Início » Notícias da Agropecuária » Programas » Informação » Mercado e Cia » Produtor de café do Espírito Santo tem prejuízo de R$ 55 por saca

BAIXOS PREÇOS DO GRÃO

Produtor de café do Espírito Santo tem prejuízo de R$ 55 por saca

De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), cafeicultor deve diminuir investimentos em fertilizantes e defensivos na próxima safra  

22 de agosto de 2019 às 15h46
Por Canal Rural

Os produtores de café conilon no Espírito Santo estão operando com prejuízo de R$ 55 por saca nesta safra. Segundo levantamento do projeto Campo Futuro, elaborado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), para o arábica, o prejuízo é de R$ 17 por saca.

Maciel Silva, coordenador de produção agrícola da entidade, explica que o aumento de custo se dá pelo maior custo da mão-de-obra. Apesar dessa elevação, ele comenta que a alta ainda segue taxas normais dos anos anteriores e que o pior problema são os baixos preços pago pelo grão.

“A redução no preço de janeiro a julho foi de 10% para o conilon. A crise no estado já se acumula há alguns anos por problemas climáticos”, diz.

A expectativa é que para a próxima safra, os produtores rurais diminuam o investimento em fertilizantes e defensivos, fato que poderia reduzir a produção no estado.

Deixe um Comentário





Sorry, we couldn't find any posts. Please try a different search.

Início » Notícias da Agropecuária » Programas » Informação » Mercado e Cia » Produtor de café do Espírito Santo tem prejuízo de R$ 55 por saca

BAIXOS PREÇOS DO GRÃO

Produtor de café do Espírito Santo tem prejuízo de R$ 55 por saca

De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), cafeicultor deve diminuir investimentos em fertilizantes e defensivos na próxima safra  

22 de agosto de 2019 às 15h46
Por Canal Rural

Os produtores de café conilon no Espírito Santo estão operando com prejuízo de R$ 55 por saca nesta safra. Segundo levantamento do projeto Campo Futuro, elaborado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), para o arábica, o prejuízo é de R$ 17 por saca.

Maciel Silva, coordenador de produção agrícola da entidade, explica que o aumento de custo se dá pelo maior custo da mão-de-obra. Apesar dessa elevação, ele comenta que a alta ainda segue taxas normais dos anos anteriores e que o pior problema são os baixos preços pago pelo grão.

“A redução no preço de janeiro a julho foi de 10% para o conilon. A crise no estado já se acumula há alguns anos por problemas climáticos”, diz.

A expectativa é que para a próxima safra, os produtores rurais diminuam o investimento em fertilizantes e defensivos, fato que poderia reduzir a produção no estado.

Deixe um Comentário





Mais Notícias

Sorry, we couldn't find any posts. Please try a different search.