MP DO FRETE

Perdas em Goiás podem somar R$ 600 mi com tabela de frete, diz Aprosoja

Empresas compradoras teriam diminuído ou mesmo paralisado o fluxo de negociações nas últimas semanas por causa do tabelamento, diz presidente da entidade

caminhão
Foto: USP Imagens

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Goiás (Aprosoja-GO) estima que o potencial de perdas ao setor de grãos do estado com o tabelamento do frete é de R$ 600 milhões. “Esse número calculado pelo Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária Goiana (Ifag), ligado à Associação dos Produtores de Soja e Milho de Goiás (Aprosoja-GO), considera os efeitos sobre a alta dos fretes, o aumento dos preços de insumos agrícolas e os impactos negativos sobre as cotações dos grãos”, disse a entidade em nota. A Medida Provisória (MP) 832/2018, que estabelece o tabelamento de fretes, foi aprovada pelo Congresso nesta quarta-feira, dia 11.

De acordo com a Aprosoja, a incerteza sobre a aplicação ou não da tabela fez com que produtores perdessem oportunidades de vendas, “já que muitas empresas compradoras diminuíram ou mesmo paralisaram o fluxo de negociações nas últimas semanas”. O presidente da Aprosoja-GO, Adriano Barzotto, vê efeito sobre a inflação nos próximos meses. “Isso gera um efeito cascata que prejudica não só os produtores, mas toda a população.”

A entidade destaca a preocupação do setor produtivo com a colheita do milho de segunda safra em Goiás. “Apesar do atraso no plantio, estamos conseguindo bons resultados nas lavouras, mas agora esse milho está chegando e não vamos ter onde colocar, porque os armazéns ainda têm muita soja”, afirma o presidente da Aprosoja-GO.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *