Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Produtor rural pode ficar sem máquinas agrícolas neste ano

FALTOU DINHEIRO

Produtor rural pode ficar sem máquinas agrícolas neste ano

Abimaq diz que recursos do Moderfrota não serão suficientes até o fim do Plano Safra 2018/2019; entidade pediu aporte de R$ 3 bilhões

17 de janeiro de 2019 às 14h48
Por Estadão Conteúdo
tratores no Porto de Rio Grande

Foto: Porto de Rio Grande

A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) solicitou ao governo um aporte de R$ 3 bilhões no orçamento do Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota). O pedido foi feito à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e ao ministro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, com sugestões de remanejamento de verbas de outros programas suplementares. Em novembro, Marquesan já havia tido uma reunião sobre o assunto com os futuros representantes do governo Bolsonaro.

Atualmente, o Moderfrota é a principal linha de financiamento de tratores e colheitadeiras do país, fomentada com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e com juros de 7,5% a 9,5% ao ano. A Abimaq alega insuficiência dos valores do programa de financiamento para máquinas e implementos agrícolas até o fim do atual Plano Safra 2018/2019.

“Estamos vendo que o saldo que está sobrando do Moderfrota, por volta de R$ 4 bilhões, não chega até 31 de março de 2019, três meses antes do fim do ciclo agrícola do Plano Safra 2018/2019, em 30 de junho. Não vai ter dinheiro para o financiamento nas principais feiras de máquinas do país, que começam justamente a partir desse mês”, afirmou o presidente da entidade, João Carlos Marchesan.

De acordo com levantamento da entidade, a linha já consumiu R$ 4,1 bilhões no período de julho a outubro de 2018 dos R$ 8,9 bilhões destinados para atual plano safra  2018/2019. Ainda segundo a Abimaq, houve um crescimento de 58% no desembolso feito pelos produtores rurais.

“O segmento agrícola está investindo, renovando seu parque de máquinas, e não podemos perder este momento”, argumentou Marchesan.

Sem remanejamento, recursos do Moderfrota acabam em março de 2019

4 comentários

  1. Eder cabral em 17 de janeiro de 2019 às 16:29

    Espero que esse nosso governo olhem pra nós, que levamos,o de comer para eles ?

  2. Jorge csmpos em 17 de janeiro de 2019 às 21:07

    Quando temos condições de evoluir, aparecem problemas momentâneos que justificam o atraso do país em um setor que só ajuda o Brasil a manter a balança comercial equacionada !

  3. Alberto em 18 de janeiro de 2019 às 08:09

    Concordo que deva continuar este insentivo. Mas e as outras empresas e indústrias vão ter está facilidade de juros para renovar suas máquinas também.

  4. Guido em 19 de janeiro de 2019 às 17:15

    São erros tão elementares que me fazem imaginar que nós brasileiros somos burros ao cubo. Contar isso em outro país vira até piada!

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Produtor rural pode ficar sem máquinas agrícolas neste ano

FALTOU DINHEIRO

Produtor rural pode ficar sem máquinas agrícolas neste ano

Abimaq diz que recursos do Moderfrota não serão suficientes até o fim do Plano Safra 2018/2019; entidade pediu aporte de R$ 3 bilhões

17 de janeiro de 2019 às 14h48
Por Estadão Conteúdo
tratores no Porto de Rio Grande

Foto: Porto de Rio Grande

A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) solicitou ao governo um aporte de R$ 3 bilhões no orçamento do Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota). O pedido foi feito à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e ao ministro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, com sugestões de remanejamento de verbas de outros programas suplementares. Em novembro, Marquesan já havia tido uma reunião sobre o assunto com os futuros representantes do governo Bolsonaro.

Atualmente, o Moderfrota é a principal linha de financiamento de tratores e colheitadeiras do país, fomentada com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e com juros de 7,5% a 9,5% ao ano. A Abimaq alega insuficiência dos valores do programa de financiamento para máquinas e implementos agrícolas até o fim do atual Plano Safra 2018/2019.

“Estamos vendo que o saldo que está sobrando do Moderfrota, por volta de R$ 4 bilhões, não chega até 31 de março de 2019, três meses antes do fim do ciclo agrícola do Plano Safra 2018/2019, em 30 de junho. Não vai ter dinheiro para o financiamento nas principais feiras de máquinas do país, que começam justamente a partir desse mês”, afirmou o presidente da entidade, João Carlos Marchesan.

De acordo com levantamento da entidade, a linha já consumiu R$ 4,1 bilhões no período de julho a outubro de 2018 dos R$ 8,9 bilhões destinados para atual plano safra  2018/2019. Ainda segundo a Abimaq, houve um crescimento de 58% no desembolso feito pelos produtores rurais.

“O segmento agrícola está investindo, renovando seu parque de máquinas, e não podemos perder este momento”, argumentou Marchesan.

Sem remanejamento, recursos do Moderfrota acabam em março de 2019

4 comentários

  1. Eder cabral em 17 de janeiro de 2019 às 16:29

    Espero que esse nosso governo olhem pra nós, que levamos,o de comer para eles ?

  2. Jorge csmpos em 17 de janeiro de 2019 às 21:07

    Quando temos condições de evoluir, aparecem problemas momentâneos que justificam o atraso do país em um setor que só ajuda o Brasil a manter a balança comercial equacionada !

  3. Alberto em 18 de janeiro de 2019 às 08:09

    Concordo que deva continuar este insentivo. Mas e as outras empresas e indústrias vão ter está facilidade de juros para renovar suas máquinas também.

  4. Guido em 19 de janeiro de 2019 às 17:15

    São erros tão elementares que me fazem imaginar que nós brasileiros somos burros ao cubo. Contar isso em outro país vira até piada!

Deixe um Comentário





Mais Notícias