Início » Notícias da Agropecuária » Programas » Informação » Rural Notícias » Embrapa é vítima de agrotóxico falso

AGROTÓXICOS SOB SUSPEITA

Embrapa é vítima de agrotóxico falso

Mesmo seguindo todos os trâmites corretos da Lei das Licitações, maior empresa de pesquisa agronômica brasileira foi enganada por falsificadoresNo mercado ilegal de agrotóxicos há um crime ainda mais grave que o contrabando: a falsificação. Um golpe que pegou até mesmo a maior empresa de pesquisa agronômica do Brasil: a Embrapa.

25 de março de 2015 às 18h51
Por João Henrique Bosco | Londrina (PR)

Fonte: Canal Rural

Na terceira reportagem da série sobre agrotóxicos ilegais, descobrimos que a ousadia das quadrilhas que comercializam e falsificam produtos agropecuários não tem limites. Produtos falsos são vendidos até mesmo em licitações públicas. Um esquema tão sofisticado que enganou até mesmo a Embrapa Soja, em Londrina.

O chefe adjunto de Administração Embrapa Londrina, Fábio Álvares de Oliveira, conta que o processo de aquisição de um lote de inseticidas para a estação de pesquisa aconteceu dentro dos trâmites legais determinados pela Lei de Licitações. Das empresas que participaram, uma era fornecedora habitual e outra nova no processo. Até aí, nenhum motivo para desconfiança.

– O produto ficou armazenado no almoxarifado e durante o período de safra, ao ser utilizado pelas equipes técnicas, a gente começou a receber reclamação dos técnicos – conta Oliveira.

No início os pesquisadores acharam que o problema estava nas pragas. O percevejo talvez estivesse mais resistente ao inseticida. Mas quando as aplicações não fizeram nenhum efeito na lavoura experimental, desconfiaram que o produto era falso, o que foi comprovado por análise em laboratório.

– São modificações muito sutis feitas no rótulo da embalagem, um leigo não conseguiria identificar a menos que tivesse dois produtos, o verdadeiro ou o falsificado para identificar – aponta Oliveira.

O caso mostra um cenário assustador: as falsificações estão cada vez mais bem-feitas. Prejuízo financeiro e científico para o principal e mais repeitado órgão de pesquisa sobre a soja no Brasil.

A Embrapa renegociou com as duas empresas e ambas substituíram os produtos falsos e não estão proibidas de participar em futuras licitações. De acordo com Fábio de Oliveira, considerando as regras da licitação, após a substituição integral dos produtos a empresa fica em situação regular frente a Embrapa.

Mas a troca dos produtos falsos não livrou as empresas de uma investigação policial. Depois de autuar as fornecedoras, a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) abriu um processo administrativo e colocou a Polícia Federal no caso. O chefe do Núcleo Regional de Londrina da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab), Antonio Carlos Barreto, diz que o fato da Embrapa ter feito acordo para devolver os produtos falsos não muda a disposição do governo paranaense de desbaratar o esquema de falsificação.

Editado por Gisele Neuls

RESPOSTA DA EMPRESA NORTVERDE

No dia 31 de março, a  empresa Nortverde, uma das duas envolvidas na venda de agroquímicos falsificados para a Embrapa Londrina, solicitou ao Canal Rural direito de resposta à reportagem. Veja a íntegra da nota enviada pela empresa:

A empresa Nortverde Comércio de Produtos Agropecuários Ltda, em resposta à reportagem exibida por esse respeitável Canal em 25 de março de 2015, vem a público esclarecer:
 
1. A empresa foi constituída em 2006 e desde a sua fundação sempre primou pela ética e honestidade em suas operações.

2. Dentro dos princípios da legalidade, essa empresa participou e participa de certames licitatórios e, por conta de duas dessas licitações, vendeu o produto Engeo Pleno (310 litros) à Embrapa Soja/Londrina.

3. Nesse compromisso comercial, sempre cumpriu com suas obrigações. Aliás, conforme comprova a própria Embrapa Soja/Londrina através dos atestados de capacidade técnica que seguem em anexo.
 
4. Cumpre esclarecer que tendo sido vencedora dos citados certames licitatórios para fornecimento desses 310 litros (02 vendas) ambas do produto Engeo Pleno, à Emprapa Soja/Londrina, o adquirimos através das Notas Fiscais nºs 158 da empresa João Alves Batista e nota fiscal nº 836 da empresa Agropecuária Ouro Verde Ltda, as duas estabelecidas no estado de Goiás. Frise-se, por oportuno, que essas negociações foram feitas por intermédio da Corretora de Defensivos “Figueira” (doc. incluso).
 
