Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Tabela do frete coloca em xeque retomada da economia brasileira

OPINIÃO DO AGRO

Tabela do frete coloca em xeque retomada da economia brasileira

Movimento Frete Sem Tabela, que engloba oito entidades do setor produtivo, questionou a alteração do preço mínimo do transporte rodoviário

22 de janeiro de 2019 às 09h44
Por Canal Rural
tabela do frete

Foto: Governo do Estado de São Paulo

O movimento Frete Sem Tabela, que engloba oito entidades do setor produtivo, criticou a resolução da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), publicada na última sexta-feira, dia 18, que altera os valores da tabela do frete do transporte rodoviário.

O grupo também questionou a constitucionalidade da lei que instituiu preços mínimos para o transporte rodoviário, que aguarda avaliação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux.

“Mesmo assim, a ANTT vem impondo sua aplicação. Todo o processo jurídico para determinação dessa tabela está comprometido, com decisões sobre valores e multas sendo publicadas antes mesmo da definição da questão principal”, disse em nota.

Nova call to action

Segundo entidades como a Associação Brasileira da Indústria de Óleos Vegetais (Abiove), Aprosoja Brasil, Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (Citrus BR), União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia) e Confederação Nacional da Indústria (CNI), o caso aumentou a insegurança jurídica da classe produtora brasileira, com pouca disposição para o debate, desrespeito aos prazos para a realização de consultas públicas e ausência de estudos sobre o impacto da medida.

O Frete Sem Tabela ressaltou ao governo Bolsonaro que, caso o tabelamento do frete continue, há sérios riscos de a retomada do crescimento do país ser impactada.

“No momento em que se discute o desenvolvimento da economia por meio da geração de empregos e aumento das exportações, é impossível tornar o Brasil mais eficiente com essa distorção no nosso mercado de transportes”, diz o documento.

A solução para a crise no transporte rodoviário, segundo as entidades, passa pela maior segurança nas estradas, melhoria de infraestrutura e simplificação da contratação e não no tabelamento dos preços.

Após tabela do frete, empresas trocam caminhão por navio

42 comentários

  1. Alixandro em 22 de janeiro de 2019 às 10:33

    Os poderosos se revoltado contra os pequenos! E só diminuir o lucro absurdo nas mercadorias terminar o atravessador q da pra pagar! Os milionários querem q os motoristas continuem na miséria pra eles manter a fortuna

  2. Jose fabiano da Silva em 22 de janeiro de 2019 às 11:36

    Bom dia, acredito que e preciso chegar em um consenso,pois todos nós estamos sendo prejudicados.pois a retalhaçao das grandes empresas em carregar caminhoneiros autônomos e grande, com isso as transportadoras são as maiores benéficas devido ao pode de aquisição de frotas.queremos igualdade pra todos,e o direito de trabalhar com segurança que de condições para se ter uma vida digna da profissão, tendo em vista que a profissão de motorista de caminhão não e fácil

  3. Geraldo Donizete de Araújo em 22 de janeiro de 2019 às 11:52

    <eles não estão pensando em economia de país nada estão pensando no bolso deles se não antes do tabelamento do frete eles tinham lutado para gerar mais empregos abaixar o preço do diesel

  4. Rubens guera em 22 de janeiro de 2019 às 12:45

    Gente é só tirar as transportadora que resolve de uma vez por todas este negócio de frete eu tenho caminhão e conheço bem isto o.

  5. ERICKSON LUIS MANENTI em 22 de janeiro de 2019 às 12:46

    Se continuar como está as empresas de transportes fecharão as portas cada vez mais e . Aí eu pergunto quem vai transportar o crescimento da produção e girar a economia como estão dizendo?

  6. José Ricardo em 22 de janeiro de 2019 às 12:48

    A tabela do frete não coloca o crescimento do Brasil em risco motivo o agronegócio ainda não percebeu que o caminhoneiro não ganha o suficiente pra se manter em vez de fazer crítica aos caminhoneiros ajuda a categoria a te condições de uma rodovia boa pedágios a preço justo mais segurança assim combustível de boa qualidade e preço justo assim os dois lados ganhar

  7. Gustavo em 22 de janeiro de 2019 às 12:55

    Blá blá de produtor Rural, diminuir os lucros e perder os privilégios de troca de camionete no fim da safra é ruim, agora pagar mixaria no transporte pode, será porque produtor rural não caminhão pra fazer seu próprio transporte né

  8. José Cristiano em 22 de janeiro de 2019 às 12:58

    Boa tarde, então querem dizer que nos autônomos somos o problema do país,cria vergonha na cara, estamos apenas lutando para sobreviver, porque o agronegócio não compra caminhão para sua própria safra como eles tinham prometido de fazer, agora querem que a gente pague a conta de um país que esteve nas mãos de bandidos durante 18 anos fala sério!

