Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Pecuária » Suíno » Surto de peste suína africana faz preço da carne na China subir 30% em junho

DISPAROU

Surto de peste suína africana faz preço da carne na China subir 30% em junho

A previsão do Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais do país é que a tensão sobre o fornecimento de suínos se intensifique no segundo semestre

18 de julho de 2019 às 09h37
Por Canal Rural
peste suína, porco, suíno, suinocultura, granja

Criadora examina suínos em uma granja na China – Foto: Xinhua

O surto de peste suína africana tem elevado consideravelmente os preços da carne suína na China. De acordo com o Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais do país, em junho, a cotação média da carne no mercado atacadista subiu 29,8% em um ano. A previsão da entidade é que a tensão sobre o fornecimento do produto se intensifique no segundo semestre deste ano.

A produção de suínos tem caído continuamente no país asiático desde o quarto trimestre de 2018. Com isso, a pressão sobre o fornecimento da carne ficou maior nos últimos meses, resultando também em alta dos preços da carne bovina, de carneiro, de frango e ovos. A carne suína, no entanto, é o tipo mais consumido pelos chineses.

“Enquanto os preços da carne suína seguem em alta no segundo semestre, o aumento da produção pecuária e avícola já está otimizando a estrutura de consumo no país. À medida que a China expandir suas importações de suínos, o fornecimento de carne na China deverá se estabilizar”, informou Tang Ke, funcionário da pasta.

Peste suína africana

O país relatou o seu primeiro caso de peste suína africana em agosto de 2018, na província de Liaoning, no nordeste da China, seguido por uma série de surtos em diversas outras regiões. Desde o primeiro caso, o ministério tem tomado medidas efetivas para combater a doença e estabilizar a produção suína.

2 comentários

  1. Jessé Bueno em 22 de julho de 2019 às 04:57

    O produtor brasileiro amargou grandes prejuízos nos últimos anos . Hora de recuperar .

  2. Léo em 24 de julho de 2019 às 10:57

    devia -se marcar um dia por semana para se caçar/ matar javalis, estes destroem agricultura, silvicultura, e o nosso meio ambiente, causam prezuisos enormes aos agricultores, o estado nada tem feito para se diminuir os javalis sao aos milhares por distrito +- ora qualquer dia como é que vamos reduzi los de maneira nenhuma

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Pecuária » Suíno » Surto de peste suína africana faz preço da carne na China subir 30% em junho

DISPAROU

Surto de peste suína africana faz preço da carne na China subir 30% em junho

A previsão do Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais do país é que a tensão sobre o fornecimento de suínos se intensifique no segundo semestre

18 de julho de 2019 às 09h37
Por Canal Rural
peste suína, porco, suíno, suinocultura, granja

Criadora examina suínos em uma granja na China – Foto: Xinhua

O surto de peste suína africana tem elevado consideravelmente os preços da carne suína na China. De acordo com o Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais do país, em junho, a cotação média da carne no mercado atacadista subiu 29,8% em um ano. A previsão da entidade é que a tensão sobre o fornecimento do produto se intensifique no segundo semestre deste ano.

A produção de suínos tem caído continuamente no país asiático desde o quarto trimestre de 2018. Com isso, a pressão sobre o fornecimento da carne ficou maior nos últimos meses, resultando também em alta dos preços da carne bovina, de carneiro, de frango e ovos. A carne suína, no entanto, é o tipo mais consumido pelos chineses.

“Enquanto os preços da carne suína seguem em alta no segundo semestre, o aumento da produção pecuária e avícola já está otimizando a estrutura de consumo no país. À medida que a China expandir suas importações de suínos, o fornecimento de carne na China deverá se estabilizar”, informou Tang Ke, funcionário da pasta.

Peste suína africana

O país relatou o seu primeiro caso de peste suína africana em agosto de 2018, na província de Liaoning, no nordeste da China, seguido por uma série de surtos em diversas outras regiões. Desde o primeiro caso, o ministério tem tomado medidas efetivas para combater a doença e estabilizar a produção suína.

2 comentários

  1. Jessé Bueno em 22 de julho de 2019 às 04:57

    O produtor brasileiro amargou grandes prejuízos nos últimos anos . Hora de recuperar .

  2. Léo em 24 de julho de 2019 às 10:57

    devia -se marcar um dia por semana para se caçar/ matar javalis, estes destroem agricultura, silvicultura, e o nosso meio ambiente, causam prezuisos enormes aos agricultores, o estado nada tem feito para se diminuir os javalis sao aos milhares por distrito +- ora qualquer dia como é que vamos reduzi los de maneira nenhuma

Deixe um Comentário





Mais Notícias