5. Todavia, quando tudo parecia normal e tranquilo, a Nortverde foi surpreendida com notificação endereçada pela Embrapa Soja/Londrina, dando conta de que após análise constatou que se tratava de produto falsificado.

6. Ainda pasmada com o inesperado fato, a Nortverde incontinenti e de modo simultâneo notificou a corretora e ambas as empresas, cientificando-as do ocorrido.
 
7. A partir daí, descobriu-se que na verdade as duas empresas citadas formam um mesmo grupo empresarial.
 
8. Ocorre, porém, que sabedora da ocorrência, a empresa “Agropecuária Ouro Verde Ltda”, de pronto assumiu toda a responsabilidade pelo acontecido e, e sem nenhuma delonga, substituiu e repôs a totalidade do produto vendido nas duas etapas (vide inerente Nota Fiscal nº 1.047 de reposição total emitida pela empresa Ouro Verde).
 
9. A Nortverde, de seu turno, mesmo antes de ser chamada, procurando demonstrar sua boa-fé no episódio, antecipou-se e levou o fato com todas as provas ao conhecimento da Polícia Federal e à Adapar (vide denúncia e protocolo inclusos).
 
10. Por conseguinte, a farta documentação aqui acostada demonstra e comprova, à saciedade, que a empresa Nortverde Comércio de Produtos Argopecuários Ltda, também foi e é vítima do ocorrido, pois é incontroverso que desconhecia e ignorava a origem do produto que a adquirente embrapa soja apurou ser objeto de falsificação.
 
Posto isso, respeitosamente solicita a retificação da matéria/notícia a fim de restabelecer a verdade dos fatos e também para que não paire qualquer suspeita ou sequer qualquer dúvida sobre a signatária que agiu da forma mais escorreita possível.
 
Na expectativa da pronta e costumeira atenção desse conceituado programa e certos do deferimento e da justiça do pleiteado, nos colocamos à disposição para outros eventuais esclarecimentos.
 
Nortverde Comércio de Produtos Agropecuários Ltda
Admar Pucci Júnior

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Programas » Informação » Rural Notícias » Embrapa é vítima de agrotóxico falso

AGROTÓXICOS SOB SUSPEITA

Embrapa é vítima de agrotóxico falso

Mesmo seguindo todos os trâmites corretos da Lei das Licitações, maior empresa de pesquisa agronômica brasileira foi enganada por falsificadoresNo mercado ilegal de agrotóxicos há um crime ainda mais grave que o contrabando: a falsificação. Um golpe que pegou até mesmo a maior empresa de pesquisa agronômica do Brasil: a Embrapa.

25 de março de 2015 às 18h51
Por João Henrique Bosco | Londrina (PR)

Fonte: Canal Rural

Na terceira reportagem da série sobre agrotóxicos ilegais, descobrimos que a ousadia das quadrilhas que comercializam e falsificam produtos agropecuários não tem limites. Produtos falsos são vendidos até mesmo em licitações públicas. Um esquema tão sofisticado que enganou até mesmo a Embrapa Soja, em Londrina.

O chefe adjunto de Administração Embrapa Londrina, Fábio Álvares de Oliveira, conta que o processo de aquisição de um lote de inseticidas para a estação de pesquisa aconteceu dentro dos trâmites legais determinados pela Lei de Licitações. Das empresas que participaram, uma era fornecedora habitual e outra nova no processo. Até aí, nenhum motivo para desconfiança.

– O produto ficou armazenado no almoxarifado e durante o período de safra, ao ser utilizado pelas equipes técnicas, a gente começou a receber reclamação dos técnicos – conta Oliveira.

No início os pesquisadores acharam que o problema estava nas pragas. O percevejo talvez estivesse mais resistente ao inseticida. Mas quando as aplicações não fizeram nenhum efeito na lavoura experimental, desconfiaram que o produto era falso, o que foi comprovado por análise em laboratório.

– São modificações muito sutis feitas no rótulo da embalagem, um leigo não conseguiria identificar a menos que tivesse dois produtos, o verdadeiro ou o falsificado para identificar – aponta Oliveira.

O caso mostra um cenário assustador: as falsificações estão cada vez mais bem-feitas. Prejuízo financeiro e científico para o principal e mais repeitado órgão de pesquisa sobre a soja no Brasil.

