banner-3

ESTREITANDO LAÇOS

Tereza Cristina quer aumentar parcerias com países árabes

Na próxima semana, a ministra se reúne com embaixadores árabes na tentativa de desfazer o mal-estar em torno do escritório de negócios em Jerusalém

03 de abril de 2019 às 09h02
Por Agência Brasil
Tereza Cristina

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, afirmou nesta terça-feira, dia 2, que o Brasil é amigo dos países árabes e muçulmanos. Segundo ela, há um esforço para manter este bom relacionamento com aumento da cooperação comercial.

Na próxima semana, a ministra se reúne com 51 embaixadores de países árabes na tentativa de desfazer o mal-estar em torno da instalação do escritório de negócios do Brasil em Jerusalém, conforme anunciado no último dia 31 pelo presidente Jair Bolsonaro.

“Na agricultura, temos um país que produz muito, o Brasil, e um mercado em que existe uma confiança entre a agricultura brasileira e os consumidores dos países islâmicos. E nós vamos continuar perseguindo esse bom entendimento”, disse.

Em seguida, Teresa Cristina acrescentou: “Esse bom relacionamento com os árabes, com os muçulmanos, com quem gostamos muito de ter relações comerciais, no Ministério da Agricultura e com os produtos da agropecuária brasileira”.

Escritório

Para a ministra, a instalação de um escritório de negócios em Jerusalém é um meio-termo, em vez de uma embaixada. Segundo ela, há um descontentamento dos países árabes em relação a este assunto, mas disse que o Ministério da Agricultura tem de continuar trabalhando para manter o diálogo.

“A gente tem de estar preparado para tudo. Acho que o escritório de negócios é um meio-termo, não é a embaixada lá. A gente sabe do ânimo que existe na região, mas o Brasil é um país amigo de todos os países, e na área comercial temos um peso muito grande no mundo árabe, no mundo islâmico”, afirmou.

Nova call to action


Teresa Cristina afirmou ainda que o diálogo será mantido. “É claro que há um descontentamento. Mas, nós da Agricultura, temos de trabalhar pela agricultura. Esses problemas de geopolítica são para o presidente da República, para o chanceler”, disse.

“Vamos conversar, ouvir, e continuar com essa abertura de diálogo que o Ministério da Agricultura sempre teve com esses países, que são compradores da produção brasileira.”

A ministra disse que “no que depender de mim como ministra e do setor produtivo, que apoia o relacionamento, vamos continuar fazendo com que cresça essa cooperação comercial entre os países do mundo árabe e o Brasil e fique cada vez mais robusta.”

https://canalrural.uol.com.br/sites-e-especiais/projeto-soja-brasil/previsao-do-tempo-confirma-temporais-por-lavouras-de-soja-do-pais/

3 comentários

  1. Joel em 9 de abril de 2019 às 17:35

    Essa .Tereza cristina.nao sabe nem o que é caminhão, muito menos o que é frete.provavelmente ela está tentando revoltar a classe dos motoristas para uma nova greve.tentando arruinar o governo .Jair Bolsonaro

  2. Izabel em 25 de abril de 2019 às 10:46

    Aqui no Mato Grosso, não dá pra entender o que está acontecendo. Enquanto vcs ae brigam por tabela, aqui não conseguimos nem trabalhar. Pra se ter uma ideia o mês de março carregamos a 370,00 a ton de Tangará xSantos. Já na viagem seguinte a tonelada passou pra 270,00 carregando no mesmo local e hoje, já estamos indo carregar a 235,00. E estamos há 3 dias pra conseguir este. Qual é a tabela?

  3. José Carlos Naipe em 18 de junho de 2019 às 20:15

    A mais de 14 anos que os bancos do Brasil no Rio de janeiro em Mangaratiba e Itaguaí, jamais recebera um produtor rural para liberar um custeio do PRONAF-agricultura familiar, estou a dois anos tendando. paguei um custeio ao banco de Mangaratiba em 2015, estou indo ao banco do Brasil em Itaguaí e um joga p/o outro. emater, e B do Brasil. Eu sei que eles não gostam da agricultura familiar, não da lucro a eles. Esses bilhões que colocam é só p/emprestar p/os ricos. Em 2003 p/pegar o custeio, foi preciso o presidente da república mandar o ministro José fritz, ir a mangaratiba. Isso esta na internete até hoje. Uma vergonha, desse tal de BB e p/o Brasil. 16 anos depois, não sei se isso vai funcionar. É uma vergonha, uma droga de um custeio que posso pagar em um ano. Uma vergonha nacional. Ja comuniquei varias vezes ao Sr: Maurício Fleury Curado, mas não obtive reposta ainda.

