SÉRIE ESPECIAL

Conhecido como Capital Nacional do Chimarrão, Venâncio Aires (RS) é o maior produtor de tabaco do país

Na safra 2010/2011, foram colhidas 31,5 mil toneladas de fumo nas lavouras do município do Rio Grande do SulO município de Venâncio Aires, localizado entre os vales do Rio Pardo e do Taquari, no Rio Grande do Sul, é reconhecido nacionalmente como Capital Nacional do Chimarrão, em função da qualidade de sua erva-mate. O destaque relacionado à tradição da bebida tipicamente gaúcha, no entanto, poderia ser facilmente substituído. Isso porque se trata do maior produtor de tabaco do país. De acordo com dados da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), na safra 2010/2011, foram colhidas 31,5 mil tone

— Quase 70% da renda do município gira em torno da produção do tabaco agrícola e industrial. Por ano, são cerca de 30 mil toneladas produzidas no campo e 250 mil toneladas beneficiadas na indústria. Além disso, o faturamento anual com exportações é de R$ 800 milhões a R$ 900 milhões — aponta.

>>> Confira o Glossário da Produção Integrada de Tabaco

Os números são citados por Artus, que está no comando do governo municipal desde 2009, com a facilidade de quem conta uma história que conhece a fundo. Ele atribui os resultados positivos ao trabalho das cerca de cinco mil famílias de pequenos agricultores que vivem da fumicultura em Venâncio Aires.

— Temos muita qualificação no campo. Há famílias em que os filhos saem do meio rural para estudar e voltam com boa formação. Fazem a diferença. A prefeitura oferece apoio aos produtores, com programas voltados a pequenas propriedades, com melhorias nas estradas, nas áreas de entrada das terras. Além disso, tem a questão da diversificação das lavouras, que é uma necessidade. E a indústria também auxilia na produção, por meio da integração, com agentes de campo, que colaboram na orientação sobre o combate ao trabalho infantil e segurança do trabalhador, por exemplo — diz.

Também são provenientes do setor do tabaco aproximadamente 6,8 mil empregos no município, conforme Artus. Dados da Afubra e Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) revelam ainda que na safra 2010/2011 a arrecadação de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) gerado pelo segmento chegou a R$ 3,73 milhões. Foram 11,978 mil hectares plantados.

História

A tradição da fumicultura garantiu posição de destaque para o município pela primeira vez em 1968. Conforme informações do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), foi neste ano que Venâncio Aires conquistou pela primeira vez a liderança na produção no Brasil, com 7,4 mil toneladas.

>>> Esta é a quarta matéria da série Tradição e renda: a produção de tabaco no Sul do Brasil. As reportagens serão publicadas no RuralBR até esta sexta, dia 13, e apresentam as peculiaridades da cadeia produtiva do tabaco no Sul do Brasil. São histórias que mostram a realidade da cultura que move a economia de uma região, desenvolvida principalmente por agricultores familiares.

Leia também:

>>> Responsabilidade ambiental, produção de alimentos e geração de renda permeiam universo da fumicultura no Sul do país

>>> Fumo na lavoura e qualidade de vida em casa: produtores atribuem prosperidade ao cultivo de tabaco no Rio Grande do Sul >>> Tecnologia, diversão e conhecimento mantêm adolescentes longe das lavouras de tabaco no Rio Grande do Sul * A jornalista Mary Silva viajou ao Vale do Rio Pardo a convite do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco).

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Assine grátis a melhor newsletter sobre agronegócios do Brasil