Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Cana » Usina Vale do Paraná é a primeira em consulta para certificação do RenovaBio

CRÉDITO POR SEQUESTRO DE CARBONO

Usina Vale do Paraná é a primeira em consulta para certificação do RenovaBio

A unidade atendeu aos critérios de elegibilidade em todas as propriedades produtoras de biomassa, segundo a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica)

10 de junho de 2019 às 16h58
Por Estadão Conteúdo
cana etanol

Foto: Canal Rural

A usina Vale do Paraná, em Suzanápolis (SP), é a primeira unidade do setor sucroenergético a colocar em consulta pública seus dados para certificação do RenovaBio, a nova política nacional de biocombustíveis. O processo tem duração de 30 dias e detalha informações auditadas pela certificadora SGS. Após o processo, a unidade poderá obter sua nota de eficiência energética e ambiental junto à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e estará autorizada a emitir os créditos de descarbonização (CBios).

Segundo a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), a empresa apresentou informações primárias para 100% da produção e atendeu aos critérios de elegibilidade em todas as propriedades produtoras de biomassa.

Se autorizados, os CBios serão comercializados com distribuidoras após a regulamentação dos CBios e a entrada em vigor do RenovaBio, prevista para 2020. Os títulos serão utilizados pelas empresas de distribuição para compensar a venda de combustíveis fósseis e poluentes.

“Essa iniciativa retrata o esforço que tem sido realizado pelo setor produtivo para atender aos critérios de certificação e garantir a participação dos produtores no RenovaBio. Esse é apenas o início de um processo que deve se intensificar nos próximos meses”, informou o gerente de economia e análise setorial da Unica, Luciano Rodrigues.

2 comentários

  1. […] 10 de junho de 201910 de junho de 2019 às 16:58 […]

  2. Mariano papagaio@gmail.com em 10 de junho de 2019 às 17:14

    Não é hora de fracassar a produção, mas dependemos do clima também e das chuvas. Colheita de soja cai 13%.

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Cana » Usina Vale do Paraná é a primeira em consulta para certificação do RenovaBio

CRÉDITO POR SEQUESTRO DE CARBONO

Usina Vale do Paraná é a primeira em consulta para certificação do RenovaBio

A unidade atendeu aos critérios de elegibilidade em todas as propriedades produtoras de biomassa, segundo a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica)

10 de junho de 2019 às 16h58
Por Estadão Conteúdo
cana etanol

Foto: Canal Rural

A usina Vale do Paraná, em Suzanápolis (SP), é a primeira unidade do setor sucroenergético a colocar em consulta pública seus dados para certificação do RenovaBio, a nova política nacional de biocombustíveis. O processo tem duração de 30 dias e detalha informações auditadas pela certificadora SGS. Após o processo, a unidade poderá obter sua nota de eficiência energética e ambiental junto à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e estará autorizada a emitir os créditos de descarbonização (CBios).

Segundo a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), a empresa apresentou informações primárias para 100% da produção e atendeu aos critérios de elegibilidade em todas as propriedades produtoras de biomassa.

Se autorizados, os CBios serão comercializados com distribuidoras após a regulamentação dos CBios e a entrada em vigor do RenovaBio, prevista para 2020. Os títulos serão utilizados pelas empresas de distribuição para compensar a venda de combustíveis fósseis e poluentes.

“Essa iniciativa retrata o esforço que tem sido realizado pelo setor produtivo para atender aos critérios de certificação e garantir a participação dos produtores no RenovaBio. Esse é apenas o início de um processo que deve se intensificar nos próximos meses”, informou o gerente de economia e análise setorial da Unica, Luciano Rodrigues.

2 comentários

  1. […] 10 de junho de 201910 de junho de 2019 às 16:58 […]

  2. Mariano papagaio@gmail.com em 10 de junho de 2019 às 17:14

    Não é hora de fracassar a produção, mas dependemos do clima também e das chuvas. Colheita de soja cai 13%.

Deixe um Comentário





Mais Notícias