Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Milho » Milho fecha com preços estáveis nesta quarta-feira 

MERCADO

Milho fecha com preços estáveis nesta quarta-feira 

Ainda há grande expectativa em relação ao relatório de oferta e demanda que será divulgado pelo USDA nesta quinta-feira

11 de setembro de 2019 às 20h07
Por Agência Safras

O mercado brasileiro de milho manteve cotações estáveis nesta quarta-feira. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, a paridade de exportação ainda dita o ritmo do mercado brasileiro no decorrer da semana. “De qualquer maneira, o fluxo de negócios até o momento é pouco representativo. 

Ainda há grande expectativa em relação ao Relatório de Oferta e Demanda que será divulgado pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) ao longo da quinta-feira, fazendo com que os agentes que compõem o mercado recuem em suas posições”, avaliou. 

Segundo Fernando Henrique Iglesias, o mercado apresentava “depressão” no início da semana. Mas, Chicago subiu repercutindo a piora das condições das lavouras, e houve “consequência direta em nova mudança da paridade de exportação”, afirmou.

No Porto de Paranaguá, o preço ficou em R$ 36,50/38,00 a saca. Em Santos, o preço girou em torno de R$ 37,00/38,00 a saca. No Paraná, a cotação ficou em R$ 32,50/33,50 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 35,00/36,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 37,00/38,00 a saca.

No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 38,50/39,50 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 34,00/36,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 28,00/30,00 a saca em Rio Verde, no disponível. Em Mato Grosso, preço ficou a R$ 27,00/29,00 a saca em Rondonópolis, para o disponível.

Chicago 

A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou com preços mais baixos. Na véspera do relatório de setembro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), os agentes optaram por realizar parte dos lucros de ontem. A queda do petróleo e o clima favorável às lavouras americanas completaram o cenário negativo.  

A previsão de analistas e traders consultados por agências internacionais é de que a safra dos Estados Unidos em 2019/20 seja indicada em 13,614 bilhões de bushels, aquém dos 13,901 bilhões de bushels indicados em julho.  

Os estoques de passagem da safra 2019/20 dos Estados Unidos devem ser indicados em 1,965 bilhões de bushels, abaixo dos 1,981 bilhão de bushels indicados em julho. Os estoques finais de passagem da safra mundial 2019/20 devem ser apontados em 301,8 milhões de toneladas, aquém dos 307,7 indicados em julho.  

Os contratos de milho com entrega em dezembro de 2019 fecharam a US$ 3,60,  baixa de 1,50 centavo de dólar, ou 0,41%, em relação ao fechamento anterior. A posição março/20 de 2019 fechou a US$ 3,72 1/4 por bushel, perda de 2,25 centavos de dólar, ou 0,60%, em relação ao fechamento anterior.

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Milho » Milho fecha com preços estáveis nesta quarta-feira 

MERCADO

Milho fecha com preços estáveis nesta quarta-feira 

Ainda há grande expectativa em relação ao relatório de oferta e demanda que será divulgado pelo USDA nesta quinta-feira

11 de setembro de 2019 às 20h07
Por Agência Safras

O mercado brasileiro de milho manteve cotações estáveis nesta quarta-feira. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, a paridade de exportação ainda dita o ritmo do mercado brasileiro no decorrer da semana. “De qualquer maneira, o fluxo de negócios até o momento é pouco representativo. 

Ainda há grande expectativa em relação ao Relatório de Oferta e Demanda que será divulgado pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) ao longo da quinta-feira, fazendo com que os agentes que compõem o mercado recuem em suas posições”, avaliou. 

Segundo Fernando Henrique Iglesias, o mercado apresentava “depressão” no início da semana. Mas, Chicago subiu repercutindo a piora das condições das lavouras, e houve “consequência direta em nova mudança da paridade de exportação”, afirmou.

No Porto de Paranaguá, o preço ficou em R$ 36,50/38,00 a saca. Em Santos, o preço girou em torno de R$ 37,00/38,00 a saca. No Paraná, a cotação ficou em R$ 32,50/33,50 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 35,00/36,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 37,00/38,00 a saca.

No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 38,50/39,50 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 34,00/36,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 28,00/30,00 a saca em Rio Verde, no disponível. Em Mato Grosso, preço ficou a R$ 27,00/29,00 a saca em Rondonópolis, para o disponível.

Chicago 

A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou com preços mais baixos. Na véspera do relatório de setembro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), os agentes optaram por realizar parte dos lucros de ontem. A queda do petróleo e o clima favorável às lavouras americanas completaram o cenário negativo.  

A previsão de analistas e traders consultados por agências internacionais é de que a safra dos Estados Unidos em 2019/20 seja indicada em 13,614 bilhões de bushels, aquém dos 13,901 bilhões de bushels indicados em julho.  

Os estoques de passagem da safra 2019/20 dos Estados Unidos devem ser indicados em 1,965 bilhões de bushels, abaixo dos 1,981 bilhão de bushels indicados em julho. Os estoques finais de passagem da safra mundial 2019/20 devem ser apontados em 301,8 milhões de toneladas, aquém dos 307,7 indicados em julho.  

Os contratos de milho com entrega em dezembro de 2019 fecharam a US$ 3,60,  baixa de 1,50 centavo de dólar, ou 0,41%, em relação ao fechamento anterior. A posição março/20 de 2019 fechou a US$ 3,72 1/4 por bushel, perda de 2,25 centavos de dólar, ou 0,60%, em relação ao fechamento anterior.

Deixe um Comentário





Mais Notícias