Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Milho » Milho dispara em Chicago e fecha com alta de 2,26%

DE OLHO NO CLIMA

Milho dispara em Chicago e fecha com alta de 2,26%

Contrato de dezembro fechou a US$ 3,95 e analistas apontam como fator decisivo as preocupações com o clima no cinturão produtor norte-americano

08 de outubro de 2019 às 17h15
Por Agência Safras
Com apoio de

A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou com preços acentuadamente mais altos. O mercado foi impulsionado pelas preocupações com o clima no cinturão produtor, tanto para o desenvolvimento das lavouras quanto para o andamento da colheita norte-americana. 

O excesso de umidade pode acabar prejudicando a qualidade das lavouras, o que traz bom suporte aos preços, assim como a expectativa para o relatório de oferta e demanda de outubro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Os preços chegaram aos maiores níveis desde 12 de agosto. 

O USDA divulgou dados sobre as condições das lavouras americanas de milho. Segundo o USDA, até 6 de outubro, 56% estavam entre boas e excelentes condições, 29% em situação regular e 15% em condições entre ruins e muito ruins. Na semana anterior, os números eram de 57%, 29% e 14%, respectivamente. O mercado esperava 57% das lavouras em boas a excelentes condições. 

Os contratos de milho com entrega em dezembro de 2019 fecharam a US$ 3,95 3/4, alta de 8,75 centavos de dólar, ou 2,26%, em relação ao fechamento anterior. A posição março/20 de 2019 fechou a US$ 4,06 1/2 por bushel, ganho de 7,50 centavos de dólar, ou 1,87%, em relação ao fechamento anterior. 

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Milho » Milho dispara em Chicago e fecha com alta de 2,26%

DE OLHO NO CLIMA

Milho dispara em Chicago e fecha com alta de 2,26%

Contrato de dezembro fechou a US$ 3,95 e analistas apontam como fator decisivo as preocupações com o clima no cinturão produtor norte-americano

08 de outubro de 2019 às 17h15
Por Agência Safras
Com apoio de

A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou com preços acentuadamente mais altos. O mercado foi impulsionado pelas preocupações com o clima no cinturão produtor, tanto para o desenvolvimento das lavouras quanto para o andamento da colheita norte-americana. 

O excesso de umidade pode acabar prejudicando a qualidade das lavouras, o que traz bom suporte aos preços, assim como a expectativa para o relatório de oferta e demanda de outubro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Os preços chegaram aos maiores níveis desde 12 de agosto. 

O USDA divulgou dados sobre as condições das lavouras americanas de milho. Segundo o USDA, até 6 de outubro, 56% estavam entre boas e excelentes condições, 29% em situação regular e 15% em condições entre ruins e muito ruins. Na semana anterior, os números eram de 57%, 29% e 14%, respectivamente. O mercado esperava 57% das lavouras em boas a excelentes condições. 

Os contratos de milho com entrega em dezembro de 2019 fecharam a US$ 3,95 3/4, alta de 8,75 centavos de dólar, ou 2,26%, em relação ao fechamento anterior. A posição março/20 de 2019 fechou a US$ 4,06 1/2 por bushel, ganho de 7,50 centavos de dólar, ou 1,87%, em relação ao fechamento anterior. 

Deixe um Comentário





Mais Notícias