  9. Muricy em 22 de janeiro de 2019 às 13:12

    Sou a favor do preço mínimo do frete uma grande vitoria da classe em anos de luta sendo obrigado a transportar no preço que o agronegócio quisesse pagar .

  10. Fábio Luiz de Almeida em 22 de janeiro de 2019 às 13:29

    ANTT tinha q fiscalizar mais , por exemplo tem empresas q estão aderindo aplicativo para não expor os valores do frete ou seja não pagam o valor mínimo para o transporte de grãos enfim, uma empresa q deveria ser expressamente fiscalizada , seria cooperativa coamo em campo Mourão PR , verdadeiro descaso com o transporte brasileiro!

  11. Fábio Luiz de Almeida em 22 de janeiro de 2019 às 13:30

    ANTT tinha q fiscalizar mais , por exemplo tem empresas q estão aderindo aplicativo para não expor os valores do frete ou seja não pagam o valor mínimo para o transporte de grãos enfim, uma empresa q deveria ser expressamente fiscalizada , seria cooperativa coamo em campo Mourão PR , verdadeiro descaso com o transporte brasileiro!

  12. João Carlos Ros Martinez em 22 de janeiro de 2019 às 14:00

    Por que tem salário mínimo tabelado e o frete não somos trabalhadores como todos os brasileiros só queremos dignidade com a classe trabalhadora os mesmo médicos que os trabalhadores têm e o mesmo que temos os professores que meus filhos têm e o msm a casa que tenho e a msm qual e a diferença de um trabalhador com o outro

  13. […] Movimento Frete Sem Tabela, que engloba oito entidades do setor produtivo, questionou a alteração do preço mínimo do transporte rodoviárioArtigo Completo […]

  14. José Geraldo Garcia em 22 de janeiro de 2019 às 14:58

    Não é tabela de frete, o frete não está tabelado e sim piso mínimo. Qualquer um pode pagar acima do mínimo, não está tabelado assim como vários produtos do agro também tem um piso mínimo, como café, soja e outros.

  15. Ozires em 22 de janeiro de 2019 às 14:58

    Engraçados vc carrega a carga,o frete é abaixo da tabela, ae vc vai verificar a nota a mercadoria aumento o preço da pra acreditar que a tabela coloca em risco a economia.

  16. Ivan em 22 de janeiro de 2019 às 16:11

    Desejo o mesmo que esses setores desejao a nós caminhoneiros surrupiado por todos eles, que vão todos arder no fogo do inferno

  17. Sedenir em 22 de janeiro de 2019 às 16:37

    Trabalho com caminhão, carreta graneleira mais especificamente, rodo de sul a norte desde imenso e rico país….nenhuma “transportadora” ,(no caso atravessador) está pagando a tabela para o caminhoneiro, se eles recebem dos produtores a gente não sabe, portanto, a parte que sofre somos apenas nós que trabalhamos de sol a sol nessas estradas infernais e com jornada sub-humana que temos que trabalhar. Aí vcs vem dizer que a tabela põe em xeque o desenvolvimento da economia do país? Isso me leva a pensar somente uma coisa, a mídia colocando a população contra nossa classe, ou, por falta de informação da realidade só expõe a público a opinião de quem está sentado em uma sala com ar condicionado e apenas analisando números e o que os outros fazem. Por que vocês não vem entrevistar nós, em pátios de postos onde ficamos uma semana parado esperando um frete que sobre alguma coisa para podermos manter nossas famílias e nossos caminhões? Ou na fila de uma empresa onde ficamos dias trancados no pátio para podermos carregar ou descarregar? É bem simples….é só ir em um desses lugares que sempre terá alguém para lhes conceder uma boa entrevista e tirar todas as suas dúvidas quanto a nossa visão e realidade da tabela. Finalizando, e novamente frisando para que fique bem claro, NÃO estamos recebendo a tabela de frete, nunca recebemos…isso somente existe no papel e serve para especulação de mercado. Enfim, vocês da mídia terão meu contado para eventuais dúvidas que queiram tirar. Abraço, a inteira disposição!

  18. Laureano alves de souza em 22 de janeiro de 2019 às 17:08

    Manda estes filho da pulta comprar caminhão pra ele ver o quanto é difícil manter um caminhão com estes fretes

  19. Luciano josé em 22 de janeiro de 2019 às 17:42

    Boa tarde,
    O problema está no lucros das transportadora, eles querem muito e da uma miséria para o transportador autônomo, quem trabalha de verdade é o dono do caminhão a transportadora é só um atravessador.

