Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Milho » Milho: fique de olho no que pode mexer com os preços na próxima semana

ANÁLISE

Milho: fique de olho no que pode mexer com os preços na próxima semana

O mercado internacional começa a se ajustar à espera de relatório do USDA. No Brasil, o câmbio dá competitividade ao produto nacional e sustenta as cotações

01 de setembro de 2019 às 09h05
Por Agência Safras
milho

Foto: Pixabay

A Bolsa de Chicago para o milho registrou volatilidade no pregão desta sexta, 30, e fechou em queda. Segundo a Safras & Mercado,  possíveis estímulos do governo dos Estados Unidos em relação ao consumo de biocombustíveis, principalmente etanol, ofereceram suporte aos contratos.

Acompanhe abaixo alguns fatos que devem ficar no radar do mercado de milho nesta próxima semana. As dicas são do analista Fernando Henrique Iglesias.

  • O relatório semanal de condição das lavouras divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) ocupa um papel de destaque na formação de tendência, mantendo em foco a discussão sobre a produtividade média norte-americana;
  • O mercado também começa a se preparar para o relatório de Oferta e Demanda que será divulgado pelo USDA no dia 12 de setembro;
  • Também há expectativa de desdobramentos da guerra comercial entre Estados Unidos e China, com incertezas em torno de um novo encontro entre a alta cúpula das duas potências no decorrer do mês;
  • A movimentação cambial ao longo da semana alterou o comportamento dos agentes que compõem o mercado interno, com maior cautela nas estratégias de compra ou de venda;
  • Os produtores optaram pela retenção, analisando a possibilidade de novos reajustes no curto prazo;
  • A turbulência cambial foi o fato marcante da semana, com o real amplamente desvalorizado mesmo com a atuação mais presente do Banco Central;
  • Na última sexta-feira, 30, o real experimentou alguma valorização e retornou à paridade de R$ 4,13/R$ 4,14 por dólar;
  • De qualquer maneira, essa paridade oferece ótima competitividade as commodities brasileiras no mercado internacional, justificando a firmeza nos preços nos portos. Em Santos, as indicações permanecem posicionadas entre R$ 38/R$ 38,50 para os meses de setembro e outubro.

1 comentário

  1. Paulo Edgar da Silva em 1 de setembro de 2019 às 20:45

    Canal Rural é o principal veículo telecomunicação que valoriza a agropecuária brasileira. Obrigado continuem.
    Paulo Edgar da Silva
    Getúlio Vargas RS

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Milho » Milho: fique de olho no que pode mexer com os preços na próxima semana

ANÁLISE

Milho: fique de olho no que pode mexer com os preços na próxima semana

O mercado internacional começa a se ajustar à espera de relatório do USDA. No Brasil, o câmbio dá competitividade ao produto nacional e sustenta as cotações

01 de setembro de 2019 às 09h05
Por Agência Safras
milho

Foto: Pixabay

A Bolsa de Chicago para o milho registrou volatilidade no pregão desta sexta, 30, e fechou em queda. Segundo a Safras & Mercado,  possíveis estímulos do governo dos Estados Unidos em relação ao consumo de biocombustíveis, principalmente etanol, ofereceram suporte aos contratos.

Acompanhe abaixo alguns fatos que devem ficar no radar do mercado de milho nesta próxima semana. As dicas são do analista Fernando Henrique Iglesias.

  • O relatório semanal de condição das lavouras divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) ocupa um papel de destaque na formação de tendência, mantendo em foco a discussão sobre a produtividade média norte-americana;
  • O mercado também começa a se preparar para o relatório de Oferta e Demanda que será divulgado pelo USDA no dia 12 de setembro;
  • Também há expectativa de desdobramentos da guerra comercial entre Estados Unidos e China, com incertezas em torno de um novo encontro entre a alta cúpula das duas potências no decorrer do mês;
  • A movimentação cambial ao longo da semana alterou o comportamento dos agentes que compõem o mercado interno, com maior cautela nas estratégias de compra ou de venda;
  • Os produtores optaram pela retenção, analisando a possibilidade de novos reajustes no curto prazo;
  • A turbulência cambial foi o fato marcante da semana, com o real amplamente desvalorizado mesmo com a atuação mais presente do Banco Central;
  • Na última sexta-feira, 30, o real experimentou alguma valorização e retornou à paridade de R$ 4,13/R$ 4,14 por dólar;
  • De qualquer maneira, essa paridade oferece ótima competitividade as commodities brasileiras no mercado internacional, justificando a firmeza nos preços nos portos. Em Santos, as indicações permanecem posicionadas entre R$ 38/R$ 38,50 para os meses de setembro e outubro.

1 comentário

  1. Paulo Edgar da Silva em 1 de setembro de 2019 às 20:45

    Canal Rural é o principal veículo telecomunicação que valoriza a agropecuária brasileira. Obrigado continuem.
    Paulo Edgar da Silva
    Getúlio Vargas RS

Deixe um Comentário





Mais Notícias