TEMPO REAL

Paralisação dos caminhoneiros entra no 4º dia

O Canal Rural separou as notícias mais importantes sobre o assunto

Fonte: Marcelo Pinto/APlateia

Os caminhoneiros entraram nesta quinta-feira, dia 24, no quarto dia de manifestações contra o preço elevado dos combustíveis. O ato  também conta com a participação de produtores rurais de todo o Brasil. O movimento protesta contra a alta do preço dos combustíveis.

Reunião
Durou cerca de duas horas a reunião desta manhã do presidente Michel Temer com o presidente da Petrobras, Pedro Parente, integrantes da equipe econômica e da área de transportes. O governo busca soluções para encerrar a paralisação dos caminhoneiros que já dura quatro dias e acabar com o bloqueio nas rodovias e a ameaça de desabastecimento em vários setores.

O encontro foi preparatório para a nova rodada de conversas com os caminhoneiros marcaoa para as 14h, na Casa Civil. 

Protestos continuam
A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) informou que o movimento de paralisação da categoria só terminará quando a redução de impostos dos combustíveis for publicada no Diário Oficial da União (DOU). Segundo a entidade, o movimento “não acredita mais nas promessas do governo” e que, por isso, a paralisação só terminará quando a decisão “virar lei”.

Mais cedo, o presidente Abcam, José da Fonseca Lopes, havia dito em entrevista à uma rádio que as manifestações poderiam ser suspensas nesta tarde, desde que o projeto que prevê zerar o Pis/Cofins sobre o óleo diesel fosse aprovado pelo Senado. 

Abate de animais está sendo prejudicado

O transporte de bovinos para abate segue prejudicado com a greve dos caminhoneiros, informa a Scot Consultoria, em nota. Sem condições de adquirir matéria-prima, alguns frigoríficos  suspenderam todos os processos industriais e outros estão abatendo somente o gado que está no curral ou próximo da indústria, diz a Scot. “Além dos efeitos no processo de industrialização, a greve também afetou o escoamento da carne, e alguns frigoríficos estão com os estoques cheios.”

A consultoria acrescenta: “O reflexo sobre o preço da carne para o consumidor dependerá do estoque no varejo. Mas se a greve perdurar, o abastecimento de carne pode ser afetado.”

Mais categorias aderem à greve

Aos gritos de “Fora, Temer!”, “Bolsonaro!”,  pedidos de intervenção militar, e críticas ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, mais de uma centena de motoristas de aplicativos e motociclistas se juntaram aos caminhoneiros que bloqueiam as saídas da Refinaria Duque de Caxias (Reduc), na Baixada Fluminense. De acordo com o presidente do motoclube Guardians, Maxwell Souza, mais de 1 mil motociclistas são esperados no local e as adesões de motoclubes acontecem em todo o País.

“Não somos caminhoneiros, mas somos brasileiros e o problema do combustível atinge todo mundo. Não adianta o governo querer tirar de um lado, para diminuir o preço, e cobrar de outro, com mais impostos”, disse, enquanto os manifestantes gritavam palavras de ordem contra Gilmar Mendes em cima de um caminhão.

Sucroalcooleiras na B3 não se pronunciam

Os três grupos produtores de etanol com capital aberto e ações negociadas na B3 – Cosan/Raízen Energia, São Martinho e Biosev -, além da Bunge Açúcar e Bioenergia, que protocolou um prospecto para possível Oferta Pública de Ações (OPA), evitaram comentar os impactos nas operações na paralisação nacional de caminhoneiros. Apenas a São Martinho, por meio da assessoria de comunicação, informou que “está acompanhando a greve dos caminhoneiros, mas continua operando normalmente”.

A Bioesev e a Bunge Açúcar e Bioenergia informaram que não farão comentários sobre as paralisações. A Raízen Energia relatou que as informações sobre o movimento seriam dadas pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), principal entidade de classe do setor.

Movimentação de granéis cai 27% em Paranaguá

A paralisação dos caminhoneiros reduziu em 27% a movimentação diária de granéis no Porto de Paranaguá, de 150 mil para 110 mil toneladas nesta quinta-feira, disse a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), em nota.

“Depois de quatro dias de paralisação total das atividades rodoviárias, os estoques de grãos para exportação nos armazéns estão a 51% da capacidade total do porto”, informou a Appa. “Deste modo, o porto registrou uma queda nas exportações de granéis de 15 mil toneladas por dia, passando de 85 mil para 60 mil toneladas diárias.”

