Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Feiras e Eventos » Novo híbrido de milho protege safra de praga que reduz produtividade em até 50%

JÁ DISPONÍVEL

Novo híbrido de milho protege safra de praga que reduz produtividade em até 50%

Tecnologia é destaque da 26ª edição da Agrishow, uma das maiores feiras da América Latina

30 de abril de 2019 às 18h43
Por Francielle Bertolacini, de Ribeirão Preto (SP)

Um novo híbrido de milho lançado nesta temporada promete ajudar o produtor rural a proteger a safra de verão da cigarrinha do milho, inseto que é vetor de uma doença que pode causar queda de até 50% na produtividade. A novidade, que já está disponível para comercialização, é um dos destaques da Bayer durante a 26ª edição da Agrishow, que acontece em Ribeirão Preto (SP).

Fernando de Paula, gerente regional da empresa, conta que além de ser tolerante a outros tipos de doenças, o híbrido Dekalb 363 também protege a raíz da planta através da tecnologia Pro 3. “[Ela] protege a planta das pragas que não enxergamos, por exemplo, as pragas de raíz. É um diferencial bastante grande em relação ao que existe no mercado, que protege apenas a parte área”, comenta.

Outra vantagem do produto é a amplitude de plantio, ou seja, a tecnologia pode ser semeada em diversas altitudes. Porém, o destaque de maior produtividade acontece em áreas consideradas mais baixas, como em São Paulo, Minas Gerais, partes do Paraná, de Goiás e Mato Grosso. “O Dekalb 363 é chefe de alta produtividade, principalmente nas regiões mais baixas. Isso, no entanto, não significa que ele não esteja enquadrado em outras áreas”, ressalta.

Um exemplo desse potencial produtivo foi visto em uma propriedade em São Carlos, no interior de São Paulo, onde o produtor rural Benedito Gramatico conseguiu aumentar a produtividade da lavoura de milho em 30 sacas por hectare.

“Uma produtividade dessa em um plantio de sequeiro, sem irrigação, não é comum. A média [de produtividade] para a região é de aproximadamente 150 sacas por hectare”, relata Rodrigo Marcatto, representante técnico de vendas da Dekalb. Após a adoção da tecnologia, o agricultor conseguiu alcançar 190 sacas por hectare na safra verão.

Há casos também em que o produtor rural conseguiu recuperar a produtividade média da lavoura após o surgimento da cigarrinha do milho ter diminuído o rendimento em dois a três anos consecutivos”, disse Marcatto. “O nível de produtividade, principalmente na região que esse agricultor plantava caiu demais, a maioria dos híbridos [utilizados na época] eram sensíveis e com a nossa tecnologia, ele conseguiu retomar a produtividade”, acrescenta.

Milho safrinha

O híbrido para a segunda safra de milho Dekalb 335 também possui a tecnologia Pro 3, que protege a raíz da planta contra doenças. Com início da comercialização realizado em janeiro, o produto começou a ser implantado após a safra verão.

Além da amplitude de plantio, que permite uma semeadura desde São Paulo ao norte de Mato Grosso, outro ponto relevante é a estabilidade da produção da planta. “Se consegue plantar em várias épocas e vários locais diferentes e mesmo assim a tecnologia se mantém como uma das mais produtivas”, relata o gerente regional Fernando de Paula.

*A jornalista viajou à Agrishow a convite da Bayer CropScience

 

 

1 comentário

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Feiras e Eventos » Novo híbrido de milho protege safra de praga que reduz produtividade em até 50%

JÁ DISPONÍVEL

Novo híbrido de milho protege safra de praga que reduz produtividade em até 50%

Tecnologia é destaque da 26ª edição da Agrishow, uma das maiores feiras da América Latina

30 de abril de 2019 às 18h43
Por Francielle Bertolacini, de Ribeirão Preto (SP)

Um novo híbrido de milho lançado nesta temporada promete ajudar o produtor rural a proteger a safra de verão da cigarrinha do milho, inseto que é vetor de uma doença que pode causar queda de até 50% na produtividade. A novidade, que já está disponível para comercialização, é um dos destaques da Bayer durante a 26ª edição da Agrishow, que acontece em Ribeirão Preto (SP).

Fernando de Paula, gerente regional da empresa, conta que além de ser tolerante a outros tipos de doenças, o híbrido Dekalb 363 também protege a raíz da planta através da tecnologia Pro 3. “[Ela] protege a planta das pragas que não enxergamos, por exemplo, as pragas de raíz. É um diferencial bastante grande em relação ao que existe no mercado, que protege apenas a parte área”, comenta.

Outra vantagem do produto é a amplitude de plantio, ou seja, a tecnologia pode ser semeada em diversas altitudes. Porém, o destaque de maior produtividade acontece em áreas consideradas mais baixas, como em São Paulo, Minas Gerais, partes do Paraná, de Goiás e Mato Grosso. “O Dekalb 363 é chefe de alta produtividade, principalmente nas regiões mais baixas. Isso, no entanto, não significa que ele não esteja enquadrado em outras áreas”, ressalta.

Um exemplo desse potencial produtivo foi visto em uma propriedade em São Carlos, no interior de São Paulo, onde o produtor rural Benedito Gramatico conseguiu aumentar a produtividade da lavoura de milho em 30 sacas por hectare.

“Uma produtividade dessa em um plantio de sequeiro, sem irrigação, não é comum. A média [de produtividade] para a região é de aproximadamente 150 sacas por hectare”, relata Rodrigo Marcatto, representante técnico de vendas da Dekalb. Após a adoção da tecnologia, o agricultor conseguiu alcançar 190 sacas por hectare na safra verão.

Há casos também em que o produtor rural conseguiu recuperar a produtividade média da lavoura após o surgimento da cigarrinha do milho ter diminuído o rendimento em dois a três anos consecutivos”, disse Marcatto. “O nível de produtividade, principalmente na região que esse agricultor plantava caiu demais, a maioria dos híbridos [utilizados na época] eram sensíveis e com a nossa tecnologia, ele conseguiu retomar a produtividade”, acrescenta.

Milho safrinha

O híbrido para a segunda safra de milho Dekalb 335 também possui a tecnologia Pro 3, que protege a raíz da planta contra doenças. Com início da comercialização realizado em janeiro, o produto começou a ser implantado após a safra verão.

Além da amplitude de plantio, que permite uma semeadura desde São Paulo ao norte de Mato Grosso, outro ponto relevante é a estabilidade da produção da planta. “Se consegue plantar em várias épocas e vários locais diferentes e mesmo assim a tecnologia se mantém como uma das mais produtivas”, relata o gerente regional Fernando de Paula.

*A jornalista viajou à Agrishow a convite da Bayer CropScience

 

 

1 comentário

Deixe um Comentário





Mais Notícias