Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Fertilizantes Heringer pede recuperação judicial e fecha 9 unidades

DEMISSÕES

Fertilizantes Heringer pede recuperação judicial e fecha 9 unidades

Consultoria INTL FCStone indica que entrega de adubo não deve ser afetada porque outros fornecedores já estavam naturalmente suprindo a demanda da empresa

06 de fevereiro de 2019 às 12h01
Por Canal Rural
Heringer fertilizante

Foto: Fertilizantes Heringer/ Divulgação

A Heringer, umas das maiores misturadoras de fertilizantes do Brasil, ajuizou nesta semana um pedido de recuperação judicial na comarca de Paulínia, interior de São Paulo. Em comunicado oficial, a companhia afirmou que reuniu esforços nos últimos meses para melhorar liquidez da empresa e tentou, inclusive, buscar potenciais investidores no mercado, mas não foi possível.

“Não obstante referidos esforços, a situação da companhia se deteriorou. Em consequência e aliado à recente conjuntura adversa no setor de atuação, os desafios decorrentes da situação econômico-financeira da Companhia se mantém e vêm se agravando”, disse.

Diante deste cenário, a Heringer informou que suspendeu as atividades em algumas de suas unidades de mistura, como em Rondonópolis (MT), Dourados (MS), Três Corações (MG), Uberaba (MG), Rio Verde (GO), Porto Alegre (RS), Rio Grande (RS), Paranaguá (PR) e Rosário do Catete (SE), com o desligamento de funcionários.

A expectativa de especialistas é de que o produtor rural não deve enfrentar grandes problemas no campo. O analista da consultoria INTL FCStone Marcelo Mello, afirma que como a empresa já vinha enfrentando problemas de caixa, e consequentemente reduzindo a produção e oferta de fertilizantes, outros fornecedores foram naturalmente suprindo a demanda que originalmente teria sido atendida pela empresa.

Ele ressalta ainda que apesar de o Brasil ter demanda por adubos o ano todo, o período de maior demanda ocorre entre agosto e outubro, quando agricultores se preparam para o plantio da safra verão de grãos. “Neste momento, em fevereiro, em que cerca de 20% da colheita da soja já aconteceu e a preparação para o plantio da safrinha de milho segue adiantada, grande parte dos fertilizantes já foram processados e distribuídos regionalmente”, disse.

Mello explica que o fortalecimento da demanda tende a ocorrer a partir de maio e junho deste ano, com picos maiores entre agosto e outubro. “Assim, tanto a Heringer como outras misturadoras terão tempo para adequar seu planejamento para evitar problemas de falta de produto”.

Fertilizantes: demanda no Brasil deve crescer mais de 3% ao ano até 2022

5 comentários

  1. […] (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); Source link […]

  2. […] (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); Source link […]

  3. Ângelo em 6 de fevereiro de 2019 às 13:32

    Assouboaembléia geral? São sindicalistas? Foi com um custo insuportável que descobrimos que sindicalistas não se preocupam com o trabalhador, com a empresa, com a sociedade ou com o país, mas cuidam muito bem dos seus bolsos. Eles tem o objetivo de tornar tudo insustentável pra surfar na onda da desordem. Faliram fundos de pensão dos trabalhadores da Petro, Postalis, Bancoop e muitos outros e os trabalhadores vão ter que reduzir as suas aposentadorias e aumentar as alíquotas pra pagar o roubo. E nenhum trabalhador se revoltou ou pediu cadeia a esses canalhas. Só uma doutrinação muito fanática prqa tornar pessoas em gado dessa forma! Tornaram-se alienados pelos sindicalistas!

  4. Ângelo em 6 de fevereiro de 2019 às 13:33

    Assouboaembléia geral? São sindicalistas? Foi com um custo insuportável que descobrimos que sindicalistas não se preocupam com o trabalhador, com a empresa, com a sociedade ou com o país, mas cuidam muito bem dos seus bolsos. Eles tem o objetivo de tornar tudo insustentável pra surfar na onda da desordem. Faliram fundos de pensão dos trabalhadores da Petro, Postalis, Bancoop e muitos outros e os trabalhadores vão ter que reduzir as suas aposentadorias e aumentar as alíquotas pra pagar o roubo. E nenhum trabalhador se revoltou ou pediu cadeia a esses canalhas. Só uma doutrinação muito fanática prqa tornar pessoas em gado dessa forma! Foram alienados ideologicamente pelos sindicalistas

  5. LINCOLN em 6 de fevereiro de 2019 às 14:59

    Será que não vai aparecer nenhum empresário brasileiro para comprar esta companhia, esta é a hora, o brasil compra tudo de fora do país.

