Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Sistema S: redução de verba ameaça capacitação de 270 mil produtores ao ano

RISCO DE CORTE

Sistema S: redução de verba ameaça capacitação de 270 mil produtores ao ano

Proposta do governo Bolsonaro pode afetar caixa de instituições como Senar, que atende trabalhadores rurais. Confira a reportagem do projeto Família Nação Agro, parceria do Canal Rural com o Senar-SP

18 de janeiro de 2019 às 20h05
Por Tobias Ferraz, de São Paulo
Senar, Sistema S

Foto: Senar-MT

A redução orçamentária proposta pelo governo Bolsonaro ao Sistema S coloca em risco a capacitação de produtores rurais. É que a medida, defendida pelo ministro Paulo Guedes, pode afetar o caixa de instituições como o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), que atende anualmente 270 mil pequenos produtores, e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que estimula um milhão de novos pequenos negócios todos os anos.

Com problemas no orçamento, o governo federal precisa reduzir os gastos públicos, e o Sistema S está na mira dos cortes. Na opinião do presidente do Sebrae de São Paulo, Tirso Meirelles, a redução de verba para educação e capacitação vai na contramão da necessidade de geração de empregos no país. “Se fizerem as mudanças que pretendem, é um retrocesso”, diz ele.

Segundo Meirelles, as instituições que compõem o sistema promovem a integração da cadeia produtiva e podem auxiliar o desenvolvimento regional. “Se você quer realmente agregar valor, dar emprego e renda, que é o que o governo pretende, o Sistema S consegue fazer isso”, afirma o presidente do Sebrae-SP.

Nova call to action

Tirso Meirelles destaca o retorno que o investimento em capacitação e instrução traz para toda a sociedade. “A cada R$ 1 que você investe na área da agricultura, voltam R$ 3. Se nós investirmos em tecnologia, em inovação, em aprimoramento da mão de obra, R$ 100 milhões por ano, retornamos para a sociedade R$ 300 milhões.”

Ele afirma que o Sebrae faz 2 milhões de atendimentos, um milhão deles, voltados á pequena empresa. “Nós fazemos dois milhões de atendimentos no Sebrae, um milhão deles, à pequena empresa. “Veja a riqueza que isso traz, porque você tira pessoas que não estão trabalhando e traz para a formalidade, para que ela possa ter o seu desenvolvimento junto à sociedade. Você transforma muito mais”, afirma Meirelles.

 

7 comentários

  1. Marco em 19 de janeiro de 2019 às 00:11

    O Sistema S deve cortar despesas desnecessárias e supérfluas que são muitas em todos os órgãos públicos para economizar e manter a capacitação desse numero de produtores e ainda aumentá-lo. A proposta é corretíssima e o Estado precisa ser enxugado em todos os setores. Não é possível tamanha transferência de riqueza da sociedade para o Estado, através de uma carga tributária de 50%, para sustentar um Estado inchado, incompetente e ineficiente na Justiça, na Segurança, na Educação e em todas as áreas. Os países com as sociedades mais ricas do mundo tem carga tributária de 20 a 25% e prestam um serviço de excelente qualidade para a população. É uma vergonha ser contra as propostas de reforma do Estado, isso é defender privilégios e sacrificar a sociedade brasileira em benefício de uma minoria. Muda Brasil.

  2. Marco Antonio em 19 de janeiro de 2019 às 00:13

    O Sistema S deve cortar despesas desnecessárias e supérfluas que são muitas em todos os órgãos públicos para economizar e manter a capacitação desse numero de produtores e ainda aumentá-lo. A proposta é corretíssima e o Estado precisa ser enxugado em todos os setores. Não é possível tamanha transferência de riqueza da sociedade para o Estado, através de uma carga tributária de 50%, para sustentar um Estado inchado, incompetente e ineficiente na Justiça, na Segurança, na Educação e em todas as áreas. Os países com as sociedades mais ricas do mundo tem carga tributária de 20 a 25% e prestam um serviço de excelente qualidade para a população. É uma vergonha ser contra as propostas de reforma do Estado, isso é defender privilégios e sacrificar a sociedade brasileira em benefício de uma minoria. Muda Brasil.

  3. Bento em 19 de janeiro de 2019 às 11:15

    O sistema S consegue aprimorar a capacitação de trabalhadores. O Senar só tem objetivos políticos nas candidaturas a deputados e senadores. Cabidão de empregos. CNA inclusive.
    Paulo Guedes tá certo. O produtor empregador rural, só tem obrigações a pagar.
    É preciso um melhor aproveitamento desses suados recursos que saem do bolso do pequeno proprietario rural. Chega de enganação paga compulsoriamente.

  4. Milton em 19 de janeiro de 2019 às 16:27

    Aqui no MS, não vai fazer falta alguma, não ensinam nada de útil aos produtores. No ano passado curso de bonecas. Vocês acham que isto vai fazer falta? Governo tem meu apoio como produtor rural, para acabar com esta safadeza.

  5. Milton em 19 de janeiro de 2019 às 16:31
  6. Almanakut Brasil em 19 de janeiro de 2019 às 19:42

    Nunca conseguimos fazer nem um curso online nesse Senar e nem a newsletter recebemos mais!

