Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Com feriado nos EUA, preços das commodities andam de lado no Brasil

ABERTURA DE MERCADO

Com feriado nos EUA, preços das commodities andam de lado no Brasil

Foi comemorado o Dia de Martin Luther King nesta segunda-feira, dia 21. Confira notícias sobre dólar, mercado agropecuário e previsão do tempo para começar o dia bem informado

22 de janeiro de 2019 às 06h48
Por Canal Rural, com informações da Agência Safras e Somar Meteorologia
plantinhas com dinheiro, seguro

Foto: Pixabay

O mercado brasileiro de soja teve um começo de semana de negociações arrastadas e preços pouco alterados, de acordo com a Safras & Mercado.

“Não houve pregão na Bolsa de Chicago, em função do feriado de Martin Luther King nos Estados Unidos, e o Brasil perdeu, assim, sua principal referência para a formação de preços, o que levou à morosidade na comercialização”, explica a consultoria.

O preço da saca negociada em Cascavel (PR) e no Porto de Santos (SP) se valorizou 50 centavos em relação ao fechamento da sexta-feira passada, dia 18.

SOJA NO MERCADO FÍSICO – POR SACA DE 60 KG

  • Passo Fundo (RS): R$ 76
  • Cascavel (PR): R$ 71,50
  • Rondonópolis (MT): R$ 66
  • Dourados (MS): R$ 68
  • Santos (SP): R$ 76
  • Paranaguá (PR): R$ 77
  • Rio Grande (RS): R$ 77
  • São Francisco (SC): R$ 76
  • Confira mais cotações

Trabalhos de campo

A colheita de soja atinge 5,4% da área estimada, conforme levantamento de Safras, com dados recolhidos até 18 de janeiro. “Os trabalhos estão adiantados em relação a igual período do ano passado (0,8%), e também à frente da média para o período, de 1,4%.

Segundo o analista Evandro Oliveira, em virtude do clima favorável e do plantio antecipado, os trabalhos de colheita avançam em um ritmo acima da média. “Contudo, os resultados têm confirmado produtividades abaixo do esperado nas lavouras semeadas precocemente nos estados do Paraná e do Mato Grosso do Sul”, comenta.

Exportações

Os embarques de soja em grão do Brasil renderam US$ 510,3 milhões nos 13 dias úteis de janeiro, com média diária de US$ 39,3 milhões. A quantidade total exportada foi de 1,342 milhão de toneladas, cerca de 103,2 mil toneladas por dia. O preço médio da tonelada ficou em US$ 380,20.


Milho

A dinâmica do mercado brasileiro de milho pouco mudou no início da semana, com registro de negócios esporádicos no disponível. Para a segunda safra não houve movimentação relevante em virtude da ausência de pregão na Bolsa de Chicago.

“A intensificação da colheita de soja tende a produzir maior dificuldade na aquisição de lotes mais expressivos de outras regiões produtoras, acentuando a dificuldade de abastecimento”, comenta o analista de Safras & Mercado Fernando Henrique Iglesias, diante da prioridade nos fretes para o escoamento da oleaginosa.

MILHO NO MERCADO FÍSICO – POR SACA DE 60 KG

  • Rio Grande do Sul: R$ 37,50
  • Paraná: R$ 36,50
  • Campinas (SP): R$ 40,50
  • Mato Grosso: R$ 27
  • Porto de Santos (SP): R$ 37
  • Porto de Paranaguá (PR): R$ 36
  • Porto de São Francisco (SC): R$ 36
  • Veja o preço do milho em outras regiões

Boi gordo

A quarta semana do ano começa com os compradores e vendedores analisando o mercado, segundo a Scot Consultoria. “Isso fez com que houvesse mais especulação do que negócios sendo efetivados”, diz. O lento escoamento da carne bovina faz com que as indústrias tenham cautela na aquisição de boiadas.

Por outro lado, as pastagens em boas condições permitem aos pecuaristas manter os animais no pasto, à espera de preços maiores.

“Essa queda de braço entre compradores contra vendedores deixou o mercado, na maioria das regiões, morno nessa segunda-feira”, explica a Scot.

Já no Acre o cenário é diferente, as escalas de abate giram em torno de três dias e as indústrias encontram dificuldade em adquirir boiadas. No estado, houve alta de 1,6% em relação ao último levantamento e o boi gordo está cotado em R$ 130 por arroba, a prazo, livre de Funrural.

A margem de comercialização das indústrias que fazem a operação de desossa está em 19,6%, 2,8 pontos percentuais menor que no início do ano. A queda da margem deve manter o “apetite” das empresas moderado.

BOI GORDO NO MERCADO FÍSICO – ARROBA À VISTA

  • Araçatuba (SP): R$ 150,50
  • Triângulo Mineiro (MG): R$ 145
  • Goiânia (GO): R$ 137
  • Dourados (MS): R$ 140
  • Mato Grosso: R$ 132 a R$ 136
  • Marabá (PA): R$ 131
  • Rio Grande do Sul (oeste): R$ 5,20 (kg)
  • Paraná (noroeste): R$ 149,50
  • Paragominas (PA): R$ 135
  • Tocantins (sul): R$ 134
  • Veja a cotação na sua região

Café

O mercado brasileiro de café teve uma segunda-feira de lentidão nos negócios e de estabilidade nas cotações. Sem a referência de Nova York, com o mercado futuro do arábica não funcionando devido ao feriado, o dia foi de morosidade no Brasil. Houve poucos negócios de pequenos volumes realizados.

CAFÉ NO MERCADO FÍSICO – POR SACA DE 60 KG

  • Arábica/bebida boa – Sul de MG: R$ 410 a R$ 415
  • Arábica/bebida boa – Cerrado de MG: R$ 415 a R$ 420
  • Arábica/rio tipo 7 – Zona da Mata de MG: R$ 345 a R$ 350
  • Conilon/tipo 7 – Vitória (ES): R$ 303 a R$ 308
  • Confira mais cotações

Bolsa de Londres

O robusta fechou com preços mais baixos. O mercado corrigiu parte dos ganhos da sexta, em dia de poucos negócios. O feriado nos Estados Unidos tira do mercado um dos seus principais referenciais, o comportamento dos contratos futuros do arábica em Nova York.

CAFÉ ROBUSTA NA BOLSA DE LONDRES (LIFFE) – POR TONELADA

  • Março/2019: US$ 1.519 (-US$ 6)
  • Maio/2019: US$ 1.538 (-US$ 6)

Nova call to action

Dólar e Ibovespa

O dólar comercial encerrou a sessão desta segunda-feira, dia 21, com leve alta. Após oscilar entre R$ 3,7580 e R$ 3,7810, a moeda norte-americana terminou em R$ 3,7610 para venda e a R$ 3,7590 para compra, elevação de 0,07% frente ao pregão anterior.

Segundo a Safras & Mercado, o dólar chegou à máxima no meio da tarde com investidores cautelosos com o cenário internacional e a política local. “A sessão é de negócios esvaziada em razão do feriado nos Estados Unidos também colabora para a alta da moeda”, explica.

O Ibovespa, o principal índice das ações mais negociadas na B3, antiga BM&F Bovespa, fechou o pregão aos 96.009 pontos, baixa de 0,09%.


Previsão do tempo para terça-feira, dia 22

Sul

Um centro de alta pressão atmosférica atua sobre o oceano Atlântico, nas proximidades do litoral gaúcho, organiza os ventos úmidos do mar e os direciona para o continente, levando muita nebulosidade para toda a região costeira. Além disso, pode formar chuva leve entre o litoral norte do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina.

Volumes entre 20 e 30 milímetros são esperados no litoral paranaense, assim como no extremo oeste do mesmo estado, com temporais que podem vir acompanhados de descargas elétricas.

Nas demais áreas do Paraná e de Santa Catarina ,a chuva chega de maneira isolada e rápida no período da tarde.

Sudeste

As áreas de chuva perdem espaço em Minas Gerais, assim o tempo firme prevalece na porção norte do estado, em todo o Espírito Santo e norte do Rio de Janeiro.

Nas demais áreas, como São Paulo, sul de Minas Gerais e sul do Rio de Janeiro, as pancadas de chuva ocorrem no período da tarde, com chuva mais volumosa no litoral paulista, com acumulados que devem alcançar os 30 milímetros em algumas cidades.

No extremo oeste paulista, há potencial para grandes temporais acompanhados de descargas elétricas.

Centro-Oeste

A terça-feira conta com instabilidades tropicais que se espalham por todos os estados do Centro-Oeste. Somente no leste de Goiás o tempo segue firme e ensolarado, incluindo a região de abrangência do Distrito Federal.

Nas demais áreas, ocorrem aquelas típicas chuvas isoladas e temporais acompanhados de descargas elétricas, mas o sol aparece entre nuvens, garantindo uma tarde quente.

Nordeste

A chuva continua a perder espaço no Nordeste brasileiro. A chuva fica mais restrita ao litoral entre Alagoas e o Rio Grande do Norte, com pancadas isoladas pela manhã.

Chove com maior intensidade entre o Piauí e o Maranhão, com volumes que devem alcançar os 30 milímetros.

Norte

Muitas instabilidades se formam por todo o Norte brasileiro, porém os volumes mais expressivos ficam centralizados entre o Acre e Rondônia.

Há também altos volumes previstos para o leste e o norte do Pará, leste do Amapá e norte do Tocantins.

Pouca mudança no tempo da região Norte. Mais um período de pancadas de chuva a qualquer hora do dia, enquanto são esperados elevados volumes de água no Acre, em Rondônia e sul do Amazonas, com acumulados de até 70 milímetros. O sol predomina no sudeste do Tocantins.

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Com feriado nos EUA, preços das commodities andam de lado no Brasil

ABERTURA DE MERCADO

Com feriado nos EUA, preços das commodities andam de lado no Brasil

Foi comemorado o Dia de Martin Luther King nesta segunda-feira, dia 21. Confira notícias sobre dólar, mercado agropecuário e previsão do tempo para começar o dia bem informado

22 de janeiro de 2019 às 06h48
Por Canal Rural, com informações da Agência Safras e Somar Meteorologia
plantinhas com dinheiro, seguro

Foto: Pixabay

O mercado brasileiro de soja teve um começo de semana de negociações arrastadas e preços pouco alterados, de acordo com a Safras & Mercado.

“Não houve pregão na Bolsa de Chicago, em função do feriado de Martin Luther King nos Estados Unidos, e o Brasil perdeu, assim, sua principal referência para a formação de preços, o que levou à morosidade na comercialização”, explica a consultoria.

O preço da saca negociada em Cascavel (PR) e no Porto de Santos (SP) se valorizou 50 centavos em relação ao fechamento da sexta-feira passada, dia 18.

SOJA NO MERCADO FÍSICO – POR SACA DE 60 KG

  • Passo Fundo (RS): R$ 76
  • Cascavel (PR): R$ 71,50
  • Rondonópolis (MT): R$ 66
  • Dourados (MS): R$ 68
  • Santos (SP): R$ 76
  • Paranaguá (PR): R$ 77
  • Rio Grande (RS): R$ 77
  • São Francisco (SC): R$ 76
  • Confira mais cotações

Trabalhos de campo

A colheita de soja atinge 5,4% da área estimada, conforme levantamento de Safras, com dados recolhidos até 18 de janeiro. “Os trabalhos estão adiantados em relação a igual período do ano passado (0,8%), e também à frente da média para o período, de 1,4%.

Segundo o analista Evandro Oliveira, em virtude do clima favorável e do plantio antecipado, os trabalhos de colheita avançam em um ritmo acima da média. “Contudo, os resultados têm confirmado produtividades abaixo do esperado nas lavouras semeadas precocemente nos estados do Paraná e do Mato Grosso do Sul”, comenta.

Exportações

Os embarques de soja em grão do Brasil renderam US$ 510,3 milhões nos 13 dias úteis de janeiro, com média diária de US$ 39,3 milhões. A quantidade total exportada foi de 1,342 milhão de toneladas, cerca de 103,2 mil toneladas por dia. O preço médio da tonelada ficou em US$ 380,20.


Milho

A dinâmica do mercado brasileiro de milho pouco mudou no início da semana, com registro de negócios esporádicos no disponível. Para a segunda safra não houve movimentação relevante em virtude da ausência de pregão na Bolsa de Chicago.

“A intensificação da colheita de soja tende a produzir maior dificuldade na aquisição de lotes mais expressivos de outras regiões produtoras, acentuando a dificuldade de abastecimento”, comenta o analista de Safras & Mercado Fernando Henrique Iglesias, diante da prioridade nos fretes para o escoamento da oleaginosa.

MILHO NO MERCADO FÍSICO – POR SACA DE 60 KG

  • Rio Grande do Sul: R$ 37,50
  • Paraná: R$ 36,50
  • Campinas (SP): R$ 40,50
  • Mato Grosso: R$ 27
  • Porto de Santos (SP): R$ 37
  • Porto de Paranaguá (PR): R$ 36
  • Porto de São Francisco (SC): R$ 36
  • Veja o preço do milho em outras regiões

Boi gordo

A quarta semana do ano começa com os compradores e vendedores analisando o mercado, segundo a Scot Consultoria. “Isso fez com que houvesse mais especulação do que negócios sendo efetivados”, diz. O lento escoamento da carne bovina faz com que as indústrias tenham cautela na aquisição de boiadas.

Por outro lado, as pastagens em boas condições permitem aos pecuaristas manter os animais no pasto, à espera de preços maiores.

“Essa queda de braço entre compradores contra vendedores deixou o mercado, na maioria das regiões, morno nessa segunda-feira”, explica a Scot.

Já no Acre o cenário é diferente, as escalas de abate giram em torno de três dias e as indústrias encontram dificuldade em adquirir boiadas. No estado, houve alta de 1,6% em relação ao último levantamento e o boi gordo está cotado em R$ 130 por arroba, a prazo, livre de Funrural.

A margem de comercialização das indústrias que fazem a operação de desossa está em 19,6%, 2,8 pontos percentuais menor que no início do ano. A queda da margem deve manter o “apetite” das empresas moderado.

BOI GORDO NO MERCADO FÍSICO – ARROBA À VISTA

  • Araçatuba (SP): R$ 150,50
  • Triângulo Mineiro (MG): R$ 145
  • Goiânia (GO): R$ 137
  • Dourados (MS): R$ 140
  • Mato Grosso: R$ 132 a R$ 136
  • Marabá (PA): R$ 131
  • Rio Grande do Sul (oeste): R$ 5,20 (kg)
  • Paraná (noroeste): R$ 149,50
  • Paragominas (PA): R$ 135
  • Tocantins (sul): R$ 134
  • Veja a cotação na sua região

Café

O mercado brasileiro de café teve uma segunda-feira de lentidão nos negócios e de estabilidade nas cotações. Sem a referência de Nova York, com o mercado futuro do arábica não funcionando devido ao feriado, o dia foi de morosidade no Brasil. Houve poucos negócios de pequenos volumes realizados.

CAFÉ NO MERCADO FÍSICO – POR SACA DE 60 KG

  • Arábica/bebida boa – Sul de MG: R$ 410 a R$ 415
  • Arábica/bebida boa – Cerrado de MG: R$ 415 a R$ 420
  • Arábica/rio tipo 7 – Zona da Mata de MG: R$ 345 a R$ 350
  • Conilon/tipo 7 – Vitória (ES): R$ 303 a R$ 308
  • Confira mais cotações

Bolsa de Londres

O robusta fechou com preços mais baixos. O mercado corrigiu parte dos ganhos da sexta, em dia de poucos negócios. O feriado nos Estados Unidos tira do mercado um dos seus principais referenciais, o comportamento dos contratos futuros do arábica em Nova York.