Deixe um Comentário





banner-3

ESTREITANDO LAÇOS

Tereza Cristina quer aumentar parcerias com países árabes

Na próxima semana, a ministra se reúne com embaixadores árabes na tentativa de desfazer o mal-estar em torno do escritório de negócios em Jerusalém

03 de abril de 2019 às 09h02
Por Agência Brasil
Tereza Cristina

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, afirmou nesta terça-feira, dia 2, que o Brasil é amigo dos países árabes e muçulmanos. Segundo ela, há um esforço para manter este bom relacionamento com aumento da cooperação comercial.

Na próxima semana, a ministra se reúne com 51 embaixadores de países árabes na tentativa de desfazer o mal-estar em torno da instalação do escritório de negócios do Brasil em Jerusalém, conforme anunciado no último dia 31 pelo presidente Jair Bolsonaro.

“Na agricultura, temos um país que produz muito, o Brasil, e um mercado em que existe uma confiança entre a agricultura brasileira e os consumidores dos países islâmicos. E nós vamos continuar perseguindo esse bom entendimento”, disse.

Em seguida, Teresa Cristina acrescentou: “Esse bom relacionamento com os árabes, com os muçulmanos, com quem gostamos muito de ter relações comerciais, no Ministério da Agricultura e com os produtos da agropecuária brasileira”.

Escritório

Para a ministra, a instalação de um escritório de negócios em Jerusalém é um meio-termo, em vez de uma embaixada. Segundo ela, há um descontentamento dos países árabes em relação a este assunto, mas disse que o Ministério da Agricultura tem de continuar trabalhando para manter o diálogo.

“A gente tem de estar preparado para tudo. Acho que o escritório de negócios é um meio-termo, não é a embaixada lá. A gente sabe do ânimo que existe na região, mas o Brasil é um país amigo de todos os países, e na área comercial temos um peso muito grande no mundo árabe, no mundo islâmico”, afirmou.

Nova call to action


Teresa Cristina afirmou ainda que o diálogo será mantido. “É claro que há um descontentamento. Mas, nós da Agricultura, temos de trabalhar pela agricultura. Esses problemas de geopolítica são para o presidente da República, para o chanceler”, disse.

“Vamos conversar, ouvir, e continuar com essa abertura de diálogo que o Ministério da Agricultura sempre teve com esses países, que são compradores da produção brasileira.”

A ministra disse que “no que depender de mim como ministra e do setor produtivo, que apoia o relacionamento, vamos continuar fazendo com que cresça essa cooperação comercial entre os países do mundo árabe e o Brasil e fique cada vez mais robusta.”

https://canalrural.uol.com.br/sites-e-especiais/projeto-soja-brasil/previsao-do-tempo-confirma-temporais-por-lavouras-de-soja-do-pais/

3 comentários

  1. Joel em 9 de abril de 2019 às 17:35

    Essa .Tereza cristina.nao sabe nem o que é caminhão, muito menos o que é frete.provavelmente ela está tentando revoltar a classe dos motoristas para uma nova greve.tentando arruinar o governo .Jair Bolsonaro

  2. Izabel em 25 de abril de 2019 às 10:46

    Aqui no Mato Grosso, não dá pra entender o que está acontecendo. Enquanto vcs ae brigam por tabela, aqui não conseguimos nem trabalhar. Pra se ter uma ideia o mês de março carregamos a 370,00 a ton de Tangará xSantos. Já na viagem seguinte a tonelada passou pra 270,00 carregando no mesmo local e hoje, já estamos indo carregar a 235,00. E estamos há 3 dias pra conseguir este. Qual é a tabela?

  3. José Carlos Naipe em 18 de junho de 2019 às 20:15

    A mais de 14 anos que os bancos do Brasil no Rio de janeiro em Mangaratiba e Itaguaí, jamais recebera um produtor rural para liberar um custeio do PRONAF-agricultura familiar, estou a dois anos tendando. paguei um custeio ao banco de Mangaratiba em 2015, estou indo ao banco do Brasil em Itaguaí e um joga p/o outro. emater, e B do Brasil. Eu sei que eles não gostam da agricultura familiar, não da lucro a eles. Esses bilhões que colocam é só p/emprestar p/os ricos. Em 2003 p/pegar o custeio, foi preciso o presidente da república mandar o ministro José fritz, ir a mangaratiba. Isso esta na internete até hoje. Uma vergonha, desse tal de BB e p/o Brasil. 16 anos depois, não sei se isso vai funcionar. É uma vergonha, uma droga de um custeio que posso pagar em um ano. Uma vergonha nacional. Ja comuniquei varias vezes ao Sr: Maurício Fleury Curado, mas não obtive reposta ainda.

Deixe um Comentário