Início » Notícias da Agropecuária » Programas » Informação » Mercado e Cia » Está mais rentável plantar milho no Sul do país do que soja, diz CNA

PRIMEIRA SAFRA

Está mais rentável plantar milho no Sul do país do que soja, diz CNA

De acordo com a entidade, se não houver problemas climáticos no ciclo 2019/2020, o milho deve ter rentabilidade entre R$ 1.000 e R$ 1.200, contra R$ 800 a R$ 1.100 da soja

09 de agosto de 2019 às 15h12
Por Canal Rural

O custo de produção do milho primeira safra, na temporada 2019/2020, deve ter um aumento entre 8% e 10% em regiões produtoras do Sul, na Bahia e em Minas Gerais, segundo estimativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Apesar deste cenário, em regiões do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, os bons preços para janeiro e fevereiro, devem fazer com que produtores optem pelo cereal ao invés da soja.

“Grande parte deste aumento (dos custos) acontece por causa dos preços dos fertilizantes, defensivos e sementes. Mesmo assim, o milho ainda está sendo competitivo para a próxima safra em regiões do Sul, onde o mercado é aquecido”, comenta o assessor da entidade Alan Malinski.

Segundo ele, para o ciclo 2019/2020, a rentabilidade do cereal deve ficar muito próxima da soja. “(O milho) deve competir com a soja porque a rentabilidade, se não houver nenhum problema climático, deve ficar entre R$ 1.000 e R$ 1.200. Hoje, na soja se tem R$ 800 a R$ 1.100, ou seja, a rentabilidade da soja fica muito próxima ou até abaixo do milho”, comenta.

Além disso, Malinski ressalta os benefícios agronômicos que o cereal pode trazer em um sistema de rotação de culturas. “O milho traz agregação de valor para quem faz rotação de culturas, os benefícios agronômicos que o milho acaba agregando pode tornar o cultivo do grão ainda mais vantajoso”, relata.

Já em regiões da Bahia e Maranhão, o milho não deve ser tão rentável neste ciclo. Isso porque o algodão ainda é a melhor alternativa em questão de competitividade depois da soja. “O produtor que deixa de plantar soja vai para o algodão ao invés do milho. Por mais que o preço do milho esteja favorável, nessas regiões ainda é mais rentável plantar a soja”, afirma.

1 comentário

  1. Edson Terres soares em 9 de agosto de 2019 às 20:53

    Olha planto milho todos os anos, meu terreno é de aproximadamente 7.000 m(sete mil metros quadrados). Minhas colheitas ficam em torno de 150 ,140 sacos , no pedaço, me sobra no final(lucro) em torno de 1200 a 1500 reais. Soja: 40 sacos, lucro: não chega a 1000 reais vejam bem, pago tudo, desde o plantio até a colheita. Imaginem se eu fosse agregar? Porco, galinhas? Milho, o milho é e sempre foi a roda que move o sistema de alimentação em todos os segmentos.

Deixe um Comentário





Sorry, we couldn't find any posts. Please try a different search.

Início » Notícias da Agropecuária » Programas » Informação » Mercado e Cia » Está mais rentável plantar milho no Sul do país do que soja, diz CNA

PRIMEIRA SAFRA

Está mais rentável plantar milho no Sul do país do que soja, diz CNA

De acordo com a entidade, se não houver problemas climáticos no ciclo 2019/2020, o milho deve ter rentabilidade entre R$ 1.000 e R$ 1.200, contra R$ 800 a R$ 1.100 da soja

09 de agosto de 2019 às 15h12
Por Canal Rural

O custo de produção do milho primeira safra, na temporada 2019/2020, deve ter um aumento entre 8% e 10% em regiões produtoras do Sul, na Bahia e em Minas Gerais, segundo estimativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Apesar deste cenário, em regiões do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, os bons preços para janeiro e fevereiro, devem fazer com que produtores optem pelo cereal ao invés da soja.

“Grande parte deste aumento (dos custos) acontece por causa dos preços dos fertilizantes, defensivos e sementes. Mesmo assim, o milho ainda está sendo competitivo para a próxima safra em regiões do Sul, onde o mercado é aquecido”, comenta o assessor da entidade Alan Malinski.

Segundo ele, para o ciclo 2019/2020, a rentabilidade do cereal deve ficar muito próxima da soja. “(O milho) deve competir com a soja porque a rentabilidade, se não houver nenhum problema climático, deve ficar entre R$ 1.000 e R$ 1.200. Hoje, na soja se tem R$ 800 a R$ 1.100, ou seja, a rentabilidade da soja fica muito próxima ou até abaixo do milho”, comenta.

Além disso, Malinski ressalta os benefícios agronômicos que o cereal pode trazer em um sistema de rotação de culturas. “O milho traz agregação de valor para quem faz rotação de culturas, os benefícios agronômicos que o milho acaba agregando pode tornar o cultivo do grão ainda mais vantajoso”, relata.

Já em regiões da Bahia e Maranhão, o milho não deve ser tão rentável neste ciclo. Isso porque o algodão ainda é a melhor alternativa em questão de competitividade depois da soja. “O produtor que deixa de plantar soja vai para o algodão ao invés do milho. Por mais que o preço do milho esteja favorável, nessas regiões ainda é mais rentável plantar a soja”, afirma.

1 comentário

  1. Edson Terres soares em 9 de agosto de 2019 às 20:53

    Olha planto milho todos os anos, meu terreno é de aproximadamente 7.000 m(sete mil metros quadrados). Minhas colheitas ficam em torno de 150 ,140 sacos , no pedaço, me sobra no final(lucro) em torno de 1200 a 1500 reais. Soja: 40 sacos, lucro: não chega a 1000 reais vejam bem, pago tudo, desde o plantio até a colheita. Imaginem se eu fosse agregar? Porco, galinhas? Milho, o milho é e sempre foi a roda que move o sistema de alimentação em todos os segmentos.

Deixe um Comentário





Mais Notícias

Sorry, we couldn't find any posts. Please try a different search.