  20. Reinaldo Nogueira em 22 de janeiro de 2019 às 17:45

    Vocês são uns grandes ?isso sim como é possível o frete do Brasil não ser caro é o pedágio mais caro do mundo o diesel mais caro não intendo se sair de sorriso MT ao porto de Santos com um caminhão bitrem carta pra ir e voltar 1400 reais de pedágio e estradas orivel nem acostamento tem . quero que vire linha de trem por todos os lugares aí vocês vão vê quanto vao pagar pelos mantimentos nos supermercados pois somos escravizados pelo frete retorno até em tão quero vê se não tiver mais frete retorno vão pagar o dobro o Agro negócio não tão nem aí pra os presos dos mantimentos mais sim pelo preso do frete do adubo e do transportes de sereais quero só vê

  21. Marcelino moraes em 22 de janeiro de 2019 às 18:12

    Que vcs comprem millhares de caminhoes quero ver vcs arrumarem motorista vcs so querm ganhar ganancia se nos pararmos este brasil para

  22. Celso da Silva Couto em 22 de janeiro de 2019 às 19:11

    Muito interessante: até vcs produtores do agronegócio tem preço mínimo da safra e os fretes nao pode. Parece piada……..

  23. Silvio dos reis Soares em 22 de janeiro de 2019 às 19:22

    Será que essas empresas que e contra o piso mínimo de frete sabe quanto custa um pneu.quanto paga de pedagio INSS sest senat. Pra tomar banho. Pra estacionar em um patio de triagem.sabe não

  24. Eginaldo de Oliveira Nóbrega em 22 de janeiro de 2019 às 20:50

    Chupa ruralistas,se não aceitarem a tabela comprem caminhões e façam o transporte de sua produção, aí vcs. vao ver quanto custa as despesas de um caminhão. Mas compra mesmo que eu tô pagando pra ver.

  25. ademilson em 22 de janeiro de 2019 às 21:57

    Bem feito para os motorista burro que coloco foto do presidente nos caminhão vai continuar a mesma merda

  26. Emerson dos Santos em 22 de janeiro de 2019 às 23:46

    Sou caminhoneiro a 27 anos. A meu ver esse canal rural so ve o lado do produtor voces deveriam se informar melhor sobre a realidade dos caminhoneiros

  27. Edílson em 22 de janeiro de 2019 às 23:47

    Todos frete já estão acima da tabela sou motorista carreteiro pego um frete de 8 mil mais atrasportadora já ta levando mis 5 ou 6 mil so para fazer o manifesto então tem que eliminar o atravessador

  28. JADSON SIQUEIRA DA SILVA em 23 de janeiro de 2019 às 06:19

    O ideal seria acabar com os “ET’s, mais conhecidos como caminhoneiros ou “motor”.
    Uma indústria tão pobre como a brasileira não vai suportar pagar um valor justo e trazer dignidade a uma classe sofrida de trabalhadores.
    Mas também acho que o governo deveria dar uma atenção maior a essas mesmas empresas em questão fiscal, e cobrar com justiça seus devidos impostos e tributos.
    Acho que tá na hora de todos os automos e empresas que foram lesadas por todos esses anos, encostar seus caminhões nas garagens e aguardarem a decisão daqueles que se quer entraram na cabine de um caminhão.

  29. Dalton Antônio da Silva em 23 de janeiro de 2019 às 09:04

    O problema não somos nós autônomos, são as empresas. Eles sim,recebem até acima do mínimo. Mas repassam aos autônomos abaixo do mínimo. Esse é o problema. São muitos gananciosos . A ANTT deveria gerenciar a documentação que sai das empresas. Ai quem carregar abaixo deve ser multado tmb . A a vcs que são contra , por que seus produtos são controlados pela Bolsa ? Vcs não esperam alta pra vender? Ah me ajudem ai …

  30. Joao em 23 de janeiro de 2019 às 10:19

    Só falam bobagem. Querem que os caminhoneiros trabalhem de graça pra essa turma de folgados que estão acostumados a ganhar milhões. O tabelamento não aumentou muito para o produtor, simplesmente diminuiu a porcentagem das transportadoras que são os atravessadores que ganham muito e não fazem nada.

