Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Pecuária » Peixes » Aquicultura: tecnologia israelense está na mira do governo brasileiro

FORTALECENDO LAÇOS

Aquicultura: tecnologia israelense está na mira do governo brasileiro

Ministério da Agricultura destaca que o país aliado usa técnica moderna para criação de peixes com reaproveitamento da água que seria útil ao Nordeste

30 de março de 2019 às 15h34
Por Canal Rural, com informações da Agência Brasil
aquicultura

Foto: Secretaria da Pesca e Aquicultura

O presidente Jair Bolsonaro chegou neste domingo, dia 31, a Israel para visita oficial de três dias. Ao recepcioná-lo, em Tel Aviv, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu chamou-o de “meu amigo” e destacou a importância mundial do Brasil. Segundo ele, o país tem grandes dimensões e potencial.

“Acredito que, sob sua liderança, esse potencial será realizado não apenas para o Brasil, mas também para as relações entre Israel e Brasil no comércio, investimentos, tecnologia, agricultura, energia, turismo, em todos os campos”, disse Netanyahu, no discurso de boas-vindas.

O secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Junior, integra a comitiva presidencial. No Twitter, o Ministério da Agricultura destacou que “Israel utiliza modernas tecnologias de criação de peixes e crustáceos com reaproveitamento da água. Excelente para a aquicultura no Nordeste brasileiro”. A pasta também evidenciou sinais de parcerias que envolvam o agronegócio.

Os governos do Brasil e de Israel firmaram neste domingo cinco acordos de cooperação nas áreas de defesa, serviços aéreos, prevenção e combate ao crime organizado, ciência e tecnologia e um memorando de entendimento em segurança cibernética.

Grandes amigos

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, prestigiou a posse de Jair Bolsonaro. Na ocasião, eles se comprometeram a estreitar os laços entre os países.

O presidente brasileiro já demonstrou interesse em importar a técnica de dessalinização usada no país do Oriente Médio. E Israel estuda importar carne congelada brasileira.

A comitiva

Bolsonaro será acompanhado por uma comitiva formada pelos ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Bento Costa Lima (Minas e Energia), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia, Informação e Comunicações), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), além do tenente-brigadeiro do ar Raul Botelho, chefe do Estado-Maior conjunto das Forças Armadas, e do secretário da Pesca, Jorge Seif. O grupo ainda inclui os senadores Chico Rodrigues (DEM-RR), Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e Soraya Thronicke (PSL-MS) e a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF).

5 comentários

  1. Francisco Antônio Quinto Barros (Engenheiro de Pesca) em 30 de março de 2019 às 18:28

    A cultivo de peixes e camarões com reaproveitamento de água já existe no Brasil e no Nordeste brasileiro; o governo federal é que não tem conhecimento sobre aquicultura.

  2. Felipe em 30 de março de 2019 às 23:46

    Era só ele dar uma olhada aqui no país, especialmente na FURG onde já temos um dos maiores centro de pesquisas só te o assunto.

  3. Billy em 31 de março de 2019 às 18:33

    Qual tecnologia seria essa?
    BFT?
    Mixotrofico?
    Aquatropic?
    RAS?
    Aquamimetismo?
    Integrado?
    Todas essas tecnologias as instituições de ensino superior cearense já possuem.

  4. Antonio Hugo em 3 de abril de 2019 às 19:42

    Cultivos com reaproveitamento de água(Recirculação) já existem em varias regiões do Brasil e varias universidade públicas vêm desenvolvendo pesquisas para melhora do setor. Basta eles conhecer mais o nosso Brasil e parar de pagar pau pra gringo.

  5. […] Aquicultura: tecnologia israelense está na mira do governo brasileiro […]

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Pecuária » Peixes » Aquicultura: tecnologia israelense está na mira do governo brasileiro

FORTALECENDO LAÇOS

Aquicultura: tecnologia israelense está na mira do governo brasileiro

Ministério da Agricultura destaca que o país aliado usa técnica moderna para criação de peixes com reaproveitamento da água que seria útil ao Nordeste

30 de março de 2019 às 15h34
Por Canal Rural, com informações da Agência Brasil
aquicultura

Foto: Secretaria da Pesca e Aquicultura

O presidente Jair Bolsonaro chegou neste domingo, dia 31, a Israel para visita oficial de três dias. Ao recepcioná-lo, em Tel Aviv, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu chamou-o de “meu amigo” e destacou a importância mundial do Brasil. Segundo ele, o país tem grandes dimensões e potencial.

“Acredito que, sob sua liderança, esse potencial será realizado não apenas para o Brasil, mas também para as relações entre Israel e Brasil no comércio, investimentos, tecnologia, agricultura, energia, turismo, em todos os campos”, disse Netanyahu, no discurso de boas-vindas.

O secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Junior, integra a comitiva presidencial. No Twitter, o Ministério da Agricultura destacou que “Israel utiliza modernas tecnologias de criação de peixes e crustáceos com reaproveitamento da água. Excelente para a aquicultura no Nordeste brasileiro”. A pasta também evidenciou sinais de parcerias que envolvam o agronegócio.

Os governos do Brasil e de Israel firmaram neste domingo cinco acordos de cooperação nas áreas de defesa, serviços aéreos, prevenção e combate ao crime organizado, ciência e tecnologia e um memorando de entendimento em segurança cibernética.

Grandes amigos

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, prestigiou a posse de Jair Bolsonaro. Na ocasião, eles se comprometeram a estreitar os laços entre os países.

O presidente brasileiro já demonstrou interesse em importar a técnica de dessalinização usada no país do Oriente Médio. E Israel estuda importar carne congelada brasileira.

A comitiva

Bolsonaro será acompanhado por uma comitiva formada pelos ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Bento Costa Lima (Minas e Energia), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia, Informação e Comunicações), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), além do tenente-brigadeiro do ar Raul Botelho, chefe do Estado-Maior conjunto das Forças Armadas, e do secretário da Pesca, Jorge Seif. O grupo ainda inclui os senadores Chico Rodrigues (DEM-RR), Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e Soraya Thronicke (PSL-MS) e a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF).

5 comentários

  1. Francisco Antônio Quinto Barros (Engenheiro de Pesca) em 30 de março de 2019 às 18:28

    A cultivo de peixes e camarões com reaproveitamento de água já existe no Brasil e no Nordeste brasileiro; o governo federal é que não tem conhecimento sobre aquicultura.

  2. Felipe em 30 de março de 2019 às 23:46

    Era só ele dar uma olhada aqui no país, especialmente na FURG onde já temos um dos maiores centro de pesquisas só te o assunto.

  3. Billy em 31 de março de 2019 às 18:33

    Qual tecnologia seria essa?
    BFT?
    Mixotrofico?
    Aquatropic?
    RAS?
    Aquamimetismo?
    Integrado?
    Todas essas tecnologias as instituições de ensino superior cearense já possuem.

  4. Antonio Hugo em 3 de abril de 2019 às 19:42

    Cultivos com reaproveitamento de água(Recirculação) já existem em varias regiões do Brasil e varias universidade públicas vêm desenvolvendo pesquisas para melhora do setor. Basta eles conhecer mais o nosso Brasil e parar de pagar pau pra gringo.

  5. […] Aquicultura: tecnologia israelense está na mira do governo brasileiro […]

Deixe um Comentário





Mais Notícias