Já a importação de fertilizantes foi interrompida em berços de atracação em que o transporte da carga é feito por caminhões, segundo a Appa. Apenas os berços que operam com esteiras continuam funcionando. “A movimentação de desembarque de fertilizantes caiu de 25 mil toneladas ao dia para 10 mil toneladas”.

Entidade gaúcha cobra solução do governo

Em nota emitida nesta quinta, a Federação das Cooperativas Agropecuárias do Rio Grande do Sul (Fecoagro-RS) reforça seus receios em relação aos desdobramentos da greve dos caminhoneiros e exige do governo federal “uma solução imediata”. “Que o governo tenha efetivamente um canal de negociações com as lideranças do movimento e que o bom senso prevaleça e resolva a situação, evitando o colapso no abastecimento para a população brasileira”, diz o presidente da federação, Paulo Pires, na nota.

Preço médio das hortaliças aumenta 70% na Ceasa do Rio de Janeiro

A Central de Abastecimento do Rio de Janeiro (Ceasa-RJ) recebeu somente 50 caminhões na manhã desta quinta-feira. O movimento representa apenas 10% do número que chega à central em um dia comum e teve reflexo nos preços dos produtos disponíveis. O valor médio das hortaliças, por exemplo, aumentou cerca de 70%, segundo a central de abastecimento.

Distribuidoras de combustível são bloqueadas em Brasília

Cerca de 200 manifestantes bloqueiam desde a quarta-feira as portas da distribuidora de combustíveis da BR em Brasília, que abastece postos do Distrito Federal e de cidades do entorno. O grupo é formado por caminhoneiros, motoqueiros e motoristas do aplicativo Uber.

Os protestos também estão bloqueando o centro de distribuição da Raízen, que fica na mesma região da BR, no setor de inflamáveis, a cerca de 11 quilômetros do centro de Brasília. Por enquanto, não houve nenhum tipo de incidente e o protesto segue pacífico. Não há, porém, previsão de prazo para o fim do ato.

JBS paralisa unidades de carne bovina, aves e suínos

A JBS informou que também está adotando medidas em suas operações (fábricas) e logística que inclui a paralisação de algumas unidades da empresa que produzem carne bovina, aves e suínos.

Usinas do Paraná suspendem venda de etanol e plantio de cana

Usinas do Paraná suspenderam a venda de etanol, além do plantio e tratos culturais de cana-de-açúcar por causa da paralisação dos caminhoneiros no país.

O estado tem 25 unidades produtoras de etanol e ao menos três delas já reduziram também o ritmo de processamento da matéria-prima para racionalizar o diesel utilizado no abastecimento de veículos na operação de colheita, carregamento e transporte.

Já as operações de plantio e cultivo de cana foram paradas para que a colheita da cultura seja uma prioridade.

São Paulo recorre à Justiça para garantir combustível

A prefeitura de São Paulo entrou, nesta quinta-feira, na Justiça para tentar garantir o abastecimento de combustível para ônibus da frota municipal e caminhões que fazem a coleta de lixo na cidade.  Empresas do sistema municipal de transporte estão com baixo estoque de óleo diesel por causa da greve dos caminhoneiros.

No pedido, a prefeitura pede a imediata cessação dos atos de protesto que impeçam a “saída dos veículos destinados ao abastecimento da frota de ônibus do transporte público” de São Paulo e a saída dos veículos destinados ao abastecimento da frota envolvida em serviços essenciais na cidade, como os de limpeza urbana e as ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

A prefeitura pede a fixação de multa diária de R$ 1 milhão no caso de descumprimento.

Animais estão há mais de 50 horas sem alimentação, diz ABPA 

Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) alertou nesta quinta que há relatos de produtores com caminhões transportando animais parados em bloqueios em todo o país. Em alguns deles, os animais estão com mais de 50 horas sem alimentação.  

“A cadeia produtiva da avicultura e da suinocultura do país iniciou o dia com 120 plantas frigoríficas paradas – produtoras de carne de frango, perus, suínos e outros. Mais de 175 mil trabalhadores estão com atividades suspensas em todo o país”, afirmou em nota.

Ração animal não chega nas propriedades rurais

Os pecuaristas do Brasil continuam sentindo os impactos da paralisação dos caminhoneiros. Um dos principais entraves se refere ao transporte de milho, farelo de soja e aditivos, segundo o Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (Sindirações).

“A continuidade e recrudescimento da mobilização dos caminhoneiros pode comprometer sobremaneira a entrega das rações e sal mineral para animais de produção, além dos alimentos para cães e gatos”, disse a entidade.