  31. fabio cordova em 23 de janeiro de 2019 às 13:31

    engraçado quando os caminhoneiroa tinham que deixar de pagar contas pessoais para por en cima do caminhao pq o frete era um lixo.empresarios ganhavam muita grana en cima dos caminhoneiros e seus produtos sempre aumentando de preço pq o autonomo tem que paga o pato fodam se

  32. Gilnei Paulo Venâncio em 23 de janeiro de 2019 às 13:46

    Muito bonito todos setores querem ter lucro retomar o crescimento em nome do país e agronegócio mas o transporte tem trabalhar escravizados conforme a suas necessidades de lucro ………a lei Áurea foi assinado mas como a lei também não está sendo aplicado

  33. Gilmar em 23 de janeiro de 2019 às 14:31

    O problema do Agro negócio e da Nair parte dos brasileiros é que.so querem obter lucros abusivos em seus negócios.e quanto ao próximo.dánice..principalmente os coitados dos autônomos..

  34. Adilson José dos santos em 23 de janeiro de 2019 às 16:30

    As empresas não pode pagar a tabela do frete, mas pode tabela e aumentar os preços de seus produtos.

  35. Jusemberg R.L. de Almeida em 23 de janeiro de 2019 às 17:40

    As empresas já pagam bem mais que o valor da tabela para as transportadoras. E as transportadoras se transformam em atravessadores. Sem encontra hoje milhares destas que sequer tem mais de um caminhão. Uma política onde se coloque em igualdade as empresas contratarem tanto terceiros como transportadoras resolveria e até mesmo melhoraria o custo do transporte para as empresas. O simples legislação, onde as empresas possam emitir o CTE sem ter a necessidade de ser transportadora, como uma linha de crédito para as empresas pagarem o frete resolveria uma boa parte desse problema. A pergunta é, porque os transportadores autônomos tem que pagar para as transportadoras, para realizar o mesmo trabalho para uma empresa?

  36. Daniel em 23 de janeiro de 2019 às 19:58

    Simples de resolver. As industrias e o agronegócio devem ter a sua frota e bancar os seus proprios custos.
    Com certeza eles verão que a tabela só cobre o custo mínimo e que é alto o custo do transporte

  37. Marciano miranda em 23 de janeiro de 2019 às 23:01

    E facil de resolver so abaixar diesel que da certo

  38. Reginaldo Ferreira de Sousa em 24 de janeiro de 2019 às 05:44

    Saudações! Se o setor agrícola está pagando o valor da Tabela de Frete para alguém, tem que se cobrar desse intermediário. Sou transportador e ninguém está me pagando o valor da Tabela para levar a carga. O problema do setor produtivo é a SUBORDINAÇÃO aos atravessadores. Porque não se faz contratos direto com o proprietário do veículo?!

  39. Oibaf em 24 de janeiro de 2019 às 10:58

    É muita idiotisee destes animais, achando que o transporte brasileiro de cargas doroviario deve se manter d graça,se estes animais N sabem q td tem um preço,i da mais no Brasil onde tem lixo de estradas e pedágios uma super vergonha d super faturados a cada caminhão q passa

  40. Edson em 24 de janeiro de 2019 às 11:36

    O o canal rural quer? Que os caminhoneiro carreguei o peso do país sem ter lucratividade, vcs São ricos na costa do tranalhador rural e do país, ter avida dentro de uma cabine de caminhão vcs não quer e nem que que um filho de vcs tenhas, vivo de frete de combustível e se não tiver cuidado não pagos meus impostos que chega a quasse 4500 anual só de documentos fora os compostos

  41. Alduino antonio pereira junior em 24 de janeiro de 2019 às 19:32

    Boa tarde a todos é preciso ter a tabela mínima de frete para que os motoristas autônomos consigo pelo menos manter o caminhão em boas condições e o sustento da família caso isso não aconteça vai acontecer muitos acidentes por falta de condições financeiras para manter os caminhões muitas vidas se perderam

  42. Marcelo Martins damasceno em 24 de janeiro de 2019 às 21:13

    Eu não consigo entender mais nada pois para quem é autônomo não dava mais pois estávamos sucateados agora que melhorou um pouco os ricoes estão achando ruim porque aumentou um pouco nosobre custos para eles diminuindo um pouco nos lucros aí virou essa polêmica toda o problema é que tem dinheiro acha que só ele pode ter o Brasil precisa aprender dividir a fatia para o dinheiro circular e todo mundo ficar bem outra coisa parece que o transporte virou lavagem de dinheiro sujo pois hoje existem empresas com mais de 1000 caminhões e trabalhando com um preço que não dá será que é para dar prejuízo pra lavar dinheiro? Pois como que se consegue e eu não vou poder falar mais nada pois tenho mede de me matarem.