  7. Hebert em 22 de janeiro de 2019 às 11:02

    Aqui em São Paulo tem excelentes cursos e muito apoio ao produtor rural, totalmente gratuito. https://www.faespsenar.com.br/senar-educacao-rural-formacao-profissional

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Sistema S: redução de verba ameaça capacitação de 270 mil produtores ao ano

RISCO DE CORTE

Sistema S: redução de verba ameaça capacitação de 270 mil produtores ao ano

Proposta do governo Bolsonaro pode afetar caixa de instituições como Senar, que atende trabalhadores rurais. Confira a reportagem do projeto Família Nação Agro, parceria do Canal Rural com o Senar-SP

18 de janeiro de 2019 às 20h05
Por Tobias Ferraz, de São Paulo
Senar, Sistema S

Foto: Senar-MT

A redução orçamentária proposta pelo governo Bolsonaro ao Sistema S coloca em risco a capacitação de produtores rurais. É que a medida, defendida pelo ministro Paulo Guedes, pode afetar o caixa de instituições como o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), que atende anualmente 270 mil pequenos produtores, e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que estimula um milhão de novos pequenos negócios todos os anos.

Com problemas no orçamento, o governo federal precisa reduzir os gastos públicos, e o Sistema S está na mira dos cortes. Na opinião do presidente do Sebrae de São Paulo, Tirso Meirelles, a redução de verba para educação e capacitação vai na contramão da necessidade de geração de empregos no país. “Se fizerem as mudanças que pretendem, é um retrocesso”, diz ele.

Segundo Meirelles, as instituições que compõem o sistema promovem a integração da cadeia produtiva e podem auxiliar o desenvolvimento regional. “Se você quer realmente agregar valor, dar emprego e renda, que é o que o governo pretende, o Sistema S consegue fazer isso”, afirma o presidente do Sebrae-SP.

Nova call to action

Tirso Meirelles destaca o retorno que o investimento em capacitação e instrução traz para toda a sociedade. “A cada R$ 1 que você investe na área da agricultura, voltam R$ 3. Se nós investirmos em tecnologia, em inovação, em aprimoramento da mão de obra, R$ 100 milhões por ano, retornamos para a sociedade R$ 300 milhões.”

Ele afirma que o Sebrae faz 2 milhões de atendimentos, um milhão deles, voltados á pequena empresa. “Nós fazemos dois milhões de atendimentos no Sebrae, um milhão deles, à pequena empresa. “Veja a riqueza que isso traz, porque você tira pessoas que não estão trabalhando e traz para a formalidade, para que ela possa ter o seu desenvolvimento junto à sociedade. Você transforma muito mais”, afirma Meirelles.

 

7 comentários

  1. Marco em 19 de janeiro de 2019 às 00:11

    O Sistema S deve cortar despesas desnecessárias e supérfluas que são muitas em todos os órgãos públicos para economizar e manter a capacitação desse numero de produtores e ainda aumentá-lo. A proposta é corretíssima e o Estado precisa ser enxugado em todos os setores. Não é possível tamanha transferência de riqueza da sociedade para o Estado, através de uma carga tributária de 50%, para sustentar um Estado inchado, incompetente e ineficiente na Justiça, na Segurança, na Educação e em todas as áreas. Os países com as sociedades mais ricas do mundo tem carga tributária de 20 a 25% e prestam um serviço de excelente qualidade para a população. É uma vergonha ser contra as propostas de reforma do Estado, isso é defender privilégios e sacrificar a sociedade brasileira em benefício de uma minoria. Muda Brasil.

  2. Marco Antonio em 19 de janeiro de 2019 às 00:13

    O Sistema S deve cortar despesas desnecessárias e supérfluas que são muitas em todos os órgãos públicos para economizar e manter a capacitação desse numero de produtores e ainda aumentá-lo. A proposta é corretíssima e o Estado precisa ser enxugado em todos os setores. Não é possível tamanha transferência de riqueza da sociedade para o Estado, através de uma carga tributária de 50%, para sustentar um Estado inchado, incompetente e ineficiente na Justiça, na Segurança, na Educação e em todas as áreas. Os países com as sociedades mais ricas do mundo tem carga tributária de 20 a 25% e prestam um serviço de excelente qualidade para a população. É uma vergonha ser contra as propostas de reforma do Estado, isso é defender privilégios e sacrificar a sociedade brasileira em benefício de uma minoria. Muda Brasil.

  3. Bento em 19 de janeiro de 2019 às 11:15

    O sistema S consegue aprimorar a capacitação de trabalhadores. O Senar só tem objetivos políticos nas candidaturas a deputados e senadores. Cabidão de empregos. CNA inclusive.
    Paulo Guedes tá certo. O produtor empregador rural, só tem obrigações a pagar.
    É preciso um melhor aproveitamento desses suados recursos que saem do bolso do pequeno proprietario rural. Chega de enganação paga compulsoriamente.

  4. Milton em 19 de janeiro de 2019 às 16:27

    Aqui no MS, não vai fazer falta alguma, não ensinam nada de útil aos produtores. No ano passado curso de bonecas. Vocês acham que isto vai fazer falta? Governo tem meu apoio como produtor rural, para acabar com esta safadeza.

  5. Milton em 19 de janeiro de 2019 às 16:31
  6. Almanakut Brasil em 19 de janeiro de 2019 às 19:42

    Nunca conseguimos fazer nem um curso online nesse Senar e nem a newsletter recebemos mais!

  7. Hebert em 22 de janeiro de 2019 às 11:02

    Aqui em São Paulo tem excelentes cursos e muito apoio ao produtor rural, totalmente gratuito. https://www.faespsenar.com.br/senar-educacao-rural-formacao-profissional

Deixe um Comentário





Mais Notícias