Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Pecuária » Marca Tradição tem liquidez ao comercializar fêmeas da raça crioula

Marca Tradição tem liquidez ao comercializar fêmeas da raça crioula

Remate faturou R$ 590 mil com a venda de 39 animais em Esteio (RS)A pista limpa na noite dessa segunda, dia 25, no Parque Assis Brasil, em Esteio (RS), reforçou a tradição da marca iniciada por Luiz Martins Bastos, na fronteira oeste do Rio Grande do Sul, que o consagrou como criador-símbolo da raça crioula no país. Foi ele um dos responsáveis pela introdução do sangue chileno em solo brasileiro, o que veio a revolucionar a criação nacional em termos de funcionalidade.

26 de maio de 2009 às 17h21
Por Estela Facchin | Esteio (RS)

Há quatro anos, os sucessores de Bastos, morto há cinco, se unem para realizar o Leilão Tradição. Desta vez, os afixos Tradição, Parayso, Itapitocai, Santo Ângelo e Princípio ofertaram 39 fêmeas, entre potrancas amanunciadas e éguas de cria domadas. Todos os animais levam em seus pedigrees linhagens consagradas como La Invernada Aniversário, Tren Tren Arrebol, Trongol Pilpilco e La Invernada Hornero – alguns dos chilenos que foram importados por Bastos ainda no início da criação.

As éguas Safira da Madrugada e Joaquina Patrão 1884, de Santo Ângelo, foram as mais caras do pregão, arrematadas por R$ 35 mil cada. Paulo Ricardo Brittes, de Barra do Ribeiro (RS), e Daniela Apolônio Martins Bastos, de São Paulo (SP), respectivamente, adquiriram as fêmeas. Sob o comando de Fábio Crespo, pela Crioulo Remates, o quarto Leilão Tradição movimentou R$ 590 mil, com média geral de R$ 15,1 mil.

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Pecuária » Marca Tradição tem liquidez ao comercializar fêmeas da raça crioula

Marca Tradição tem liquidez ao comercializar fêmeas da raça crioula

Remate faturou R$ 590 mil com a venda de 39 animais em Esteio (RS)A pista limpa na noite dessa segunda, dia 25, no Parque Assis Brasil, em Esteio (RS), reforçou a tradição da marca iniciada por Luiz Martins Bastos, na fronteira oeste do Rio Grande do Sul, que o consagrou como criador-símbolo da raça crioula no país. Foi ele um dos responsáveis pela introdução do sangue chileno em solo brasileiro, o que veio a revolucionar a criação nacional em termos de funcionalidade.

26 de maio de 2009 às 17h21
Por Estela Facchin | Esteio (RS)

Há quatro anos, os sucessores de Bastos, morto há cinco, se unem para realizar o Leilão Tradição. Desta vez, os afixos Tradição, Parayso, Itapitocai, Santo Ângelo e Princípio ofertaram 39 fêmeas, entre potrancas amanunciadas e éguas de cria domadas. Todos os animais levam em seus pedigrees linhagens consagradas como La Invernada Aniversário, Tren Tren Arrebol, Trongol Pilpilco e La Invernada Hornero – alguns dos chilenos que foram importados por Bastos ainda no início da criação.

As éguas Safira da Madrugada e Joaquina Patrão 1884, de Santo Ângelo, foram as mais caras do pregão, arrematadas por R$ 35 mil cada. Paulo Ricardo Brittes, de Barra do Ribeiro (RS), e Daniela Apolônio Martins Bastos, de São Paulo (SP), respectivamente, adquiriram as fêmeas. Sob o comando de Fábio Crespo, pela Crioulo Remates, o quarto Leilão Tradição movimentou R$ 590 mil, com média geral de R$ 15,1 mil.

Deixe um Comentário





Mais Notícias

COMÉRCIO INTERNACIONAL

Exportação de melão cresceu 35% em agosto, diz Cepea

18/09/2019 às 20h28
lca, economia, governo

BALANÇO

PIB do agro cresce 0,53% no primeiro semestre

18/09/2019 às 17h50