Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Pecuária » Leite » Com fim de taxa sobre importação de leite, setor quer contrapartida

negociação

Com fim de taxa sobre importação de leite, setor quer contrapartida

O Sindilat quer que governo flexibilize outras demandas da cadeia, como o programa de escoamento da produção e outras linhas de pré-comercialização

07 de fevereiro de 2019 às 10h24
Por Canal Rural
leite de vaca

Foto: Seagri-DF

O setor leiteiro quer uma espécie de contrapartida do governo para diminuir os possíveis impactos da suspensão de tarifas antidumping sobre a importação de leite vindo da União Europeia e da Nova Zelândia.

Segundo o presidente do Sindicato da Indústria de Laticínios do Rio Grande do Sul (Sindilat), Alexandre Guerra, a expectativa agora é que o governo federal flexibilize outras demandas da cadeia nacional, como o programa de escoamento da produção e outras linhas de pré-comercialização do leite.  

A expectativa do Sindilat é que as demandas do setor sejam discutidas em reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Leite, em Brasília, que acontece na próxima terça-feira, dia 12.


O vice-presidente da Faesp (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo), Tirso Meirelles, manifesta a sua contrariedade com a medida.

Entenda o caso

O governo federal decidiu suspender a tarifa sobre importação de leite europeu e da Nova Zelândia. A taxa vinha sendo aplicada desde a resolução de 2001, como uma maneira de proteger o produto nacional. A medida encerra a cobrança antidumping sobre o leite em pó, integral e desnatado.

A alíquota era de 14,8% para o produto vindo da União Europeia e de 3,9% para o item da Nova Zelândia. A decisão do Ministério da Economia, por meio da Secretaria Especial de Comércio Exterior e assuntos internacionais, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), desta quarta-feira, 6.

Leite: o produtor brasileiro sobrevive ao fim das tarifas antidumping?

 

4 comentários

  1. Marvin Pedroso em 7 de fevereiro de 2019 às 20:14

    Viva ao livre mercado e concorrência. Chega de protecionismo, que somente faz o produtor ficar acomodado e não se modernizar e ser mais eficiente.

  2. BRUNO em 8 de fevereiro de 2019 às 08:35

    Faz arminha com as mãos e grita “Fora PT”!

  3. Fabrício B. Aguirre em 8 de fevereiro de 2019 às 11:44

    Está cumprindo promessas de campanha. Políticas socialistas e protecionistas serão aos poucos descontinuadas.

  4. antonio cesar em 9 de fevereiro de 2019 às 10:49

    Pois é…..Onde está a Bancada dos agrocaloteiros

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Pecuária » Leite » Com fim de taxa sobre importação de leite, setor quer contrapartida

negociação

Com fim de taxa sobre importação de leite, setor quer contrapartida

O Sindilat quer que governo flexibilize outras demandas da cadeia, como o programa de escoamento da produção e outras linhas de pré-comercialização

07 de fevereiro de 2019 às 10h24
Por Canal Rural
leite de vaca

Foto: Seagri-DF

O setor leiteiro quer uma espécie de contrapartida do governo para diminuir os possíveis impactos da suspensão de tarifas antidumping sobre a importação de leite vindo da União Europeia e da Nova Zelândia.

Segundo o presidente do Sindicato da Indústria de Laticínios do Rio Grande do Sul (Sindilat), Alexandre Guerra, a expectativa agora é que o governo federal flexibilize outras demandas da cadeia nacional, como o programa de escoamento da produção e outras linhas de pré-comercialização do leite.  

A expectativa do Sindilat é que as demandas do setor sejam discutidas em reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Leite, em Brasília, que acontece na próxima terça-feira, dia 12.


O vice-presidente da Faesp (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo), Tirso Meirelles, manifesta a sua contrariedade com a medida.

Entenda o caso

O governo federal decidiu suspender a tarifa sobre importação de leite europeu e da Nova Zelândia. A taxa vinha sendo aplicada desde a resolução de 2001, como uma maneira de proteger o produto nacional. A medida encerra a cobrança antidumping sobre o leite em pó, integral e desnatado.

A alíquota era de 14,8% para o produto vindo da União Europeia e de 3,9% para o item da Nova Zelândia. A decisão do Ministério da Economia, por meio da Secretaria Especial de Comércio Exterior e assuntos internacionais, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), desta quarta-feira, 6.

Leite: o produtor brasileiro sobrevive ao fim das tarifas antidumping?

 

4 comentários

  1. Marvin Pedroso em 7 de fevereiro de 2019 às 20:14

    Viva ao livre mercado e concorrência. Chega de protecionismo, que somente faz o produtor ficar acomodado e não se modernizar e ser mais eficiente.

  2. BRUNO em 8 de fevereiro de 2019 às 08:35

    Faz arminha com as mãos e grita “Fora PT”!

  3. Fabrício B. Aguirre em 8 de fevereiro de 2019 às 11:44

    Está cumprindo promessas de campanha. Políticas socialistas e protecionistas serão aos poucos descontinuadas.

  4. antonio cesar em 9 de fevereiro de 2019 às 10:49

    Pois é…..Onde está a Bancada dos agrocaloteiros

Deixe um Comentário





Mais Notícias