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Tabela do frete coloca em xeque retomada da economia brasileira

OPINIÃO DO AGRO

Tabela do frete coloca em xeque retomada da economia brasileira

Movimento Frete Sem Tabela, que engloba oito entidades do setor produtivo, questionou a alteração do preço mínimo do transporte rodoviário

22 de janeiro de 2019 às 09h44
Por Canal Rural
tabela do frete

Foto: Governo do Estado de São Paulo

O movimento Frete Sem Tabela, que engloba oito entidades do setor produtivo, criticou a resolução da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), publicada na última sexta-feira, dia 18, que altera os valores da tabela do frete do transporte rodoviário.

O grupo também questionou a constitucionalidade da lei que instituiu preços mínimos para o transporte rodoviário, que aguarda avaliação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux.

“Mesmo assim, a ANTT vem impondo sua aplicação. Todo o processo jurídico para determinação dessa tabela está comprometido, com decisões sobre valores e multas sendo publicadas antes mesmo da definição da questão principal”, disse em nota.

Nova call to action

Segundo entidades como a Associação Brasileira da Indústria de Óleos Vegetais (Abiove), Aprosoja Brasil, Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (Citrus BR), União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia) e Confederação Nacional da Indústria (CNI), o caso aumentou a insegurança jurídica da classe produtora brasileira, com pouca disposição para o debate, desrespeito aos prazos para a realização de consultas públicas e ausência de estudos sobre o impacto da medida.

O Frete Sem Tabela ressaltou ao governo Bolsonaro que, caso o tabelamento do frete continue, há sérios riscos de a retomada do crescimento do país ser impactada.

“No momento em que se discute o desenvolvimento da economia por meio da geração de empregos e aumento das exportações, é impossível tornar o Brasil mais eficiente com essa distorção no nosso mercado de transportes”, diz o documento.

A solução para a crise no transporte rodoviário, segundo as entidades, passa pela maior segurança nas estradas, melhoria de infraestrutura e simplificação da contratação e não no tabelamento dos preços.

Após tabela do frete, empresas trocam caminhão por navio

42 comentários

  1. Alixandro em 22 de janeiro de 2019 às 10:33

    Os poderosos se revoltado contra os pequenos! E só diminuir o lucro absurdo nas mercadorias terminar o atravessador q da pra pagar! Os milionários querem q os motoristas continuem na miséria pra eles manter a fortuna

  2. Jose fabiano da Silva em 22 de janeiro de 2019 às 11:36

    Bom dia, acredito que e preciso chegar em um consenso,pois todos nós estamos sendo prejudicados.pois a retalhaçao das grandes empresas em carregar caminhoneiros autônomos e grande, com isso as transportadoras são as maiores benéficas devido ao pode de aquisição de frotas.queremos igualdade pra todos,e o direito de trabalhar com segurança que de condições para se ter uma vida digna da profissão, tendo em vista que a profissão de motorista de caminhão não e fácil

  3. Geraldo Donizete de Araújo em 22 de janeiro de 2019 às 11:52

    <eles não estão pensando em economia de país nada estão pensando no bolso deles se não antes do tabelamento do frete eles tinham lutado para gerar mais empregos abaixar o preço do diesel

  4. Rubens guera em 22 de janeiro de 2019 às 12:45

    Gente é só tirar as transportadora que resolve de uma vez por todas este negócio de frete eu tenho caminhão e conheço bem isto o.

  5. ERICKSON LUIS MANENTI em 22 de janeiro de 2019 às 12:46

    Se continuar como está as empresas de transportes fecharão as portas cada vez mais e . Aí eu pergunto quem vai transportar o crescimento da produção e girar a economia como estão dizendo?

  6. José Ricardo em 22 de janeiro de 2019 às 12:48

    A tabela do frete não coloca o crescimento do Brasil em risco motivo o agronegócio ainda não percebeu que o caminhoneiro não ganha o suficiente pra se manter em vez de fazer crítica aos caminhoneiros ajuda a categoria a te condições de uma rodovia boa pedágios a preço justo mais segurança assim combustível de boa qualidade e preço justo assim os dois lados ganhar

  7. Gustavo em 22 de janeiro de 2019 às 12:55

    Blá blá de produtor Rural, diminuir os lucros e perder os privilégios de troca de camionete no fim da safra é ruim, agora pagar mixaria no transporte pode, será porque produtor rural não caminhão pra fazer seu próprio transporte né

  8. José Cristiano em 22 de janeiro de 2019 às 12:58

    Boa tarde, então querem dizer que nos autônomos somos o problema do país,cria vergonha na cara, estamos apenas lutando para sobreviver, porque o agronegócio não compra caminhão para sua própria safra como eles tinham prometido de fazer, agora querem que a gente pague a conta de um país que esteve nas mãos de bandidos durante 18 anos fala sério!

