Início » Notícias da Agropecuária » Programas » Informação » Mercado e Cia » Impasse sobre tabela do frete gera dúvidas entre tradings, diz analista 

MUDANÇAS DE ÚLTIMA HORA

Impasse sobre tabela do frete gera dúvidas entre tradings, diz analista 

Em ofício encaminhado à ANTT, o ministro Tarcísio Gomes de Freitas afirma que foi observada “uma insatisfação em parcela significativa dos agentes de transporte”

22 de julho de 2019 às 17h46
Por Canal Rural

 O Ministério da Infraestrutura formalizou nesta segunda-feira, dia 22, um pedido à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para suspensão cautelar da nova tabela de frete publicada na última semana.

Em ofício encaminhado à ANTT, o ministro Tarcísio Gomes de Freitas afirma que foi observada “uma insatisfação em parcela significativa dos agentes de transporte” e que “diferenças conceituais quanto ao valor do frete e o piso mínimo que pode repercutir na remuneração final dos caminhoneiros” devem ser novamente discutidas com a categoria.

Freitas já havia dito para caminhoneiros, em um áudio obtido pela Agência Estado, que o governo iria revogar a tabela de fretes. Ainda segundo ele, o governo quer “acertar os pontos” com a categoria dos caminhoneiros.

Para Paulo Molinari, analista da Safras & Mercado, a possível revogação da nova tabela está causando dúvidas entre os que precisam fechar negócios, pois há um impasse sobre em quais preços se orientar no momento.

“Estamos com uma safrinha gigante, quase 75 milhões de toneladas, a maior da história. E nós precisamos escoar cerca de 40 milhões de toneladas para exportação. O grande problema agora é que as tradings estão começando a ter dúvidas sobre qual frete fechar e qual valor cobrar para os negócios a partir de setembro”, disse.

2 comentários

  1. Adilson Garcia Miranda em 22 de julho de 2019 às 19:18

    Parece que o Ministro Tarcísio não tem conhecimento sobre o projeto de liberdade econômica do governo, não sabe o que é oligopólio, formação de carteis , livre concorrência, e economia liberal; Porém o seu favorecimento aos caminhoneiros é maravilhoso, desrespeitando essa nova lei que também é inconstitucional, lei a qual determinou audiências públicas para cálculo da nova tabela. Cálculo este que desagradou os Sindicatos, do qual os governos medrosos são refém. Tomara que o supremo tenha coragem e conhecimento jurídico, para ser justo no julgamento desta tabela. Ou será que ninguém tem coragem para impor a lei, e o negócio é prevaricar.

  2. Adilson Garcia Miranda em 22 de julho de 2019 às 19:37

    Parece que o ministro Tarcísio não tem conhecimento sobre o projeto de liberdade econômica do governo, não sabe o que é oligopólio, formação de carteis, livre concorrência, Economia Liberal. Porém seu favorecimento aos Caminhoneiros é Maravilhoso. Desrespeitando essa nova lei do governo que também é inconstitucional, lei a qual determina audiências públicas, para cálculo da nova tabela. Cálculo este, que desagradou os sindicatos, do qual os governos medrosos são refém. Tomara que o Supremo tenha coragem e conhecimento jurídico, para ser justo no julgamento desta tabela, a não ser que nos assuntos polêmicos, o negócio é fazer cara de paisagem, e uma exceção na prevaricação.

Deixe um Comentário





Sorry, we couldn't find any posts. Please try a different search.

Início » Notícias da Agropecuária » Programas » Informação » Mercado e Cia » Impasse sobre tabela do frete gera dúvidas entre tradings, diz analista 

MUDANÇAS DE ÚLTIMA HORA

Impasse sobre tabela do frete gera dúvidas entre tradings, diz analista 

Em ofício encaminhado à ANTT, o ministro Tarcísio Gomes de Freitas afirma que foi observada “uma insatisfação em parcela significativa dos agentes de transporte”

22 de julho de 2019 às 17h46
Por Canal Rural

 O Ministério da Infraestrutura formalizou nesta segunda-feira, dia 22, um pedido à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para suspensão cautelar da nova tabela de frete publicada na última semana.

Em ofício encaminhado à ANTT, o ministro Tarcísio Gomes de Freitas afirma que foi observada “uma insatisfação em parcela significativa dos agentes de transporte” e que “diferenças conceituais quanto ao valor do frete e o piso mínimo que pode repercutir na remuneração final dos caminhoneiros” devem ser novamente discutidas com a categoria.

Freitas já havia dito para caminhoneiros, em um áudio obtido pela Agência Estado, que o governo iria revogar a tabela de fretes. Ainda segundo ele, o governo quer “acertar os pontos” com a categoria dos caminhoneiros.

Para Paulo Molinari, analista da Safras & Mercado, a possível revogação da nova tabela está causando dúvidas entre os que precisam fechar negócios, pois há um impasse sobre em quais preços se orientar no momento.

“Estamos com uma safrinha gigante, quase 75 milhões de toneladas, a maior da história. E nós precisamos escoar cerca de 40 milhões de toneladas para exportação. O grande problema agora é que as tradings estão começando a ter dúvidas sobre qual frete fechar e qual valor cobrar para os negócios a partir de setembro”, disse.

2 comentários

  1. Adilson Garcia Miranda em 22 de julho de 2019 às 19:18

    Parece que o Ministro Tarcísio não tem conhecimento sobre o projeto de liberdade econômica do governo, não sabe o que é oligopólio, formação de carteis , livre concorrência, e economia liberal; Porém o seu favorecimento aos caminhoneiros é maravilhoso, desrespeitando essa nova lei que também é inconstitucional, lei a qual determinou audiências públicas para cálculo da nova tabela. Cálculo este que desagradou os Sindicatos, do qual os governos medrosos são refém. Tomara que o supremo tenha coragem e conhecimento jurídico, para ser justo no julgamento desta tabela. Ou será que ninguém tem coragem para impor a lei, e o negócio é prevaricar.

  2. Adilson Garcia Miranda em 22 de julho de 2019 às 19:37

    Parece que o ministro Tarcísio não tem conhecimento sobre o projeto de liberdade econômica do governo, não sabe o que é oligopólio, formação de carteis, livre concorrência, Economia Liberal. Porém seu favorecimento aos Caminhoneiros é Maravilhoso. Desrespeitando essa nova lei do governo que também é inconstitucional, lei a qual determina audiências públicas, para cálculo da nova tabela. Cálculo este, que desagradou os sindicatos, do qual os governos medrosos são refém. Tomara que o Supremo tenha coragem e conhecimento jurídico, para ser justo no julgamento desta tabela, a não ser que nos assuntos polêmicos, o negócio é fazer cara de paisagem, e uma exceção na prevaricação.

Deixe um Comentário





Mais Notícias

Sorry, we couldn't find any posts. Please try a different search.