Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Feiras e Eventos » Agrishow – acesso à internet no campo vai atingir 5 milhões de hectares até fim do ano

REVOLUÇÃO DIGITAL

Agrishow – acesso à internet no campo vai atingir 5 milhões de hectares até fim do ano

Com a chegada da tecnologia 4G nas áreas agrícolas, produtor rural brasileiro poderá receber informações da lavoura em tempo real

02 de maio de 2019 às 18h46
Por Francielle Bertolacini, de Ribeirão Preto (SP)
internet, conectidade, celular, agricultura 4.0

Foto: Climate FieldView/divulgação

Quanto custa receber uma informação rápida no agronegócio? Para o produtor rural, que poderia diminuir custos de produção e aumentar a competitividade com um dado precioso, vale muito. Mesmo com a conhecida realidade da falta de internet no campo, esse mundo de conexão entre máquinas, pessoas e coisas, chamado de Agricultura 4.0, está mais próximo e pode ganhar força neste ano.

Pensando em utilizar a internet como uma aliada, foi apresentado durante a 26ª Agrishow, uma das maiores feiras da América Latina, o Conectar Agro, uma parceria inédita entre oito empresas para concretizar a chegada da internet 4G em todas as áreas rurais e para todos os agricultores.

A transição para a agricultura digital, que já é considerada por alguns como a quarta revolução, depois da agricultura de precisão, deve acontecer através da frequência 4G 700 MHz, que foi liberada recentemente no país após o desligamento do sinal analógico de televisão.

Guilherme Belardo, gerente de produto da Climate FieldView para a América do Sul, negócio de agricultura digital da Bayer, explica que esta frequência é uma das melhores bandas para a chamada internet das coisas, com longo alcance do sinal e de boa qualidade, o que permite enviar uma quantidade grande de dados.

Segundo ele, o objetivo do projeto é que em 2019 cerca de 5 milhões de hectares tenham cobertura da tecnologia 4G. A estimativa foi feita com base em estudos, mas há chances de o tamanho da área ser ainda maior. Isso significa atingir cerca de 10% da área total plantada de grãos no Brasil. Atualmente, o acesso à internet alcança apenas 700 mil hectares.

Competitividade

A parceria das empresas, através do Conectar Agro, dá um passo importante em direção a uma rede maior de internet no campo, algo que nos Estados Unidos já se consolidou. Enquanto boa parte do cinturão agrícola norte-americano conta com ótima conectividade, regiões de Mato Grosso, maior estado produtor do Brasil, enfrentam a falta de sinal. O principal impacto na vida dos agricultores é a competitividade.

A partir do momento em que os agricultores dos EUA conseguem ter maior cobertura de internet, as ferramentas digitais vão fazer com que eles melhorem cada vez mais a produtividade, diminuindo os custos de produção e se tornando mais competitivos, explica o gerente da Climate. “Se não tivermos esse tipo de iniciativa, vamos perder vantagem competitiva”, ressalta.

Como vai funcionar?

Com o sinal de internet chegando na fazenda, o produtor rural vai conseguir receber os dados da lavoura em tempo real. “A gente tem soluções que conseguem fazer com que o dado fique disponível diariamente, mas quando ele tiver essa informação em tempo real, o valor que as ferramentas digitais levam para ele [produtor] é muito maior”, comenta Belardo.

“Você vai ter o tráfego de dados, que vai gerar informações através dos produtos digitais que as empresas desenvolvem. Então, esses  produtos vão poder mostrar uma visão melhor da fazenda e quando o produtor for tomar uma decisão, ele estará tomando baseado em um dado, que virou informação e chegou de uma maneira fácil de entender”, explica.

Plataforma Climate FieldView, tecnologia da Bayer

Custo

A implementação da tecnologia tem custo de até 0,5 saca de soja por hectare. Após o investimento inicial, o produtor rural pagará apenas pelo serviço da internet 4G.

