márcio Bittar (MDB-AC) e Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), que pede o fim da obrigatoriedade da área de reserva legal nas propriedades rurais. “Nós que passamos tanto tempo pra construir o Código Florestal, […]

  15. […] um momento em que os senadores Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e Márcio Bittar (MDB-AC) propuseram um projeto de lei que pede o fim da obrigatoriedade da área da reserva legal. Na maior parte do país, os […]

  16. […] um momento em que os senadores Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e Márcio Bittar (MDB-AC) propuseram um projeto de lei que pede o fim da obrigatoriedade da área da reserva legal. Na maior parte do país, os […]

  17. Altair Simoes em 23 de maio de 2019 às 06:42

    Eu nasci no campo e vivo até hoje com 46 anos e falo que a coisa tá difícil para o produtor rural esse que quer ser correto ai os órgãos ambientais quer mostrar serviço em cima da gente quer tirar o couro da gente vivo
    Enquanto na cidade, basta você tirar um tempo de meia hora e olhar as ruas o tanto de coisas jogadas, ai só produtor que destrói ,falar é fácil,mas é aquele ditado macaco senta no rabo e fala do rabo alheio
    pronto falei

  18. PAULO GOMES em 14 de junho de 2019 às 22:22

    A RESERVA LEGAL NÃO DEVE ACABAR… ELA É QUE GARANTE OS BENEFICIOS AMBIENTAIS NAS PROPRIEDADES DO BRASIL, TEM É QUE IMPLANTAR DE FORMA DEFINITIVA O PSA – PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS.

  19. Bernardo Gomes Barbosa em 16 de junho de 2019 às 14:08

    Se acontecer isto o Brasil irá entrar no primeiro mundo; com certeza. Pois existe área que não pode ser planta nem 30 por cento da área pois está registrada apenas 20 por cento de reserva legal; mas o IBAMA não admite fazer todo seu aproveitamento; pois embargou e multou está área para não deixar o agricultor desenvolver a sua área; isto tem por traz as ONGs junto com o IBAMA; isto é uma vergonha; deixar este Órgão não deixar o Brasil levantar o PIB pois é o único recurso que tem para entrar no primeiro mundo devido a tecnologia de ponta que exerce dentro da agricultura do Brasil e do mundo; sabido que irá ser o celeiro do mundo caso não for podado por Órgãos e ONGs que limita o Brasil crescer e alimentar o mundo. Atualmente saiu Lei 13838 aprovada pelo Senado e sancionada pelo nosso presidente; mas estão provando que Legislativo e Executivo; não tem voz ativa no Brasil, esta Lei quem irá deferi-la será o poder Judiciário único Órgão que defini as regras e normas do Brasil já que Órgão Público; Cartorio e outros não estão acatando o legislativo e nem o executivo; isto é uma vergonha para estes dois poderes, mas é a mais pura verdade; ainda bem que temos este poder judiciário que coloca ordens aonde não existe.

  20. gilvan em 18 de junho de 2019 às 15:11

    Comentários ridículos
    A questão ambiental e de sobrevivência da nação.de Soberania nacional. Acabe com elas e teremos colapsos na sociedade. Vão revisar as aulas de biologia senhores

  21. Paulo em 25 de junho de 2019 às 04:57

    Os advogados…economistas…comentaristas e lobistas não entendem a importância da floresta na preservação da água e manutenção da diversidade das espécies…Deveriam falar com um biólogo antes de proferirem bobagens em rede nacional…Quanto aos produtores rurais…vão muito bem…obrigado !!!

  22. Roberto em 11 de agosto de 2019 às 19:17

    Enquanto outros Países estão ganhando muito dinheiro e ganharão mais com Agronegócio Sustentável, aqui, alguns “birutas”, que nunca pisaram numa propriedade rural nem em áreas de preservação ambiental, ou não sabem seus valores reais, colocam nossos produtos agrícolas em risco. Nossos pequenos e grandes Produtores Rurais não podem cair nessa lábia baixa. Devem reagir e pressionar por mais maturidade política. Negócios estão em jogo! Muitos compradores no Exterior compram nossos produtos também pautados por esse Código Florestal, pela pauta de preservação ambiental. Queremos perder credibilidade, mercados e o mais importante, perder empregos?! Somos uma potência na Economia AGRO mundial, mas se deixarmos nos convencer por gente que se baseia mais em “Twinter” que em dados científicos e econômicos, ou que não conhecem bem o Setor da Agricultura brasileira, teremos o Campo definhando! Os Avanços que tivemos em 40 anos podem ser perdidos em 04 anos!

Deixe um Comentário





Mais Notícias