  9. Muricy em 22 de janeiro de 2019 às 13:12

    Sou a favor do preço mínimo do frete uma grande vitoria da classe em anos de luta sendo obrigado a transportar no preço que o agronegócio quisesse pagar .

  10. Fábio Luiz de Almeida em 22 de janeiro de 2019 às 13:29

    ANTT tinha q fiscalizar mais , por exemplo tem empresas q estão aderindo aplicativo para não expor os valores do frete ou seja não pagam o valor mínimo para o transporte de grãos enfim, uma empresa q deveria ser expressamente fiscalizada , seria cooperativa coamo em campo Mourão PR , verdadeiro descaso com o transporte brasileiro!

  11. Fábio Luiz de Almeida em 22 de janeiro de 2019 às 13:30

    ANTT tinha q fiscalizar mais , por exemplo tem empresas q estão aderindo aplicativo para não expor os valores do frete ou seja não pagam o valor mínimo para o transporte de grãos enfim, uma empresa q deveria ser expressamente fiscalizada , seria cooperativa coamo em campo Mourão PR , verdadeiro descaso com o transporte brasileiro!

  12. João Carlos Ros Martinez em 22 de janeiro de 2019 às 14:00

    Por que tem salário mínimo tabelado e o frete não somos trabalhadores como todos os brasileiros só queremos dignidade com a classe trabalhadora os mesmo médicos que os trabalhadores têm e o mesmo que temos os professores que meus filhos têm e o msm a casa que tenho e a msm qual e a diferença de um trabalhador com o outro

  13. […] Movimento Frete Sem Tabela, que engloba oito entidades do setor produtivo, questionou a alteração do preço mínimo do transporte rodoviárioArtigo Completo […]

  14. José Geraldo Garcia em 22 de janeiro de 2019 às 14:58

    Não é tabela de frete, o frete não está tabelado e sim piso mínimo. Qualquer um pode pagar acima do mínimo, não está tabelado assim como vários produtos do agro também tem um piso mínimo, como café, soja e outros.

  15. Ozires em 22 de janeiro de 2019 às 14:58

    Engraçados vc carrega a carga,o frete é abaixo da tabela, ae vc vai verificar a nota a mercadoria aumento o preço da pra acreditar que a tabela coloca em risco a economia.

  16. Ivan em 22 de janeiro de 2019 às 16:11

    Desejo o mesmo que esses setores desejao a nós caminhoneiros surrupiado por todos eles, que vão todos arder no fogo do inferno

  17. Sedenir em 22 de janeiro de 2019 às 16:37

    Trabalho com caminhão, carreta graneleira mais especificamente, rodo de sul a norte desde imenso e rico país….nenhuma “transportadora” ,(no caso atravessador) está pagando a tabela para o caminhoneiro, se eles recebem dos produtores a gente não sabe, portanto, a parte que sofre somos apenas nós que trabalhamos de sol a sol nessas estradas infernais e com jornada sub-humana que temos que trabalhar. Aí vcs vem dizer que a tabela põe em xeque o desenvolvimento da economia do país? Isso me leva a pensar somente uma coisa, a mídia colocando a população contra nossa classe, ou, por falta de informação da realidade só expõe a público a opinião de quem está sentado em uma sala com ar condicionado e apenas analisando números e o que os outros fazem. Por que vocês não vem entrevistar nós, em pátios de postos onde ficamos uma semana parado esperando um frete que sobre alguma coisa para podermos manter nossas famílias e nossos caminhões? Ou na fila de uma empresa onde ficamos dias trancados no pátio para podermos carregar ou descarregar? É bem simples….é só ir em um desses lugares que sempre terá alguém para lhes conceder uma boa entrevista e tirar todas as suas dúvidas quanto a nossa visão e realidade da tabela. Finalizando, e novamente frisando para que fique bem claro, NÃO estamos recebendo a tabela de frete, nunca recebemos…isso somente existe no papel e serve para especulação de mercado. Enfim, vocês da mídia terão meu contado para eventuais dúvidas que queiram tirar. Abraço, a inteira disposição!

  18. Laureano alves de souza em 22 de janeiro de 2019 às 17:08

    Manda estes filho da pulta comprar caminhão pra ele ver o quanto é difícil manter um caminhão com estes fretes

  19. Luciano josé em 22 de janeiro de 2019 às 17:42

    Boa tarde,
    O problema está no lucros das transportadora, eles querem muito e da uma miséria para o transportador autônomo, quem trabalha de verdade é o dono do caminhão a transportadora é só um atravessador.