A Embrapa renegociou com as duas empresas e ambas substituíram os produtos falsos e não estão proibidas de participar em futuras licitações. De acordo com Fábio de Oliveira, considerando as regras da licitação, após a substituição integral dos produtos a empresa fica em situação regular frente a Embrapa.

Mas a troca dos produtos falsos não livrou as empresas de uma investigação policial. Depois de autuar as fornecedoras, a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) abriu um processo administrativo e colocou a Polícia Federal no caso. O chefe do Núcleo Regional de Londrina da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab), Antonio Carlos Barreto, diz que o fato da Embrapa ter feito acordo para devolver os produtos falsos não muda a disposição do governo paranaense de desbaratar o esquema de falsificação.

Editado por Gisele Neuls

RESPOSTA DA EMPRESA NORTVERDE

No dia 31 de março, a  empresa Nortverde, uma das duas envolvidas na venda de agroquímicos falsificados para a Embrapa Londrina, solicitou ao Canal Rural direito de resposta à reportagem. Veja a íntegra da nota enviada pela empresa:

A empresa Nortverde Comércio de Produtos Agropecuários Ltda, em resposta à reportagem exibida por esse respeitável Canal em 25 de março de 2015, vem a público esclarecer:
 
1. A empresa foi constituída em 2006 e desde a sua fundação sempre primou pela ética e honestidade em suas operações.

2. Dentro dos princípios da legalidade, essa empresa participou e participa de certames licitatórios e, por conta de duas dessas licitações, vendeu o produto Engeo Pleno (310 litros) à Embrapa Soja/Londrina.

3. Nesse compromisso comercial, sempre cumpriu com suas obrigações. Aliás, conforme comprova a própria Embrapa Soja/Londrina através dos atestados de capacidade técnica que seguem em anexo.
 
4. Cumpre esclarecer que tendo sido vencedora dos citados certames licitatórios para fornecimento desses 310 litros (02 vendas) ambas do produto Engeo Pleno, à Emprapa Soja/Londrina, o adquirimos através das Notas Fiscais nºs 158 da empresa João Alves Batista e nota fiscal nº 836 da empresa Agropecuária Ouro Verde Ltda, as duas estabelecidas no estado de Goiás. Frise-se, por oportuno, que essas negociações foram feitas por intermédio da Corretora de Defensivos “Figueira” (doc. incluso).
 
5. Todavia, quando tudo parecia normal e tranquilo, a Nortverde foi surpreendida com notificação endereçada pela Embrapa Soja/Londrina, dando conta de que após análise constatou que se tratava de produto falsificado.

6. Ainda pasmada com o inesperado fato, a Nortverde incontinenti e de modo simultâneo notificou a corretora e ambas as empresas, cientificando-as do ocorrido.
 
7. A partir daí, descobriu-se que na verdade as duas empresas citadas formam um mesmo grupo empresarial.
 
8. Ocorre, porém, que sabedora da ocorrência, a empresa “Agropecuária Ouro Verde Ltda”, de pronto assumiu toda a responsabilidade pelo acontecido e, e sem nenhuma delonga, substituiu e repôs a totalidade do produto vendido nas duas etapas (vide inerente Nota Fiscal nº 1.047 de reposição total emitida pela empresa Ouro Verde).
 
9. A Nortverde, de seu turno, mesmo antes de ser chamada, procurando demonstrar sua boa-fé no episódio, antecipou-se e levou o fato com todas as provas ao conhecimento da Polícia Federal e à Adapar (vide denúncia e protocolo inclusos).
 
10. Por conseguinte, a farta documentação aqui acostada demonstra e comprova, à saciedade, que a empresa Nortverde Comércio de Produtos Argopecuários Ltda, também foi e é vítima do ocorrido, pois é incontroverso que desconhecia e ignorava a origem do produto que a adquirente embrapa soja apurou ser objeto de falsificação.
 
Posto isso, respeitosamente solicita a retificação da matéria/notícia a fim de restabelecer a verdade dos fatos e também para que não paire qualquer suspeita ou sequer qualquer dúvida sobre a signatária que agiu da forma mais escorreita possível.
 
Na expectativa da pronta e costumeira atenção desse conceituado programa e certos do deferimento e da justiça do pleiteado, nos colocamos à disposição para outros eventuais esclarecimentos.
 
Nortverde Comércio de Produtos Agropecuários Ltda
Admar Pucci Júnior

Deixe um Comentário





Mais Notícias