Paralisação afeta coleta do leite em propriedades rurais

A greve nacional dos caminhoneiros segue prejudicando a coleta de leite e atividades da indústria da multinacional francesa, Lactalis.

“Poderemos ter interrupção da coleta do leite nas propriedades em várias regiões do país, eis que a situação infelizmente fugiu ao nosso alcance”, informou.

SC: atividade pecuária em mais de 20 mil propriedades rurais é afetada

Segundo o Sindicato das Indústrias da Carne e Derivados no Estado de Santa Catarina (Sindicarne) e a Associação Catarinense de Avicultura (Acav), mas de 20 mil propriedades rurais estão com as atividades pecuárias prejudicadas.

As entidades explicam que os estabelecimentos que atuam nas áreas de avicultura, suinocultura e bovinocultura leiteira deixaram de receber ração para nutrição animal, pintinhos e outros serviços e insumos, sendo obrigados a adotar a restrição alimentar em seus plantéis.

“A ameaça atual e iminente é de perda massiva de ativos biológicos com início de mortandade nas principais regiões produtoras. Santa Catarina tem um plantel permanente de 5 milhões de suínos e 118 milhões de aves alojadas que, a partir de agora, entram em regime crítico de sobrevivência. Se esse quadro se confirmar poderá haver imprevisível impacto de ordem sanitária”, explica a nota.

Petrobras reduz preço da gasolina pelo terceiro dia consecutivo

A Petrobras anunciou na manhã desta quinta-feira a terceira redução consecutiva do preço da gasolina. A partir desta sexta, 25, o litro do combustível passará a custar R$ 2,016 nas refinarias da estatal, uma queda de 0,72% em relação ao preço atual (R$ 2,0306). A estatal não alterou o preço do diesel, de R$ 2,1016 por litro.

Associação das Indústrias da Alimentação calcula prejuízo de, no mínimo, R$ 3 milhões

A Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia) informou que existem mais de 315 caminhões com alimentos perecíveis parados em estradas de Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal, Tocantins, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, considerando apenas duas das 106 empresas associadas à Abia.

A entidade afirmou que, em apenas uma das empresas associadas, mais de 1,1 mil toneladas de produtos não foram entregues, o que significa um prejuízo em torno de R$ 3 milhões.

“Também há impacto na produção, cortada por falta de leite que, não sendo captado nas fazendas, terá de ser descartado. Outra empresa apontou perdas de toneladas de pão fresco, paralisação de fábricas por falta de espaço para estocar produtos e desabastecimento de matérias-primas”, informa em nota.

Maior cooperativa de café do mundo paralisa atividades

A Cooxupé, maior cooperativa de café do mundo, está com as atividades paralisadas. Segundo o presidente da entidade, Carlos Paulino, o produto não está  sendo exportado por conta da falta de caminhões.

Abiove propõe aumentar biodiesel no combustível para resolver crise 

A Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), propôs um aumento na mistura de biodiesel no Centro-Oeste como forma de forçar uma redução no preço do combustível. A proposta específica para a região se justifica por ser onde se concentram os estados com a maior produção de soja do país, o que daria capacidade para suprir a demanda.

De acordo com a Abiove, o setor tem capacidade de fornecer biodiesel suficiente para elevar a mistura com o diesel dos atuais 10% para 15%. A entidade estima que a medida, no curto prazo, pode levar a uma redução de R$ 0,10 por litro nas bombas dos postos da região Centro-Oeste e, por consequência, levar a uma redução no restante do país.

Petrobras vai reduzir preço do diesel nas refinarias por 15 dias

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, anunciou na noite desta quarta-feira uma redução de 10% no valor do diesel nas refinarias por 15 dias.
 
Na prática, a estatal avalia que a redução média será de R$ 0,23 por litro nas refinarias, resultando numa queda média de R$ 0,25 por litro nas bombas dos postos de combustível. A medida vale apenas para o diesel e começa a valer a partir desta quinta-feira.

Câmara aprova isenção de PIS/Cofins no diesel

A Câmara dos Deputados concluiu na noite desta quarta a votação do projeto que acaba com a desoneração de 28 dos 56 setores da economia atualmente desonerados para reduzir tributos cobrados sobre o óleo diesel. Após aprovarem o texto principal, os parlamentares rejeitaram em menos de uma hora todas as sugestões de alteração no parecer de Orlando Silva (PCdoB-SP).
 
Segundo o relator, a alíquota zero na contribuição vai permitir uma queda de cerca de 14% no preço final do óleo diesel. O projeto segue para tramitação no Senado.