  20. Reinaldo Nogueira em 22 de janeiro de 2019 às 17:45

    Vocês são uns grandes ?isso sim como é possível o frete do Brasil não ser caro é o pedágio mais caro do mundo o diesel mais caro não intendo se sair de sorriso MT ao porto de Santos com um caminhão bitrem carta pra ir e voltar 1400 reais de pedágio e estradas orivel nem acostamento tem . quero que vire linha de trem por todos os lugares aí vocês vão vê quanto vao pagar pelos mantimentos nos supermercados pois somos escravizados pelo frete retorno até em tão quero vê se não tiver mais frete retorno vão pagar o dobro o Agro negócio não tão nem aí pra os presos dos mantimentos mais sim pelo preso do frete do adubo e do transportes de sereais quero só vê

  21. Marcelino moraes em 22 de janeiro de 2019 às 18:12

    Que vcs comprem millhares de caminhoes quero ver vcs arrumarem motorista vcs so querm ganhar ganancia se nos pararmos este brasil para

  22. Celso da Silva Couto em 22 de janeiro de 2019 às 19:11

    Muito interessante: até vcs produtores do agronegócio tem preço mínimo da safra e os fretes nao pode. Parece piada……..

  23. Silvio dos reis Soares em 22 de janeiro de 2019 às 19:22

    Será que essas empresas que e contra o piso mínimo de frete sabe quanto custa um pneu.quanto paga de pedagio INSS sest senat. Pra tomar banho. Pra estacionar em um patio de triagem.sabe não

  24. Eginaldo de Oliveira Nóbrega em 22 de janeiro de 2019 às 20:50

    Chupa ruralistas,se não aceitarem a tabela comprem caminhões e façam o transporte de sua produção, aí vcs. vao ver quanto custa as despesas de um caminhão. Mas compra mesmo que eu tô pagando pra ver.

  25. ademilson em 22 de janeiro de 2019 às 21:57

    Bem feito para os motorista burro que coloco foto do presidente nos caminhão vai continuar a mesma merda

  26. Emerson dos Santos em 22 de janeiro de 2019 às 23:46

    Sou caminhoneiro a 27 anos. A meu ver esse canal rural so ve o lado do produtor voces deveriam se informar melhor sobre a realidade dos caminhoneiros

  27. Edílson em 22 de janeiro de 2019 às 23:47

    Todos frete já estão acima da tabela sou motorista carreteiro pego um frete de 8 mil mais atrasportadora já ta levando mis 5 ou 6 mil so para fazer o manifesto então tem que eliminar o atravessador

  28. JADSON SIQUEIRA DA SILVA em 23 de janeiro de 2019 às 06:19

    O ideal seria acabar com os “ET’s, mais conhecidos como caminhoneiros ou “motor”.
    Uma indústria tão pobre como a brasileira não vai suportar pagar um valor justo e trazer dignidade a uma classe sofrida de trabalhadores.
    Mas também acho que o governo deveria dar uma atenção maior a essas mesmas empresas em questão fiscal, e cobrar com justiça seus devidos impostos e tributos.
    Acho que tá na hora de todos os automos e empresas que foram lesadas por todos esses anos, encostar seus caminhões nas garagens e aguardarem a decisão daqueles que se quer entraram na cabine de um caminhão.

  29. Dalton Antônio da Silva em 23 de janeiro de 2019 às 09:04

    O problema não somos nós autônomos, são as empresas. Eles sim,recebem até acima do mínimo. Mas repassam aos autônomos abaixo do mínimo. Esse é o problema. São muitos gananciosos . A ANTT deveria gerenciar a documentação que sai das empresas. Ai quem carregar abaixo deve ser multado tmb . A a vcs que são contra , por que seus produtos são controlados pela Bolsa ? Vcs não esperam alta pra vender? Ah me ajudem ai …

  30. Joao em 23 de janeiro de 2019 às 10:19

    Só falam bobagem. Querem que os caminhoneiros trabalhem de graça pra essa turma de folgados que estão acostumados a ganhar milhões. O tabelamento não aumentou muito para o produtor, simplesmente diminuiu a porcentagem das transportadoras que são os atravessadores que ganham muito e não fazem nada.

