Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Pecuária » Boi » Boi gordo segue com preços em alta em cenário de oferta escassa

COTAÇÃO

Boi gordo segue com preços em alta em cenário de oferta escassa

Os agentes que compõem o mercado seguem digerindo a recente alta dos preços do boi gordo, um movimento intenso que tende a apresentar continuidade no curto prazo

08 de novembro de 2019 às 19h38
Por Agência Safras
boi gordo

Foto: Secretaria de Agricultura de São Paulo

O mercado físico do boi gordo segue com preços firmes nas principais praças de produção e comercialização do país. “Os agentes que compõem o mercado seguem digerindo a recente alta dos preços do boi gordo, um movimento intenso que tende a apresentar continuidade no curto prazo”, comenta o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias. 

Segundo ele, a escassez de oferta é um elemento marcante para compreender a evolução do mercado neste segundo semestre. “Com o aquecimento da demanda na primeira quinzena de novembro os preços simplesmente explodiram”, assinalou. 

Em São Paulo, os preços permaneceram em R$ 180,00 a arroba. Em Minas Gerais, preços de R$ 176,00 a arroba, contra R$ 175,00 a arroba ontem. Em Mato Grosso do Sul, preços em R$ 171,00 – R$ 172 a arroba, ante R$ 171,00 a arroba ontem. 

Em Goiás, o preço permaneceu em R$ 170,00 a arroba, em Goiânia. Já no Mato Grosso o preço subiu de R$ 158,00 a arroba para R$ 159,00 a arroba. 

Atacado 

No atacado, os preços da carne bovina seguem estáveis. “O ambiente de negócios ainda sugere por reajustes no curto prazo, em linha com o ápice do consumo no decorrer do período de virada de mês. O ótimo desempenho das exportações também pode ser apontado como elemento relevante, oferecendo respaldo para movimentos mais agressivos de alta no mercado doméstico”, disse Iglesias.  

O corte traseiro teve preço de R$ 14,00 por quilo. A ponta de agulha permaneceu em R$ 9,30 por quilo, enquanto o corte dianteiro seguiu em em R$ 9,40 por quilo.

1 comentário

  1. Amarilio Erthal em 10 de novembro de 2019 às 18:12

    O boi gordo está parado em torno de 150,00/@ há uns 3 a 4 anos, ninguém fala nada. Agora dá um reajuste de 15 % e a notícia enche as manchetes dia a dia. Vamos deixar de hipocrisia gente! Tudo reajusta anualmente e ninguém fala nada. O pecuarista brasileiro é o mais defasado do mundo.

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Pecuária » Boi » Boi gordo segue com preços em alta em cenário de oferta escassa

COTAÇÃO

Boi gordo segue com preços em alta em cenário de oferta escassa

Os agentes que compõem o mercado seguem digerindo a recente alta dos preços do boi gordo, um movimento intenso que tende a apresentar continuidade no curto prazo

08 de novembro de 2019 às 19h38
Por Agência Safras
boi gordo

Foto: Secretaria de Agricultura de São Paulo

O mercado físico do boi gordo segue com preços firmes nas principais praças de produção e comercialização do país. “Os agentes que compõem o mercado seguem digerindo a recente alta dos preços do boi gordo, um movimento intenso que tende a apresentar continuidade no curto prazo”, comenta o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias. 

Segundo ele, a escassez de oferta é um elemento marcante para compreender a evolução do mercado neste segundo semestre. “Com o aquecimento da demanda na primeira quinzena de novembro os preços simplesmente explodiram”, assinalou. 

Em São Paulo, os preços permaneceram em R$ 180,00 a arroba. Em Minas Gerais, preços de R$ 176,00 a arroba, contra R$ 175,00 a arroba ontem. Em Mato Grosso do Sul, preços em R$ 171,00 – R$ 172 a arroba, ante R$ 171,00 a arroba ontem. 

Em Goiás, o preço permaneceu em R$ 170,00 a arroba, em Goiânia. Já no Mato Grosso o preço subiu de R$ 158,00 a arroba para R$ 159,00 a arroba. 

Atacado 

No atacado, os preços da carne bovina seguem estáveis. “O ambiente de negócios ainda sugere por reajustes no curto prazo, em linha com o ápice do consumo no decorrer do período de virada de mês. O ótimo desempenho das exportações também pode ser apontado como elemento relevante, oferecendo respaldo para movimentos mais agressivos de alta no mercado doméstico”, disse Iglesias.  

O corte traseiro teve preço de R$ 14,00 por quilo. A ponta de agulha permaneceu em R$ 9,30 por quilo, enquanto o corte dianteiro seguiu em em R$ 9,40 por quilo.

1 comentário

  1. Amarilio Erthal em 10 de novembro de 2019 às 18:12

    O boi gordo está parado em torno de 150,00/@ há uns 3 a 4 anos, ninguém fala nada. Agora dá um reajuste de 15 % e a notícia enche as manchetes dia a dia. Vamos deixar de hipocrisia gente! Tudo reajusta anualmente e ninguém fala nada. O pecuarista brasileiro é o mais defasado do mundo.

Deixe um Comentário





Mais Notícias