FILHO DO PRESIDENTE

Senador eleito Flávio Bolsonaro é acusado de receber dinheiro ilegal

Um relatório do conselho de controle de atividades financeiras apontou um movimentação incomum de R$ 1,2 milhões em uma conta no nome de um ex-assessor do político

O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta, do Rio Grande do Sul, entrou com representação criminal na Procuradoria Geral da República contra o senador eleito Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito. O petista solicita que sejam investigados repasses de dinheiro ilegal.

O pedido se baseia na reportagem publicada pelo jornal ‘O Estado de São Paulo’, que mostrou um relatório do conselho de controle de atividades financeiras e apontou uma movimentação incomum de R$ 1,2 milhão em uma conta no nome de um ex-assessor de Flávio Bolsonaro, entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017. O assessor, Fabrício José Carlos de Queiroz, que também atuava como motorista e como segurança do deputado, foi exonerado do gabinete do político em outubro deste ano.

Além disso, uma das transações na conta de Queiroz citadas no relatório é um cheque de R$ 24 mil destinado à futura primeira-dama Michelle Bolsonaro. O documento foi anexado pelo Ministério Público Federal à investigação que deu origem à operação Furna da Onça, realizada no mês passado e que levou à prisão dez deputados estaduais da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

De acordo com o comentarista João Batista Olivi, Jair Bolsonaro não pode permitir que suspeitas deteriorem a confiança de seu governo.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Assine grátis a melhor newsletter sobre agronegócios do Brasil