MERCADO INTERNO

Café: ritmo de negócios segue lento no Brasil

Forte oscilação do dólar, tabelamento do frete e incerteza no mercado externo paralisaram as vendas do grão

Fonte: Kim-Ir-Sen Pires Leal/Embrapa

O ritmo de negócios envolvendo o café arábica e conilon segue lento no Brasil, cenário que vem sendo verificado desde a segunda quinzena de maio, quando ocorreu a greve dos caminhoneiros.

De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), nos últimos dias, a forte oscilação do dólar e a incerteza relacionada ao mercado externo afastaram agentes do mercado.

Além desse quadro, o tabelamento dos fretes no país também vem atrapalhando as negociações e as entregas de café, especialmente nas regiões produtoras mais distantes, como noroeste do Paraná e Rondônia.

Nesta terça-feira, 12, o indicador Cepea/Esalq do arábica, tipo 6 bebida dura para melhor, posto na capital paulista, fechou a R$ 455,19 a saca de 60 quilos, queda de 0,8% em relação à semana anterior. Quanto ao conilon, o indicador Cepea/Esalq do robusta tipo 6 peneira 13 acima fechou a R$ 335,42 por saca, queda de 0,9% no mesmo período.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *