Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Entidades do agro indicam Nabhan Garcia para Ministério da Agricultura

escolha

Entidades do agro indicam Nabhan Garcia para Ministério da Agricultura

Grupo formaliza documento com assinaturas dos representantes das entidades para entregar a Bolsonaro nesta quarta-feira, dia 7

07 de novembro de 2018 às 09h54
Por Rafael Walendorff, de Brasília

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Em reunião nesta terça-feira, dia 6, em Brasília, entidades do setor agropecuário decidiram indicar Luiz Antônio Nabhan Garcia para o Ministério da Agricultura do governo de Jair Bolsonaro. Assessor muito próximo do presidente eleito para a área de agronegócio, o líder da União Democrática Ruralista (UDR) evitava colocar o próprio nome à disposição do cargo até então, mas aceitou a indicação de 273 associações do campo que compõe o Movimento Abril Verde e Amarelo. O grupo vai formalizar um documento com assinaturas dos representantes dessas entidades para entregar a Bolsonaro nesta quarta-feira, 7.

A escolha, no entanto, caberá ao presidente eleito Jair Bolsonaro, ressaltou o diretor jurídico da Associação Nacional de Defesa dos Agricultores, Pecuaristas e Produtores da Terra (Andaterra), Jeferson Rocha. “É um nome que atende aos anseios do produtor rural. Nome que o setor primário e os produtores querem ver como ministro. Mas a escolha é do presidente. A base que o elegeu e o trouxe até aqui externou o nome de Nabhan Garcia”, destacou.

Rocha afirmou que o encontro serviu para convencer Nabhan de pleitear o cargo, já que ele não queria colocar o próprio nome à disposição para o ministério. O fato de Jair Bolsonaro querer um perfil técnico para comandar a pasta também pesou na decisão das entidades. “Havia indicado o nome do deputado Jerônimo Goergen, que tem a mesma credibilidade, mas por entender que o presidente tem dito que não será um nome político, indicamos o Nabhan e ele aceitou. Pedimos que ele oferecesse seu nome e ele aceitou. Hoje oficialmente ele é o candidato do movimento que colocou 12 mil produtores em Brasília contra o Funrural (Fundo de Assistência ao Tralhador Rural) no ano passado”, disse o diretor da Andaterra.

Quanto à indicação de Goergen, as entidades dariam apoio a seu nome, mas prefeririam contar com o trabalho do deputado no Congresso. “Tem a mesma credibilidade, mas a classe quer um produtor e não político, e o político Jerônimo (Goergen) tem que manter a função de eleito e é essencial que tenhamos um parlamento com deputados da envergadura dele, talvez o próximo presidente dessa frente nova do agro que está se formando”.

O encontro foi convocado pela Andaterra, e a indicação do nome de Nabhan Garcia teve o apoio de todas as associações presentes, como Aprosoja-BA, Federação dos Plantadores de Cana do Nordeste (Feplana), sindicatos rurais do Triângulo Mineiro, movimento ‘Te mexe, Arrozeiro’, Associação Brasileira dos Exportadores de Gado, entre outras.

Até esta quarta-feira vão ser buscadas assinaturas de demais entidades do movimento para demonstração de apoio.

Aprosoja Brasil

A Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil) divulgou nota nesta quarta, dia 7, informando que os nomes escolhidos para o Ministério da Agricultura por maioria de votos pelos diretores da entidade, quando definidos, serão discutidos no Instituto Pensar Agro e levados à presidência da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), que teria sido designada para apresentá-los a Jair Bolsonaro.

O texto da nota também diz que “as escolhas feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro para ocupar cargos no futuro Ministério da Agricultura terão total apoio e respaldo dos sojicultores ligados à Aprosoja Brasil e às associadas estaduais”.

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Entidades do agro indicam Nabhan Garcia para Ministério da Agricultura

escolha

Entidades do agro indicam Nabhan Garcia para Ministério da Agricultura

Grupo formaliza documento com assinaturas dos representantes das entidades para entregar a Bolsonaro nesta quarta-feira, dia 7

07 de novembro de 2018 às 09h54
Por Rafael Walendorff, de Brasília

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Em reunião nesta terça-feira, dia 6, em Brasília, entidades do setor agropecuário decidiram indicar Luiz Antônio Nabhan Garcia para o Ministério da Agricultura do governo de Jair Bolsonaro. Assessor muito próximo do presidente eleito para a área de agronegócio, o líder da União Democrática Ruralista (UDR) evitava colocar o próprio nome à disposição do cargo até então, mas aceitou a indicação de 273 associações do campo que compõe o Movimento Abril Verde e Amarelo. O grupo vai formalizar um documento com assinaturas dos representantes dessas entidades para entregar a Bolsonaro nesta quarta-feira, 7.

A escolha, no entanto, caberá ao presidente eleito Jair Bolsonaro, ressaltou o diretor jurídico da Associação Nacional de Defesa dos Agricultores, Pecuaristas e Produtores da Terra (Andaterra), Jeferson Rocha. “É um nome que atende aos anseios do produtor rural. Nome que o setor primário e os produtores querem ver como ministro. Mas a escolha é do presidente. A base que o elegeu e o trouxe até aqui externou o nome de Nabhan Garcia”, destacou.

Rocha afirmou que o encontro serviu para convencer Nabhan de pleitear o cargo, já que ele não queria colocar o próprio nome à disposição para o ministério. O fato de Jair Bolsonaro querer um perfil técnico para comandar a pasta também pesou na decisão das entidades. “Havia indicado o nome do deputado Jerônimo Goergen, que tem a mesma credibilidade, mas por entender que o presidente tem dito que não será um nome político, indicamos o Nabhan e ele aceitou. Pedimos que ele oferecesse seu nome e ele aceitou. Hoje oficialmente ele é o candidato do movimento que colocou 12 mil produtores em Brasília contra o Funrural (Fundo de Assistência ao Tralhador Rural) no ano passado”, disse o diretor da Andaterra.

Quanto à indicação de Goergen, as entidades dariam apoio a seu nome, mas prefeririam contar com o trabalho do deputado no Congresso. “Tem a mesma credibilidade, mas a classe quer um produtor e não político, e o político Jerônimo (Goergen) tem que manter a função de eleito e é essencial que tenhamos um parlamento com deputados da envergadura dele, talvez o próximo presidente dessa frente nova do agro que está se formando”.

O encontro foi convocado pela Andaterra, e a indicação do nome de Nabhan Garcia teve o apoio de todas as associações presentes, como Aprosoja-BA, Federação dos Plantadores de Cana do Nordeste (Feplana), sindicatos rurais do Triângulo Mineiro, movimento ‘Te mexe, Arrozeiro’, Associação Brasileira dos Exportadores de Gado, entre outras.

Até esta quarta-feira vão ser buscadas assinaturas de demais entidades do movimento para demonstração de apoio.

Aprosoja Brasil

A Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil) divulgou nota nesta quarta, dia 7, informando que os nomes escolhidos para o Ministério da Agricultura por maioria de votos pelos diretores da entidade, quando definidos, serão discutidos no Instituto Pensar Agro e levados à presidência da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), que teria sido designada para apresentá-los a Jair Bolsonaro.

O texto da nota também diz que “as escolhas feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro para ocupar cargos no futuro Ministério da Agricultura terão total apoio e respaldo dos sojicultores ligados à Aprosoja Brasil e às associadas estaduais”.

Deixe um Comentário





Mais Notícias