Início » Notícias da Agropecuária » Programas » Informação » Mercado e Cia » Cotações em alta impulsionam venda de grãos

Cotações em alta impulsionam venda de grãos

A soja e o milho estão em alta na bolsa de Chicago, nesta segunda, dia 25. De acordo com o diretor de Commodities da INTL FCStone, Glauco Monte, vários fatores contribuem para isso, como as perdas de produção na Argentina – já que qualquer problema na América do Sul gera mais demanda para os Estados…

25 de abril de 2016 às 14h30
Por

A soja e o milho estão em alta na bolsa de Chicago, nesta segunda, dia 25. De acordo com o diretor de Commodities da INTL FCStone, Glauco Monte, vários fatores contribuem para isso, como as perdas de produção na Argentina – já que qualquer problema na América do Sul gera mais demanda para os Estados Unidos, e a própria competitividade dos norte-americanos, que mantém um ritmo de exportações melhor devido à queda do dólar. Além disso, o pré-plantio também coloca um pouco de risco sobre o preço. Segundo Monte, as altas devem impulsionar as vendas, pois a relação de troca melhorou, inclusive para a próxima safra.

CATEGORIAS:

Deixe um Comentário





SAFRAS & MERCADO

Análise: tensão entre EUA e China não afeta milho

15/06/2018 às 14h22

ANÁLISE

MT: falta de armazéns adia colheita do milho

15/06/2018 às 14h21

ANÁLISE

Ação do Banco Central faz dólar desvalorizar

15/06/2018 às 14h18
Início » Notícias da Agropecuária » Programas » Informação » Mercado e Cia » Cotações em alta impulsionam venda de grãos

Cotações em alta impulsionam venda de grãos

A soja e o milho estão em alta na bolsa de Chicago, nesta segunda, dia 25. De acordo com o diretor de Commodities da INTL FCStone, Glauco Monte, vários fatores contribuem para isso, como as perdas de produção na Argentina – já que qualquer problema na América do Sul gera mais demanda para os Estados…

25 de abril de 2016 às 14h30
Por

A soja e o milho estão em alta na bolsa de Chicago, nesta segunda, dia 25. De acordo com o diretor de Commodities da INTL FCStone, Glauco Monte, vários fatores contribuem para isso, como as perdas de produção na Argentina – já que qualquer problema na América do Sul gera mais demanda para os Estados Unidos, e a própria competitividade dos norte-americanos, que mantém um ritmo de exportações melhor devido à queda do dólar. Além disso, o pré-plantio também coloca um pouco de risco sobre o preço. Segundo Monte, as altas devem impulsionar as vendas, pois a relação de troca melhorou, inclusive para a próxima safra.

CATEGORIAS:

Deixe um Comentário





Mais Notícias