MERCADO INTERNACIONAL

Milho: embarques em março crescem 149% na comparação com mesmo mês de 2017, diz MDIC

Já as exportações brasileiras do complexo soja somaram 10,242 milhões de toneladas no mês, com receita de US$ 4,021 bilhões, de acordo com Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços

Fonte: Sílvio Ávila/Mapa

Os embarques de milho ao exterior aumentaram 149% em março em comparação a igual mês de 2017. Foram exportadas 605,3 mil toneladas do cereal, ante 243 mil toneladas em março do ano passado, conforme dados divulgados nesta segunda-feira, dia 2, pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). 

O resultado ainda reflete, em boa medida, negócios realizados antecipadamente nos meses prévios à colheita da segunda safra. Nos últimos meses, compradores domésticos ofereceram pelo produto valor superior ao proposto por exportadores, o que desestimulou negócios voltados ao mercado externo.
 
Além disso, as exportações de milho em março e no primeiro trimestre de 2017 tinham sido mais fracas que um ano antes, quando os preços internacionais e a demanda externa aquecida impulsionaram as exportações brasileiras do cereal. 
 
Na comparação com fevereiro, quando foi embarcado 1,254 milhão de toneladas do cereal, o volume foi 52% inferior. A desaceleração dos embarques é comum nesta época do ano, em que exportadores passam a dar prioridade ao embarque da soja ao exterior. 
 
A receita cambial em março totalizou US$ 105,4 milhões, aumento de 145,1% em relação aos US$ 43 milhões registrados há um ano, mas queda de 47,4% ante fevereiro, quando o faturamento com as vendas externas de milho chegou a US$ 200,2 milhões.
 
O preço médio do cereal exportado, considerando-se 21 dias úteis do mês passado, foi de US$ 174,20 por tonelada, 1,6% abaixo dos US$ 177 apurados em igual mês de 2017, mas 9,1% acima dos US$ 159,60 verificados no segundo mês deste ano. 

Soja

De acordo com o MDIC, as exportações brasileiras do complexo soja somaram 10,242 milhões de toneladas em março, com receita de US$ 4,021 bilhões. Em relação a igual período de 2017, o resultado ficou praticamente estável, com leve aumento de 0,03% em volume e queda de 0,56% na receita. Já ante fevereiro deste ano, foi registrado um avanço de 135,7% na quantidade embarcada e 140,7% em faturamento.

Neste ano, a quebra na safra da oleaginosa na Argentina ajudou o Brasil a manter o ritmo de embarques no mês que passou. O resultado também leva em conta o desempenho positivo nas exportações de derivados, com destaque para o farelo de soja. Já a exportação de grão caiu em março ante março de 2017. Na análise mensal, o salto nas vendas se deve ao pico de colheita alcançado pelo país e à comercialização do produto em grão, que cresceu enquanto o farelo e óleo marcaram quedas nos embarques de março ante fevereiro.  

No acumulado de 2018, o Brasil já exportou 17,328 milhões de toneladas de soja, farelo e óleo, somadas. A receita obtida com as vendas do complexo nos três primeiros meses de 2018 totalizou US$ 6,721 bilhões.

As exportações de soja em grão somaram 8,813 milhões de toneladas em março. Na comparação com igual período de 2017, quando foram embarcados 8,979 milhões de toneladas, a queda chegou a 1,85%. O faturamento com as vendas externas do grão atingiu US$ 3,434 bilhões no mês passado, recuo de 2,83% em relação a março de 2017 (US$ 3,534 bilhões). 

Na comparação com fevereiro, quando foram embarcadas 2,864 milhões de toneladas, as exportações aumentaram 207,7% em volume e 214,18% em receita (com US$ 1,093 bilhão em fevereiro de 2018). O preço médio do produto exportado foi de US$ 389,7 por tonelada, ante US$ 393,6 por tonelada em março de 2017 e US$ 381,7 em fevereiro.

De farelo de soja, o volume exportado somou 1,323 milhão de toneladas, avanço de 14,25% em relação a março de 2017, quando o Brasil enviou ao exterior 1,158 milhão toneladas. Ante fevereiro, no entanto, houve recuo de 2,28%. Naquele mês, o País exportou 1,354 milhão de toneladas. 

A receita com a exportação em março totalizou US$ 507,1 milhões, incremento de 16,78% em relação aos US$ 434,2 milhões de igual período de 2017. O aumento em relação a fevereiro de 2018 (com receita de US$ 481,5 milhões) foi de 5,31%.

Ainda entre os derivados, os embarques de óleo de soja, somaram 105,7 mil toneladas em março, ganho de 4,03% em relação a igual mês de 2017, quando os embarques haviam somado 101,6 mil toneladas. Quando comparado a fevereiro (125,6 mil toneladas), entretanto, houve queda de 15,8%. A receita obtida com os embarques de óleo de soja somou US$ 79,3 milhões em março deste ano. O aumento foi de 3,52% ante igual período do ano passado, de US$ 76,6 milhões. Na comparação com fevereiro (US$ 94,3 milhões), houve redução de 15,9%.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *