COMÉRCIO INTERNACIONAL

Tarifas: Chanceler do México diz que há 80% de chance de acordo com os EUA

Analistas acreditam que possível taxação sobre as importações vindas do México, anunciada por Trump, poderia abrir mercado para o milho brasileiro

Donald Trump, EUA, Estados Unidos
Foto: Shealah Craighead/ The White House

De Washington, nos EUA, o ministro de Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, afirmou que um entendimento com os Estados Unidos para evitar a entrada em vigor de tarifas de 5% é factível e desejável e disse que há 80% de chance de que um acordo seja alcançado.

“Informo a vocês que avançamos em reuniões com membros do gabinete (do governo americano), setor privado, especialistas. Nos esforçaremos para encontrar um entendimento”, escreveu o chanceler em sua conta no Twitter.

Na última quinta-feira, dia 30, o presidente americano, Donald Trump, ameaçou impor tarifas iniciais de 5% a importações vindas do México, a partir do dia 10 de junho. A ideia de Trump é elevar as tarifas gradualmente até o patamar de 25%, em outubro, se o governo mexicano não resolver a questão da imigração ilegal.

Milho brasileiro pode se beneficiar

Para o analista da consultoria INTL FCStone, Étore Baroni, o impasse entre Estados Unidos e México pode causar impactos no cenário agrícola, principalmente no mercado do milho.

“O México é o principal comprador de milho dos Estados Unidos, e isso tem um impacto direto sobre o produtor americano. Isso também pode fazer com que o México reduza a importação de milho e que naturalmente pode afetar as cotações em Chicago, além de buscar outras origens do grão. Neste caso o produtor brasileiro pode se beneficiar um pouco mais”, afirma o analista.

Segundo ele, o cenário é positivo para o produtor brasileiro, já que os americanos não estão conseguindo plantar por conta do clima.

Nova call to action

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


css.php
Assine grátis a melhor newsletter sobre agronegócios do Brasil