Justiça Federal manda desbloquear rodovias

A Justiça Federal concedeu liminar determinando a imediata liberação do tráfego de seis rodovias (BR-040, BR-050, BR-060, BR-070, BR-080 e BR-251) de acesso ao Distrito Federal que estão enfrentando bloqueio promovido pelo movimento de caminhoneiros. O pedido de reintegração de posse foi feito pela União, que está autorizada pelo juiz da decisão a usar a força policial para assegurar a segurança das rodovias.
 
O juiz Marcelo Rebello Pinheiro, da 16ª Vara da Justiça Federal, disse que não se trata de impedimento do direito à manifestação, mas “apenas necessária intervenção judicial para coibir o excesso nas condutas noticiadas, sobretudo no que se refere à obstrução total do tráfego de veículos nas regiões”.
 
A AGU informou que obteve decisões judiciais para o desbloqueio de rodovias federais em Santa Catarina e no município de Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, além de outra liminar que garante o fornecimento de combustível ao Aeroporto de Guararapes, em Recife. De acordo com o órgão, desde segunda-feira, 21, quando começou o movimento dos caminhoneiros, foram obtidas pelo menos nove decisões liminares de desobstrução de rodovias.

Temer pede ‘trégua’ a caminhoneiros para negociar

Em evento ocorrido na tarde desta quarta, no Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer disse que pediu uma “trégua” de até três dias na paralisação. “Pedi que na reunião se solicitasse uma espécie de trégua para que em dois, três dias no máximo, pudéssemos encontrar uma solução satisfatória para os caminhoneiros e para o povo brasileiro”, disse. 

População faz fila nos postos de combustíveis

O medo de faltar gasolina nos próximos dias, por causa da greve dos caminhoneiros, levou a uma corrida de motoristas a postos de combustíveis do Distrito Federal. Em algumas regiões, houve registros de postos fechados, pois os estoques já estão zerados.

Marfrig suspende produção de unidades frigoríficas

A Marfrig Global Foods afirmou que, em função da greve dos caminhoneiros, deve reduzir e até suspender temporariamente sua produção em algumas unidades devido a problemas para transportar as mercadorias. A companhia, porém, não informou onde estão e quais são as unidades que serão atingidas.

Ato de caminhoneiros faz BRF paralisar quatro unidades

A BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão, informou na manhã desta quarta-feira suspendeu a atividade de quatro unidades de abate de frangos e suínos. As plantas ficam em Nova Marilândia (MT), Dois Vizinhos (PR), Toledo (PR) e Campos Novos (SC). O motivo é falta de insumos e de animais para abate e de caminhões para escoar os produtos processados. Confira a reportagem completa

Protesto de caminhoneiros causa desabastecimento nos supermercados

A Associação Paulista de Supermercados (Apas) informa que as paralisações já causam desabastecimento nos supermercados, em especial nos itens de frutas, legumes e verduras, que são perecíveis e de abastecimento diário. A entidade ressalta que também carnes e produtos industrializados, que levam proteínas no processo de fabricação, também estão com as entregas comprometidas pelos atrasos no reabastecimento. Confira a reportagem completa

Prejuízo no setor de carnes atinge US$ 60 milhões

A Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec) e a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) informaram nesta quinta que 129 unidades produtivas das empresas associadas de carnes bovina, suína e de aves estão paralisadas na data desde quarta-feira, com previsão de que, até a sexta, 25, mais de 90% da produção de proteína animal seja interrompida caso a situação não se normalize, somando mais de 208 fábricas de diversos portes paradas no Brasil.

Com os bloqueios, deixaram de ser exportadas 25 mil toneladas de carne de frango e suínos, o equivalente a uma receita de US$ 60 milhões que deixa de ser gerada para o país. No caso da carne bovina, são cerca de 1200 containers que deixam de ser embarcados por dia.

Com greve, suínos ficam sem ração e morrem em Mato Grosso

Em Mato Grosso, a greve dos caminhoneiros fez faltar ração para produtores abastecerem as granjas de aves e suínos. Fernando Takeuti, diretor de uma granja localizada em Diamantino, no norte do estado, conta que há dois dias não recebe grãos para alimentar 200 mil suínos e já há registro de morte de animais no plantel.

O mercado do boi gordo ficou sem referência nesta quarta-feira. A greve dos caminhoneiros paralisou tanto a entrega de boiadas como o escoamento da produção dos frigoríficos. Veja entrevista com a analista da Scot Consultoria, Marina Zaia.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


css.php
Assine grátis a melhor newsletter sobre agronegócios do Brasil