Início » Notícias da Agropecuária » Programas » Informação » Rural Notícias » Produção de alimentos para consumo próprio cresceu 25% em 2 anos, diz IBGE

AUTOSSUFICIÊNCIA

Produção de alimentos para consumo próprio cresceu 25% em 2 anos, diz IBGE

Levantamento aponta que aumentou o número de pessoas que desempenham atividade não remunerada

26 de abril de 2019 às 21h00
Por Canal Rural

Uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que em 2018 houve aumento no número de pessoas que desempenham algum tipo de atividade não remunerada no país. O instituto investigou quatro formas de trabalho que, se fossem remuneradas, poderiam agregar valor ao PIB do país: afazeres domésticos, cuidados de pessoas, produção para consumo próprio e trabalho voluntário. De acordo com o levantamento, aproximadamente 148 milhões de brasileiros realizaram pelo menos um tipo de trabalho não remunerado, 10 milhões a mais que em 2016.

A produção de alimento para o próprio consumo foi a atividade que mais cresceu no período – alta de 25% em dois anos, alcançando pelo menos 13 milhões de brasileiros. O comentarista Miguel Daoud analisa a pesquisa e aponta crescimento de autossuficiência da população na produção de alimento e o impacto econômico disso.

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Programas » Informação » Rural Notícias » Produção de alimentos para consumo próprio cresceu 25% em 2 anos, diz IBGE

AUTOSSUFICIÊNCIA

Produção de alimentos para consumo próprio cresceu 25% em 2 anos, diz IBGE

Levantamento aponta que aumentou o número de pessoas que desempenham atividade não remunerada

26 de abril de 2019 às 21h00
Por Canal Rural

Uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que em 2018 houve aumento no número de pessoas que desempenham algum tipo de atividade não remunerada no país. O instituto investigou quatro formas de trabalho que, se fossem remuneradas, poderiam agregar valor ao PIB do país: afazeres domésticos, cuidados de pessoas, produção para consumo próprio e trabalho voluntário. De acordo com o levantamento, aproximadamente 148 milhões de brasileiros realizaram pelo menos um tipo de trabalho não remunerado, 10 milhões a mais que em 2016.

A produção de alimento para o próprio consumo foi a atividade que mais cresceu no período – alta de 25% em dois anos, alcançando pelo menos 13 milhões de brasileiros. O comentarista Miguel Daoud analisa a pesquisa e aponta crescimento de autossuficiência da população na produção de alimento e o impacto econômico disso.

Deixe um Comentário





Mais Notícias