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Fertilizantes Heringer pede recuperação judicial e fecha 9 unidades

DEMISSÕES

Fertilizantes Heringer pede recuperação judicial e fecha 9 unidades

Consultoria INTL FCStone indica que entrega de adubo não deve ser afetada porque outros fornecedores já estavam naturalmente suprindo a demanda da empresa

06 de fevereiro de 2019 às 12h01
Por Canal Rural
Heringer fertilizante

Foto: Fertilizantes Heringer/ Divulgação

A Heringer, umas das maiores misturadoras de fertilizantes do Brasil, ajuizou nesta semana um pedido de recuperação judicial na comarca de Paulínia, interior de São Paulo. Em comunicado oficial, a companhia afirmou que reuniu esforços nos últimos meses para melhorar liquidez da empresa e tentou, inclusive, buscar potenciais investidores no mercado, mas não foi possível.

“Não obstante referidos esforços, a situação da companhia se deteriorou. Em consequência e aliado à recente conjuntura adversa no setor de atuação, os desafios decorrentes da situação econômico-financeira da Companhia se mantém e vêm se agravando”, disse.

Diante deste cenário, a Heringer informou que suspendeu as atividades em algumas de suas unidades de mistura, como em Rondonópolis (MT), Dourados (MS), Três Corações (MG), Uberaba (MG), Rio Verde (GO), Porto Alegre (RS), Rio Grande (RS), Paranaguá (PR) e Rosário do Catete (SE), com o desligamento de funcionários.

A expectativa de especialistas é de que o produtor rural não deve enfrentar grandes problemas no campo. O analista da consultoria INTL FCStone Marcelo Mello, afirma que como a empresa já vinha enfrentando problemas de caixa, e consequentemente reduzindo a produção e oferta de fertilizantes, outros fornecedores foram naturalmente suprindo a demanda que originalmente teria sido atendida pela empresa.

Ele ressalta ainda que apesar de o Brasil ter demanda por adubos o ano todo, o período de maior demanda ocorre entre agosto e outubro, quando agricultores se preparam para o plantio da safra verão de grãos. “Neste momento, em fevereiro, em que cerca de 20% da colheita da soja já aconteceu e a preparação para o plantio da safrinha de milho segue adiantada, grande parte dos fertilizantes já foram processados e distribuídos regionalmente”, disse.

Mello explica que o fortalecimento da demanda tende a ocorrer a partir de maio e junho deste ano, com picos maiores entre agosto e outubro. “Assim, tanto a Heringer como outras misturadoras terão tempo para adequar seu planejamento para evitar problemas de falta de produto”.

Fertilizantes: demanda no Brasil deve crescer mais de 3% ao ano até 2022

5 comentários

  1. […] (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); Source link […]

  2. […] (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); Source link […]

  3. Ângelo em 6 de fevereiro de 2019 às 13:32

    Assouboaembléia geral? São sindicalistas? Foi com um custo insuportável que descobrimos que sindicalistas não se preocupam com o trabalhador, com a empresa, com a sociedade ou com o país, mas cuidam muito bem dos seus bolsos. Eles tem o objetivo de tornar tudo insustentável pra surfar na onda da desordem. Faliram fundos de pensão dos trabalhadores da Petro, Postalis, Bancoop e muitos outros e os trabalhadores vão ter que reduzir as suas aposentadorias e aumentar as alíquotas pra pagar o roubo. E nenhum trabalhador se revoltou ou pediu cadeia a esses canalhas. Só uma doutrinação muito fanática prqa tornar pessoas em gado dessa forma! Tornaram-se alienados pelos sindicalistas!

  4. Ângelo em 6 de fevereiro de 2019 às 13:33

    Assouboaembléia geral? São sindicalistas? Foi com um custo insuportável que descobrimos que sindicalistas não se preocupam com o trabalhador, com a empresa, com a sociedade ou com o país, mas cuidam muito bem dos seus bolsos. Eles tem o objetivo de tornar tudo insustentável pra surfar na onda da desordem. Faliram fundos de pensão dos trabalhadores da Petro, Postalis, Bancoop e muitos outros e os trabalhadores vão ter que reduzir as suas aposentadorias e aumentar as alíquotas pra pagar o roubo. E nenhum trabalhador se revoltou ou pediu cadeia a esses canalhas. Só uma doutrinação muito fanática prqa tornar pessoas em gado dessa forma! Foram alienados ideologicamente pelos sindicalistas

  5. LINCOLN em 6 de fevereiro de 2019 às 14:59

    Será que não vai aparecer nenhum empresário brasileiro para comprar esta companhia, esta é a hora, o brasil compra tudo de fora do país.

Deixe um Comentário





Mais Notícias