Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Pecuária » Boi » Boi gordo segue com preços firmes nas principais regiões

MERCADO

Boi gordo segue com preços firmes nas principais regiões

No geral, a oferta de animais terminados permanece restrita, levando os frigoríficos de menor porte a encontrar maior dificuldade na composição de suas escalas de abate

14 de outubro de 2019 às 18h49
Por Agência Safras
rebanho bovino, boi gordo, pecuária

Foto: Lenito Abreu/Governo do Tocantins

O mercado físico do boi gordo segue com preços firmes nas principais praças de produção e comercialização do país. “No geral, a oferta de animais terminados permanece restrita, levando os frigoríficos de menor porte a encontrar maior dificuldade na composição de suas escalas de abate. Já os frigoríficos de maior porte permanecem pouco participativos, dada a incidência de contratos a termo e de outras modalidades de parceria, além da utilização de confinamento próprio para suprir suas necessidades mais imediatas de matéria-prima”, comenta o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias. 

Em São Paulo, preços permaneceram em R$ 165,00 a arroba, estáveis. Em Minas Gerais, preços de R$ 158,00 a arroba, estáveis. Em Mato Grosso do Sul, os preços permaneceram em R$ 155,00 a arroba. Em Goiás, o preço permaneceu em R$ 153,00 a arroba em Goiânia. Já em Mato Grosso, o preço passou de R$ 147,00 a arroba para R$ 148,00 a arroba.  

Atacado

O atacado volta a se deparar com alta em seus preços.  “No entanto, o movimento de alta tende a perder intensidade no decorrer da segunda quinzena do mês, período que conta com menor apelo ao consumo”, disse Iglesias.  

Ao mesmo tempo, as exportações permanecem em bom nível, reduzindo a disponibilidade interna e acentuando a propensão a reajustes no mercado doméstico. 

O corte traseiro teve preço de R$ 13,40 por quilo, estável. A ponta de agulha passou de R$ 8,70 por quilo para R$ 8,75 por quilo, enquanto o corte dianteiro aumentou quinze centavos, ficando em R$ 8,90, por quilo. 

Câmbio 

O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com queda de 0,70%, sendo negociado a R$ 4,0960 para venda e a R$ 4,094 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,081 e a máxima de R$ 4,127.

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Pecuária » Boi » Boi gordo segue com preços firmes nas principais regiões

MERCADO

Boi gordo segue com preços firmes nas principais regiões

No geral, a oferta de animais terminados permanece restrita, levando os frigoríficos de menor porte a encontrar maior dificuldade na composição de suas escalas de abate

14 de outubro de 2019 às 18h49
Por Agência Safras
rebanho bovino, boi gordo, pecuária

Foto: Lenito Abreu/Governo do Tocantins

O mercado físico do boi gordo segue com preços firmes nas principais praças de produção e comercialização do país. “No geral, a oferta de animais terminados permanece restrita, levando os frigoríficos de menor porte a encontrar maior dificuldade na composição de suas escalas de abate. Já os frigoríficos de maior porte permanecem pouco participativos, dada a incidência de contratos a termo e de outras modalidades de parceria, além da utilização de confinamento próprio para suprir suas necessidades mais imediatas de matéria-prima”, comenta o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias. 

Em São Paulo, preços permaneceram em R$ 165,00 a arroba, estáveis. Em Minas Gerais, preços de R$ 158,00 a arroba, estáveis. Em Mato Grosso do Sul, os preços permaneceram em R$ 155,00 a arroba. Em Goiás, o preço permaneceu em R$ 153,00 a arroba em Goiânia. Já em Mato Grosso, o preço passou de R$ 147,00 a arroba para R$ 148,00 a arroba.  

Atacado

O atacado volta a se deparar com alta em seus preços.  “No entanto, o movimento de alta tende a perder intensidade no decorrer da segunda quinzena do mês, período que conta com menor apelo ao consumo”, disse Iglesias.  

Ao mesmo tempo, as exportações permanecem em bom nível, reduzindo a disponibilidade interna e acentuando a propensão a reajustes no mercado doméstico. 

O corte traseiro teve preço de R$ 13,40 por quilo, estável. A ponta de agulha passou de R$ 8,70 por quilo para R$ 8,75 por quilo, enquanto o corte dianteiro aumentou quinze centavos, ficando em R$ 8,90, por quilo. 

Câmbio 

O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com queda de 0,70%, sendo negociado a R$ 4,0960 para venda e a R$ 4,094 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,081 e a máxima de R$ 4,127.

Deixe um Comentário





Mais Notícias