Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Entidade aposta em campanha para evitar deriva na aplicação de agroquímicos

RIO GRANDE DO SUL

Entidade aposta em campanha para evitar deriva na aplicação de agroquímicos

Vídeo educativo mostra a correta aplicação de herbicidas hormonais, como por exemplo, o 2,4-D, que se tornou alvo de polêmica entre produtores rurais

05 de outubro de 2019 às 19h04
Por Canal Rural
aviação agrícola pulverização agrotóxico

Foto: Pixabay

Os prejuízos financeiros causados pela deriva do herbicida 2,4-D, encontrada em culturas sensíveis como, por exemplo, a uva, a oliveira e a maçã no Rio Grande do Sul, gerou mobilização por parte dos produtores atingidos e levou o estado a pensar em uma legislação específica para o assunto. Foi então que no início de julho o governo gaúcho publicou duas instruções normativas para conter a deriva; elas foram elaboradas pela equipe técnica da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, em conjunto com entidades participantes do grupo de trabalho criado para discutir o tema.

Nesse contexto, a Associação Brasileira dos Defensivos Genéricos (Aenda), coordenou a produção de um vídeo educativo que explica de forma simples e didática a correta aplicação de herbicidas para evitar a deriva e a perda de produtividade em culturas sensíveis. O trabalho reúne cerca de 20 empresas e está disponível no site Aplicação Segura. A ideia é fazer esse material chegar ao produtor rural de outras formas também.

“Na hora da compra dos produtos, em revendas e cooperativas, o produtor recebe um folder e ali está o link para acessar o vídeo. Ele também pode ser usado em treinamentos feitos pelas empresas e pela Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul”, explica Luis Carlos Ribeiro, gerente de regulamentação estadual da Aenda.

A associação integra a força tarefa instituída para atendimento da Instrução Normativa 05/2019 publicada pela Secretaria da Agricultura. A IN 05/2019 estabelece o Termo de Conhecimento de Risco e de Responsabilidade, pelo qual o produtor rural ou representante legalmente habilitado deverá assinar a receita agronômica, ficando ciente de que os agroquímicos, inclusive os produtos com ingrediente ativo à base de 2,4-D, em caso de deriva, causam grandes prejuízos para as culturas sensíveis.

Além do 2,4-D, o vídeo traz informações sobre o uso correto e seguro de outros herbicidas, tais como o fluroxipir, triclopir, dicamba, MCPA e picloram. É possível ter ainda informações sobre boas práticas agrícolas e cuidados com o meio ambiente.

A Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul lembra que o vídeo não substitui o curso de boas práticas agrícolas na aplicação de agrotóxicos e demais exigências previstas na Instrução Normativa 06/2019, que institui o Cadastro Estadual de Aplicadores de Agrotóxicos Hormonais.

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Entidade aposta em campanha para evitar deriva na aplicação de agroquímicos

RIO GRANDE DO SUL

Entidade aposta em campanha para evitar deriva na aplicação de agroquímicos

Vídeo educativo mostra a correta aplicação de herbicidas hormonais, como por exemplo, o 2,4-D, que se tornou alvo de polêmica entre produtores rurais

05 de outubro de 2019 às 19h04
Por Canal Rural
aviação agrícola pulverização agrotóxico

Foto: Pixabay

Os prejuízos financeiros causados pela deriva do herbicida 2,4-D, encontrada em culturas sensíveis como, por exemplo, a uva, a oliveira e a maçã no Rio Grande do Sul, gerou mobilização por parte dos produtores atingidos e levou o estado a pensar em uma legislação específica para o assunto. Foi então que no início de julho o governo gaúcho publicou duas instruções normativas para conter a deriva; elas foram elaboradas pela equipe técnica da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, em conjunto com entidades participantes do grupo de trabalho criado para discutir o tema.

Nesse contexto, a Associação Brasileira dos Defensivos Genéricos (Aenda), coordenou a produção de um vídeo educativo que explica de forma simples e didática a correta aplicação de herbicidas para evitar a deriva e a perda de produtividade em culturas sensíveis. O trabalho reúne cerca de 20 empresas e está disponível no site Aplicação Segura. A ideia é fazer esse material chegar ao produtor rural de outras formas também.

“Na hora da compra dos produtos, em revendas e cooperativas, o produtor recebe um folder e ali está o link para acessar o vídeo. Ele também pode ser usado em treinamentos feitos pelas empresas e pela Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul”, explica Luis Carlos Ribeiro, gerente de regulamentação estadual da Aenda.

A associação integra a força tarefa instituída para atendimento da Instrução Normativa 05/2019 publicada pela Secretaria da Agricultura. A IN 05/2019 estabelece o Termo de Conhecimento de Risco e de Responsabilidade, pelo qual o produtor rural ou representante legalmente habilitado deverá assinar a receita agronômica, ficando ciente de que os agroquímicos, inclusive os produtos com ingrediente ativo à base de 2,4-D, em caso de deriva, causam grandes prejuízos para as culturas sensíveis.

Além do 2,4-D, o vídeo traz informações sobre o uso correto e seguro de outros herbicidas, tais como o fluroxipir, triclopir, dicamba, MCPA e picloram. É possível ter ainda informações sobre boas práticas agrícolas e cuidados com o meio ambiente.

A Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul lembra que o vídeo não substitui o curso de boas práticas agrícolas na aplicação de agrotóxicos e demais exigências previstas na Instrução Normativa 06/2019, que institui o Cadastro Estadual de Aplicadores de Agrotóxicos Hormonais.

Deixe um Comentário





Mais Notícias