*A jornalista viajou a convite da Bayer CropScience

Nova call to action

1 comentário

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Feiras e Eventos » Agrishow – acesso à internet no campo vai atingir 5 milhões de hectares até fim do ano

REVOLUÇÃO DIGITAL

Agrishow – acesso à internet no campo vai atingir 5 milhões de hectares até fim do ano

Com a chegada da tecnologia 4G nas áreas agrícolas, produtor rural brasileiro poderá receber informações da lavoura em tempo real

02 de maio de 2019 às 18h46
Por Francielle Bertolacini, de Ribeirão Preto (SP)
internet, conectidade, celular, agricultura 4.0

Foto: Climate FieldView/divulgação

Quanto custa receber uma informação rápida no agronegócio? Para o produtor rural, que poderia diminuir custos de produção e aumentar a competitividade com um dado precioso, vale muito. Mesmo com a conhecida realidade da falta de internet no campo, esse mundo de conexão entre máquinas, pessoas e coisas, chamado de Agricultura 4.0, está mais próximo e pode ganhar força neste ano.

Pensando em utilizar a internet como uma aliada, foi apresentado durante a 26ª Agrishow, uma das maiores feiras da América Latina, o Conectar Agro, uma parceria inédita entre oito empresas para concretizar a chegada da internet 4G em todas as áreas rurais e para todos os agricultores.

A transição para a agricultura digital, que já é considerada por alguns como a quarta revolução, depois da agricultura de precisão, deve acontecer através da frequência 4G 700 MHz, que foi liberada recentemente no país após o desligamento do sinal analógico de televisão.

Guilherme Belardo, gerente de produto da Climate FieldView para a América do Sul, negócio de agricultura digital da Bayer, explica que esta frequência é uma das melhores bandas para a chamada internet das coisas, com longo alcance do sinal e de boa qualidade, o que permite enviar uma quantidade grande de dados.

Segundo ele, o objetivo do projeto é que em 2019 cerca de 5 milhões de hectares tenham cobertura da tecnologia 4G. A estimativa foi feita com base em estudos, mas há chances de o tamanho da área ser ainda maior. Isso significa atingir cerca de 10% da área total plantada de grãos no Brasil. Atualmente, o acesso à internet alcança apenas 700 mil hectares.

Competitividade

A parceria das empresas, através do Conectar Agro, dá um passo importante em direção a uma rede maior de internet no campo, algo que nos Estados Unidos já se consolidou. Enquanto boa parte do cinturão agrícola norte-americano conta com ótima conectividade, regiões de Mato Grosso, maior estado produtor do Brasil, enfrentam a falta de sinal. O principal impacto na vida dos agricultores é a competitividade.

A partir do momento em que os agricultores dos EUA conseguem ter maior cobertura de internet, as ferramentas digitais vão fazer com que eles melhorem cada vez mais a produtividade, diminuindo os custos de produção e se tornando mais competitivos, explica o gerente da Climate. “Se não tivermos esse tipo de iniciativa, vamos perder vantagem competitiva”, ressalta.

Como vai funcionar?

Com o sinal de internet chegando na fazenda, o produtor rural vai conseguir receber os dados da lavoura em tempo real. “A gente tem soluções que conseguem fazer com que o dado fique disponível diariamente, mas quando ele tiver essa informação em tempo real, o valor que as ferramentas digitais levam para ele [produtor] é muito maior”, comenta Belardo.

“Você vai ter o tráfego de dados, que vai gerar informações através dos produtos digitais que as empresas desenvolvem. Então, esses  produtos vão poder mostrar uma visão melhor da fazenda e quando o produtor for tomar uma decisão, ele estará tomando baseado em um dado, que virou informação e chegou de uma maneira fácil de entender”, explica.

Plataforma Climate FieldView, tecnologia da Bayer

Custo

A implementação da tecnologia tem custo de até 0,5 saca de soja por hectare. Após o investimento inicial, o produtor rural pagará apenas pelo serviço da internet 4G.

*A jornalista viajou a convite da Bayer CropScience

Nova call to action

1 comentário

Deixe um Comentário





Mais Notícias