VENDAS AQUECIDAS

Taxa sobre soja dos EUA tem efeito contrário e atrai demanda para o produto americano

Com a divulgação da possível tarifa chinesa, os prêmios passaram a cair no Golfo em relação aos registrados nos portos brasileiros, o que estimulou a comercialização da safra norte-americana

Fonte: Pixabay

A procura pela soja norte-americana continua aquecida nas últimas semanas. Segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), na safra 2018/2019 as vendas para exportação atingiram um volume de 1,09 milhão de toneladas, o maior desde os primeiros reportes do ciclo.

Em relação ao período de 2017/2018, as vendas alcançaram 1,04 milhão de toneladas, apesar do mercado esperar um volume maior, a primeira quinzena de abril já acumula 2,55 milhões de toneladas, o que representa um crescimento de 25,8% em relação ao mesmo período de março.

Segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), desde a divulgação da possível taxação da China sobre as importações da soja do país americano, os prêmios passaram a cair no Golfo em relação aos registrados nos portos brasileiros, o que tem atraído a demanda para a soja norte-americana.

Assim, as vendas de exportação para a safra 2017/2018 nos EUA já acumulam 54,03 milhões de toneladas, ou seja, 96,1% do que o USDA prevê para que o país exporte até o fim do ciclo.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


css.php
Assine grátis a melhor newsletter sobre agronegócios do Brasil