  31. fabio cordova em 23 de janeiro de 2019 às 13:31

    engraçado quando os caminhoneiroa tinham que deixar de pagar contas pessoais para por en cima do caminhao pq o frete era um lixo.empresarios ganhavam muita grana en cima dos caminhoneiros e seus produtos sempre aumentando de preço pq o autonomo tem que paga o pato fodam se

  32. Gilnei Paulo Venâncio em 23 de janeiro de 2019 às 13:46

    Muito bonito todos setores querem ter lucro retomar o crescimento em nome do país e agronegócio mas o transporte tem trabalhar escravizados conforme a suas necessidades de lucro ………a lei Áurea foi assinado mas como a lei também não está sendo aplicado

  33. Gilmar em 23 de janeiro de 2019 às 14:31

    O problema do Agro negócio e da Nair parte dos brasileiros é que.so querem obter lucros abusivos em seus negócios.e quanto ao próximo.dánice..principalmente os coitados dos autônomos..

  34. Adilson José dos santos em 23 de janeiro de 2019 às 16:30

    As empresas não pode pagar a tabela do frete, mas pode tabela e aumentar os preços de seus produtos.

  35. Jusemberg R.L. de Almeida em 23 de janeiro de 2019 às 17:40

    As empresas já pagam bem mais que o valor da tabela para as transportadoras. E as transportadoras se transformam em atravessadores. Sem encontra hoje milhares destas que sequer tem mais de um caminhão. Uma política onde se coloque em igualdade as empresas contratarem tanto terceiros como transportadoras resolveria e até mesmo melhoraria o custo do transporte para as empresas. O simples legislação, onde as empresas possam emitir o CTE sem ter a necessidade de ser transportadora, como uma linha de crédito para as empresas pagarem o frete resolveria uma boa parte desse problema. A pergunta é, porque os transportadores autônomos tem que pagar para as transportadoras, para realizar o mesmo trabalho para uma empresa?

  36. Daniel em 23 de janeiro de 2019 às 19:58

    Simples de resolver. As industrias e o agronegócio devem ter a sua frota e bancar os seus proprios custos.
    Com certeza eles verão que a tabela só cobre o custo mínimo e que é alto o custo do transporte

  37. Marciano miranda em 23 de janeiro de 2019 às 23:01

    E facil de resolver so abaixar diesel que da certo

  38. Reginaldo Ferreira de Sousa em 24 de janeiro de 2019 às 05:44

    Saudações! Se o setor agrícola está pagando o valor da Tabela de Frete para alguém, tem que se cobrar desse intermediário. Sou transportador e ninguém está me pagando o valor da Tabela para levar a carga. O problema do setor produtivo é a SUBORDINAÇÃO aos atravessadores. Porque não se faz contratos direto com o proprietário do veículo?!

  39. Oibaf em 24 de janeiro de 2019 às 10:58

    É muita idiotisee destes animais, achando que o transporte brasileiro de cargas doroviario deve se manter d graça,se estes animais N sabem q td tem um preço,i da mais no Brasil onde tem lixo de estradas e pedágios uma super vergonha d super faturados a cada caminhão q passa

  40. Edson em 24 de janeiro de 2019 às 11:36

    O o canal rural quer? Que os caminhoneiro carreguei o peso do país sem ter lucratividade, vcs São ricos na costa do tranalhador rural e do país, ter avida dentro de uma cabine de caminhão vcs não quer e nem que que um filho de vcs tenhas, vivo de frete de combustível e se não tiver cuidado não pagos meus impostos que chega a quasse 4500 anual só de documentos fora os compostos

  41. Alduino antonio pereira junior em 24 de janeiro de 2019 às 19:32

    Boa tarde a todos é preciso ter a tabela mínima de frete para que os motoristas autônomos consigo pelo menos manter o caminhão em boas condições e o sustento da família caso isso não aconteça vai acontecer muitos acidentes por falta de condições financeiras para manter os caminhões muitas vidas se perderam

  42. Marcelo Martins damasceno em 24 de janeiro de 2019 às 21:13

    Eu não consigo entender mais nada pois para quem é autônomo não dava mais pois estávamos sucateados agora que melhorou um pouco os ricoes estão achando ruim porque aumentou um pouco nosobre custos para eles diminuindo um pouco nos lucros aí virou essa polêmica toda o problema é que tem dinheiro acha que só ele pode ter o Brasil precisa aprender dividir a fatia para o dinheiro circular e todo mundo ficar bem outra coisa parece que o transporte virou lavagem de dinheiro sujo pois hoje existem empresas com mais de 1000 caminhões e trabalhando com um preço que não dá será que é para dar prejuízo pra lavar dinheiro? Pois como que se consegue e eu não vou poder falar mais nada pois tenho mede de me matarem.

Deixe um Comentário





Mais Notícias