Home » Notícias » Europa quer criminalizar produção brasileira, afirma Alceu Moreira

ALERTA

Europa quer criminalizar produção brasileira, afirma Alceu Moreira

De acordo com o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, estratégia da União Europeia visa vender livremente no mercado

13 de agosto de 2019 às 18h11
Por Rafael Walendorff, de Brasília

O deputado Alceu Moreira (MDB-RS), presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), disse nesta terça-feira, 13, que os europeus querem impor aos brasileiros de que forma eles devem produzir. Ele afirmou que o setor não pode aceitar qualquer tipo de crítica que tente prejudicar a imagem da produção nacional e deve reagir.

De acordo com o parlamentar, a estratégia é uma jogada de mercado na qual um agente tenta criminalizar o concorrente para ganhar. “Junto com o pré-acordo da Comunidade Europeia com o Mercosul, vem na mesma embalagem do processo a necessidade de ter controle da nossa produção. Os europeus oferecem 750 milhões de consumidores com o maior poder aquisitivo do mundo, mas desde que o Brasil produza do jeito que eles desejam. Isso é o que eles querem. Mas isso não é uma coisa inusitada. Os americanos dizem isso há muito tempo. Florestas lá, lavouras aqui. Adianta nós continuarmos a fazer esse belo discurso? Não, temos que agir e mostrar para o mundo”.

O deputado disse, porém, que ao contrário de EUA e União Europeia, outros grandes compradores não fazem esse tipo de exigência ou crítica à produção brasileira. “A Ásia não pensa assim com relação à questão ambiental, nem os países árabes. Quem pensa assim é a Europa, que conseguiu (sic) um estágio quase como de admissão: para mostrar que o teu produto tem qualidade, tem que passar por aqui. É uma construção que eles fizeram de mercado. Eu criminalizo o meu concorrente para poder vender livre e solto. Quem não pode fazer esse exercício somos nós, ficarmos calados, nos queixando. Temos que mostrar o que é fato e o que é fake em todos os lugares”, disse Alceu Moreira.
Nova call to action

Deixe um Comentário





Home » Notícias » Europa quer criminalizar produção brasileira, afirma Alceu Moreira

ALERTA

Europa quer criminalizar produção brasileira, afirma Alceu Moreira

De acordo com o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, estratégia da União Europeia visa vender livremente no mercado

13 de agosto de 2019 às 18h11
Por Rafael Walendorff, de Brasília

O deputado Alceu Moreira (MDB-RS), presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), disse nesta terça-feira, 13, que os europeus querem impor aos brasileiros de que forma eles devem produzir. Ele afirmou que o setor não pode aceitar qualquer tipo de crítica que tente prejudicar a imagem da produção nacional e deve reagir.

De acordo com o parlamentar, a estratégia é uma jogada de mercado na qual um agente tenta criminalizar o concorrente para ganhar. “Junto com o pré-acordo da Comunidade Europeia com o Mercosul, vem na mesma embalagem do processo a necessidade de ter controle da nossa produção. Os europeus oferecem 750 milhões de consumidores com o maior poder aquisitivo do mundo, mas desde que o Brasil produza do jeito que eles desejam. Isso é o que eles querem. Mas isso não é uma coisa inusitada. Os americanos dizem isso há muito tempo. Florestas lá, lavouras aqui. Adianta nós continuarmos a fazer esse belo discurso? Não, temos que agir e mostrar para o mundo”.

O deputado disse, porém, que ao contrário de EUA e União Europeia, outros grandes compradores não fazem esse tipo de exigência ou crítica à produção brasileira. “A Ásia não pensa assim com relação à questão ambiental, nem os países árabes. Quem pensa assim é a Europa, que conseguiu (sic) um estágio quase como de admissão: para mostrar que o teu produto tem qualidade, tem que passar por aqui. É uma construção que eles fizeram de mercado. Eu criminalizo o meu concorrente para poder vender livre e solto. Quem não pode fazer esse exercício somos nós, ficarmos calados, nos queixando. Temos que mostrar o que é fato e o que é fake em todos os lugares”, disse Alceu Moreira.
Nova call to action

Deixe um Comentário





Mais Notícias