banner-3

MERCADO LIVRE

Bolsonaro não vai estender subsídio ao diesel, diz ministro

Medida havia sido adotada por Michel Temer para atender reivindicações dos caminhoneiros que entraram em greve em maio de 2018

04 de janeiro de 2019 às 08h21
Por Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou nesta quinta-feira, dia 3, que não haverá mais subsídio ao diesel, medida que foi adotada pelo governo Temer para atender reivindicações dos caminhoneiros que entraram em greve em maio de 2018.

“Isso (subsídio) acabou no dia 31 de dezembro. Não é uma questão de subsídio ao diesel, é uma questão de nós deixarmos o mercado estabelecer os preços. Isso não pode ser feito só com o combustível. Tem que levar em consideração o frete e outras condicionantes que levam ao estabelecimento dos preços”, disse.

Albuquerque disse ainda que não há não há interesse do governo Bolsonaro em interferir na política de preços dos combustíveis, mas que trabalha junto da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para dar mais transparência a esta política.

“Quando damos transparência a esse processo, podemos fazer algumas correções, eliminar subsídios e tornar mais claro aquilo que é justo que seja pago pelo combustível”, disse o ministro, após participar da cerimônia de posse do presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco.

Nova call to action

Preço já subiu

Segundo a Petrobras, por causa do fim do subsídio do diesel, a estatal decidiu elevar o preço do combustível nas refinarias e terminais em 2,5%, alta de R$ 0,0457.

“O novo preço, que entra em vigor a partir da zero hora do dia 1º, é inferior em 11,75% ao de 31 de maio de 2018, de R$ 2,1016, o último antes do início do programa governamental. Esta alteração é consequência da variação do câmbio e do preço internacional do diesel no período”, explicou em nota.

https://canalrural.uol.com.br/noticias/o-diesel-vai-subir-confira-dez-dicas-para-economizar-o-combustivel/

Deixe um Comentário





banner-3

MERCADO LIVRE

Bolsonaro não vai estender subsídio ao diesel, diz ministro

Medida havia sido adotada por Michel Temer para atender reivindicações dos caminhoneiros que entraram em greve em maio de 2018

04 de janeiro de 2019 às 08h21
Por Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou nesta quinta-feira, dia 3, que não haverá mais subsídio ao diesel, medida que foi adotada pelo governo Temer para atender reivindicações dos caminhoneiros que entraram em greve em maio de 2018.

“Isso (subsídio) acabou no dia 31 de dezembro. Não é uma questão de subsídio ao diesel, é uma questão de nós deixarmos o mercado estabelecer os preços. Isso não pode ser feito só com o combustível. Tem que levar em consideração o frete e outras condicionantes que levam ao estabelecimento dos preços”, disse.

Albuquerque disse ainda que não há não há interesse do governo Bolsonaro em interferir na política de preços dos combustíveis, mas que trabalha junto da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para dar mais transparência a esta política.

“Quando damos transparência a esse processo, podemos fazer algumas correções, eliminar subsídios e tornar mais claro aquilo que é justo que seja pago pelo combustível”, disse o ministro, após participar da cerimônia de posse do presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco.

Nova call to action

Preço já subiu

Segundo a Petrobras, por causa do fim do subsídio do diesel, a estatal decidiu elevar o preço do combustível nas refinarias e terminais em 2,5%, alta de R$ 0,0457.

“O novo preço, que entra em vigor a partir da zero hora do dia 1º, é inferior em 11,75% ao de 31 de maio de 2018, de R$ 2,1016, o último antes do início do programa governamental. Esta alteração é consequência da variação do câmbio e do preço internacional do diesel no período”, explicou em nota.

https://canalrural.uol.com.br/noticias/o-diesel-vai-subir-confira-dez-dicas-para-economizar-o-combustivel/

Deixe um Comentário