Home » Notícias » Agricultura » Cana » Açúcar: painel na OMC contra Índia é importante para reequilibrar mercado, diz Unica

SUBSÍDIOS AGRÍCOLAS

Açúcar: painel na OMC contra Índia é importante para reequilibrar mercado, diz Unica

Segundo o Brasil, o governo indiano tem estabelecido uma política de preços mínimos acima dos volumes máximos permitidos para países em desenvolvimento

12 de julho de 2019 às 11h13
Por Estadão Conteúdo
Açúcar

Foto: Governo Federal

A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) afirmou que o pedido do Brasil para estabelecimento de painel na Organização Mundial do Comércio (OMC) iniciado em fevereiro deste ano a respeito do regime de apoio ao setor açucareiro da Índia é um passo importante para o reequilíbrio do mercado.

“Com essa ação, o Brasil se posiciona de forma assertiva internacionalmente, solicitando respeito às regras estabelecidas pela OMC, e toma uma ação efetiva para eliminar distorções no mercado internacional de açúcar”, informou a Unica em nota divulgada após o anúncio do Ministério das Relações Exteriores (MRE) sobre a medida.

Segundo a entidade, o governo indiano tem estabelecido uma política de preços mínimos de cana-de-açúcar aos produtores locais acima dos volumes máximos permitidos para países em desenvolvimento, além de oferecer subsídios diretos às usinas para exportação e incentivar com cobertura de custos de logística as vendas externas. 

“As políticas de subsídios promovidas pelo país violam as regras internacionais e geram um desequilíbrio na oferta de açúcar global, com consequências negativas nos preços internacionais”, observa. “A cotação média da commodity caiu mais de 22% em 2018 em relação ao ano anterior e causou um prejuízo estimado em US$ 3 bilhões a todos os produtores de açúcar do mundo na safra 2018/2019”, argumentou a Unica.

A associação afirmou, ainda, que espera que a abertura de painel do contencioso possa induzir o governo indiano a rever suas políticas. “Paralelamente, a Unica tem trabalhado para fortalecer as relações com o setor produtivo indiano, com o objetivo de fazer um intercâmbio de experiências e tecnologias a fim de fortalecer a produção de etanol local”, acrescentou a entidade. 

De acordo com a Unica, o incentivo à produção de etanol seria uma alternativa de maior rentabilidade para proteger a cadeia indiana de cana e para ampliar a segurança energética e a sustentabilidade do país.

Na quinta-feira, dia 11, o Ministério das Relações Exteriores informou que apresentou ao Órgão de Solução de Controvérsias da Organização Mundial do Comércio (OMC) pedido de estabelecimento de painel. Segundo a pasta, o pedido ocorreu após várias consultas ao governo da Índia, sem resultados. A solicitação do Brasil será apreciada na próxima reunião do Órgão de Solução de Controvérsias, prevista para o próximo dia 22 de julho. 
Nova call to action

Deixe um Comentário





Home » Notícias » Agricultura » Cana » Açúcar: painel na OMC contra Índia é importante para reequilibrar mercado, diz Unica

SUBSÍDIOS AGRÍCOLAS

Açúcar: painel na OMC contra Índia é importante para reequilibrar mercado, diz Unica

Segundo o Brasil, o governo indiano tem estabelecido uma política de preços mínimos acima dos volumes máximos permitidos para países em desenvolvimento

12 de julho de 2019 às 11h13
Por Estadão Conteúdo
Açúcar

Foto: Governo Federal

A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) afirmou que o pedido do Brasil para estabelecimento de painel na Organização Mundial do Comércio (OMC) iniciado em fevereiro deste ano a respeito do regime de apoio ao setor açucareiro da Índia é um passo importante para o reequilíbrio do mercado.

“Com essa ação, o Brasil se posiciona de forma assertiva internacionalmente, solicitando respeito às regras estabelecidas pela OMC, e toma uma ação efetiva para eliminar distorções no mercado internacional de açúcar”, informou a Unica em nota divulgada após o anúncio do Ministério das Relações Exteriores (MRE) sobre a medida.

Segundo a entidade, o governo indiano tem estabelecido uma política de preços mínimos de cana-de-açúcar aos produtores locais acima dos volumes máximos permitidos para países em desenvolvimento, além de oferecer subsídios diretos às usinas para exportação e incentivar com cobertura de custos de logística as vendas externas. 

“As políticas de subsídios promovidas pelo país violam as regras internacionais e geram um desequilíbrio na oferta de açúcar global, com consequências negativas nos preços internacionais”, observa. “A cotação média da commodity caiu mais de 22% em 2018 em relação ao ano anterior e causou um prejuízo estimado em US$ 3 bilhões a todos os produtores de açúcar do mundo na safra 2018/2019”, argumentou a Unica.

A associação afirmou, ainda, que espera que a abertura de painel do contencioso possa induzir o governo indiano a rever suas políticas. “Paralelamente, a Unica tem trabalhado para fortalecer as relações com o setor produtivo indiano, com o objetivo de fazer um intercâmbio de experiências e tecnologias a fim de fortalecer a produção de etanol local”, acrescentou a entidade. 

De acordo com a Unica, o incentivo à produção de etanol seria uma alternativa de maior rentabilidade para proteger a cadeia indiana de cana e para ampliar a segurança energética e a sustentabilidade do país.

Na quinta-feira, dia 11, o Ministério das Relações Exteriores informou que apresentou ao Órgão de Solução de Controvérsias da Organização Mundial do Comércio (OMC) pedido de estabelecimento de painel. Segundo a pasta, o pedido ocorreu após várias consultas ao governo da Índia, sem resultados. A solicitação do Brasil será apreciada na próxima reunião do Órgão de Solução de Controvérsias, prevista para o próximo dia 22 de julho. 
Nova call to action

Deixe um Comentário





Mais Notícias