banner-3

FECHAMENTO DO MERCADO

Soja: Chicago fecha em alta pela 4ª sessão seguida

De maneira geral, o relatório do USDA provocou altas, indicando safra e estoques americanos 2019/20 abaixo do esperado pelo mercado

11 de julho de 2019 às 17h21
Por Agência Safras

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira com preços mais altos. Avaliando o relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o mercado subiu pela quarta sessão consecutiva.  

De maneira geral, o relatório provocou altas, indicando safra e estoques americanos 2019/20 abaixo do esperado pelo mercado. 

Os contratos da soja em grão com entrega em agosto fecharam com alta de 4,50 centavos de dólar por libra-peso ou 0,5%, a US$ 8,99 por bushel. A posição novembro teve cotação de US$ 9,17 1/4 por bushel, com ganho de 4,50 centavos de dólar por libra-peso ou 0,49%.

 Nos subprodutos, a posição agosto do farelo fechou com alta de US$ 1,70 ou 0,54% a US$ 312,40 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em agosto fecharam a 28,18 centavos de dólar, alta de 0,09 centavo, ou 0,32% em relação ao fechamento anterior. 

Relatório

A produção 2019/20 está estimada em 3,845 bilhões de bushels, ou 104,6 milhões de toneladas. 

O mercado esperava uma safra de 3,850 bilhões ou 104,78 milhões de toneladas. No relatório de junho, a previsão era de 4,15 bilhões de bushels ou 112,94 milhões de toneladas. Para 2018/19, a previsão foi mantida em 4,544 bilhões ou 123,6 milhões de toneladas.  

Os estoques finais em 2019/20 estão projetados em 795 milhões de bushels, o equivalente a 21,64 milhões de toneladas, enquanto o mercado apostava em número em torno de 22,1 milhões. No relatório anterior, a previsão era de 1,045 bilhão de bushels ou 28,44 milhões de toneladas.  

Para 2018/19, o USDA reduziu sua projeção de 1,07 bilhão de bushels – 29,1 milhões para 1,05 bilhão de bushels – 28,6 milhões de toneladas. O mercado apostava em 1,038 bilhão de bushels ou 28,25 milhões de toneladas. 

O relatório projetou safra mundial de soja em 2019/20 de 347,04 milhões de toneladas. No relatório anterior, a previsão era de 355,4 milhões. Os estoques finais estão estimados em 104,53 milhões de toneladas. O mercado esperava por estoques finais de 110,7 milhões de toneladas. Em junho, a previsão era de 112,66 milhões.  

A projeção do USDA aposta em safra americana de 104,64 milhões de toneladas, contra 112,95 milhões previstos em junho. Para o Brasil, a previsão é de uma produção de 123 milhões de toneladas. A Argentina deverá produzir 53 milhões de toneladas.  

A produção em 2018/19 teve sua projeção indicada em 362,87 milhões de toneladas. Os estoques finais foram elevados de 112,8 milhões para 113 milhões de toneladas. O mercado apostava em número de 112,6 milhões de toneladas.  

A safra brasileira foi mantida em 117 milhões de toneladas, enquanto a produção argentina teve sua estimativa inalteradas em 56 milhões de toneladas. Nos dois casos, o mercado já apostava nestes movimentos. 

Deixe um Comentário





banner-3

FECHAMENTO DO MERCADO

Soja: Chicago fecha em alta pela 4ª sessão seguida

De maneira geral, o relatório do USDA provocou altas, indicando safra e estoques americanos 2019/20 abaixo do esperado pelo mercado

11 de julho de 2019 às 17h21
Por Agência Safras

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira com preços mais altos. Avaliando o relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o mercado subiu pela quarta sessão consecutiva.  

De maneira geral, o relatório provocou altas, indicando safra e estoques americanos 2019/20 abaixo do esperado pelo mercado. 

Os contratos da soja em grão com entrega em agosto fecharam com alta de 4,50 centavos de dólar por libra-peso ou 0,5%, a US$ 8,99 por bushel. A posição novembro teve cotação de US$ 9,17 1/4 por bushel, com ganho de 4,50 centavos de dólar por libra-peso ou 0,49%.

 Nos subprodutos, a posição agosto do farelo fechou com alta de US$ 1,70 ou 0,54% a US$ 312,40 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em agosto fecharam a 28,18 centavos de dólar, alta de 0,09 centavo, ou 0,32% em relação ao fechamento anterior. 

Relatório

A produção 2019/20 está estimada em 3,845 bilhões de bushels, ou 104,6 milhões de toneladas. 

O mercado esperava uma safra de 3,850 bilhões ou 104,78 milhões de toneladas. No relatório de junho, a previsão era de 4,15 bilhões de bushels ou 112,94 milhões de toneladas. Para 2018/19, a previsão foi mantida em 4,544 bilhões ou 123,6 milhões de toneladas.  

Os estoques finais em 2019/20 estão projetados em 795 milhões de bushels, o equivalente a 21,64 milhões de toneladas, enquanto o mercado apostava em número em torno de 22,1 milhões. No relatório anterior, a previsão era de 1,045 bilhão de bushels ou 28,44 milhões de toneladas.  

Para 2018/19, o USDA reduziu sua projeção de 1,07 bilhão de bushels – 29,1 milhões para 1,05 bilhão de bushels – 28,6 milhões de toneladas. O mercado apostava em 1,038 bilhão de bushels ou 28,25 milhões de toneladas. 

O relatório projetou safra mundial de soja em 2019/20 de 347,04 milhões de toneladas. No relatório anterior, a previsão era de 355,4 milhões. Os estoques finais estão estimados em 104,53 milhões de toneladas. O mercado esperava por estoques finais de 110,7 milhões de toneladas. Em junho, a previsão era de 112,66 milhões.  

A projeção do USDA aposta em safra americana de 104,64 milhões de toneladas, contra 112,95 milhões previstos em junho. Para o Brasil, a previsão é de uma produção de 123 milhões de toneladas. A Argentina deverá produzir 53 milhões de toneladas.  

A produção em 2018/19 teve sua projeção indicada em 362,87 milhões de toneladas. Os estoques finais foram elevados de 112,8 milhões para 113 milhões de toneladas. O mercado apostava em número de 112,6 milhões de toneladas.  

A safra brasileira foi mantida em 117 milhões de toneladas, enquanto a produção argentina teve sua estimativa inalteradas em 56 milhões de toneladas. Nos dois casos, o mercado já apostava nestes movimentos. 

Deixe um Comentário