CAFÉ ROBUSTA NA BOLSA DE LONDRES (LIFFE) – POR TONELADA

  • Março/2019: US$ 1.519 (-US$ 6)
  • Maio/2019: US$ 1.538 (-US$ 6)

Nova call to action

Dólar e Ibovespa

O dólar comercial encerrou a sessão desta segunda-feira, dia 21, com leve alta. Após oscilar entre R$ 3,7580 e R$ 3,7810, a moeda norte-americana terminou em R$ 3,7610 para venda e a R$ 3,7590 para compra, elevação de 0,07% frente ao pregão anterior.

Segundo a Safras & Mercado, o dólar chegou à máxima no meio da tarde com investidores cautelosos com o cenário internacional e a política local. “A sessão é de negócios esvaziada em razão do feriado nos Estados Unidos também colabora para a alta da moeda”, explica.

O Ibovespa, o principal índice das ações mais negociadas na B3, antiga BM&F Bovespa, fechou o pregão aos 96.009 pontos, baixa de 0,09%.


Previsão do tempo para terça-feira, dia 22

Sul

Um centro de alta pressão atmosférica atua sobre o oceano Atlântico, nas proximidades do litoral gaúcho, organiza os ventos úmidos do mar e os direciona para o continente, levando muita nebulosidade para toda a região costeira. Além disso, pode formar chuva leve entre o litoral norte do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina.

Volumes entre 20 e 30 milímetros são esperados no litoral paranaense, assim como no extremo oeste do mesmo estado, com temporais que podem vir acompanhados de descargas elétricas.

Nas demais áreas do Paraná e de Santa Catarina ,a chuva chega de maneira isolada e rápida no período da tarde.

Sudeste

As áreas de chuva perdem espaço em Minas Gerais, assim o tempo firme prevalece na porção norte do estado, em todo o Espírito Santo e norte do Rio de Janeiro.

Nas demais áreas, como São Paulo, sul de Minas Gerais e sul do Rio de Janeiro, as pancadas de chuva ocorrem no período da tarde, com chuva mais volumosa no litoral paulista, com acumulados que devem alcançar os 30 milímetros em algumas cidades.

No extremo oeste paulista, há potencial para grandes temporais acompanhados de descargas elétricas.

Centro-Oeste

A terça-feira conta com instabilidades tropicais que se espalham por todos os estados do Centro-Oeste. Somente no leste de Goiás o tempo segue firme e ensolarado, incluindo a região de abrangência do Distrito Federal.

Nas demais áreas, ocorrem aquelas típicas chuvas isoladas e temporais acompanhados de descargas elétricas, mas o sol aparece entre nuvens, garantindo uma tarde quente.

Nordeste

A chuva continua a perder espaço no Nordeste brasileiro. A chuva fica mais restrita ao litoral entre Alagoas e o Rio Grande do Norte, com pancadas isoladas pela manhã.

Chove com maior intensidade entre o Piauí e o Maranhão, com volumes que devem alcançar os 30 milímetros.

Norte

Muitas instabilidades se formam por todo o Norte brasileiro, porém os volumes mais expressivos ficam centralizados entre o Acre e Rondônia.

Há também altos volumes previstos para o leste e o norte do Pará, leste do Amapá e norte do Tocantins.

Pouca mudança no tempo da região Norte. Mais um período de pancadas de chuva a qualquer hora do dia, enquanto são esperados elevados volumes de água no Acre, em Rondônia e sul do Amazonas, com acumulados de até 70 milímetros. O sol predomina no sudeste do Tocantins.

Deixe um Comentário





Mais Notícias