Home » Notícias » Agricultura » Café » Café tem dia de alta no Brasil; veja cotações

COTAÇÃO

Café tem dia de alta no Brasil; veja cotações

As cotações foram sustentadas pela alta do café arábica na bolsa de Nova York

17 de julho de 2019 às 18h14
Por Agência Safras

O mercado físico brasileiro de café teve uma quarta-feira de preços mais altos. As cotações foram sustentadas pela boa alta do arábica na Bolsa de Nova York. Mas, o dia foi de negócios regionalizados e em volumes “picados”.  

Os vendedores dosam a oferta à espera de continuidade nas altas em NY. No lado da compra, apenas as empresas mais necessitadas de oferta entram nesses momentos de altas em NY e acabam pagando mais para garantir seu abastecimento. Enquanto isso, grande parte dos compradores se afastam das negociações. 

No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa ficou em R$ 420,00/425,00 a saca, contra R$ 410,00/415,00 do dia anterior. No cerrado mineiro, o preço ficou entre R$ 425,00/430,00 a saca, contra R$ 415,00/420,00 do dia anterior. 

Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 330,00/335,00 a saca, contra R$ 325,00/330,00 anteriormente. O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, teve preço de R$ 275,00/280,00 a saca, estável.

Nova York 

A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica encerrou as operações da quarta-feira com preços acentuadamente mais baixos. 

Após o forte tombo da sessão da terça-feira, as cotações apresentaram um movimento de correção técnica, com cobertura de posições vendidas. A queda do dólar contra o real e outras moedas garantiu sustentação ao mercado.

Tecnicamente, o mercado tanto na terça-feira quanto nesta quarta-feira teve mínima de 105,45 centavos de dólar por libra-peso, encontrando suporte para a recuperação técnica. NY busca um equilíbrio aparentemente entre 105,00 e 110,00 cents por libra-peso. 

Entretanto, os ganhos foram limitados pelos fundamentos baixistas de ampla oferta. O mercado vai buscando uma consolidação depois dos altos e baixos causados pelo risco de geada e pela geada efetiva do final de semana retrasado, de intensidade fraca e de prejuízos limitados. 

Os contratos com entrega em setembro/2019 fecharam o dia a 107,40 centavos de dólar por libra-peso, com valorização de 1,85 centavo, ou de 1,7%. Dezembro fechou a 111,20 cents, com elevação de 1,85 centavo, ou de 1,7%.

Deixe um Comentário





Home » Notícias » Agricultura » Café » Café tem dia de alta no Brasil; veja cotações

COTAÇÃO

Café tem dia de alta no Brasil; veja cotações

As cotações foram sustentadas pela alta do café arábica na bolsa de Nova York

17 de julho de 2019 às 18h14
Por Agência Safras

O mercado físico brasileiro de café teve uma quarta-feira de preços mais altos. As cotações foram sustentadas pela boa alta do arábica na Bolsa de Nova York. Mas, o dia foi de negócios regionalizados e em volumes “picados”.  

Os vendedores dosam a oferta à espera de continuidade nas altas em NY. No lado da compra, apenas as empresas mais necessitadas de oferta entram nesses momentos de altas em NY e acabam pagando mais para garantir seu abastecimento. Enquanto isso, grande parte dos compradores se afastam das negociações. 

No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa ficou em R$ 420,00/425,00 a saca, contra R$ 410,00/415,00 do dia anterior. No cerrado mineiro, o preço ficou entre R$ 425,00/430,00 a saca, contra R$ 415,00/420,00 do dia anterior. 

Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 330,00/335,00 a saca, contra R$ 325,00/330,00 anteriormente. O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, teve preço de R$ 275,00/280,00 a saca, estável.

Nova York 

A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica encerrou as operações da quarta-feira com preços acentuadamente mais baixos. 

Após o forte tombo da sessão da terça-feira, as cotações apresentaram um movimento de correção técnica, com cobertura de posições vendidas. A queda do dólar contra o real e outras moedas garantiu sustentação ao mercado.

Tecnicamente, o mercado tanto na terça-feira quanto nesta quarta-feira teve mínima de 105,45 centavos de dólar por libra-peso, encontrando suporte para a recuperação técnica. NY busca um equilíbrio aparentemente entre 105,00 e 110,00 cents por libra-peso. 

Entretanto, os ganhos foram limitados pelos fundamentos baixistas de ampla oferta. O mercado vai buscando uma consolidação depois dos altos e baixos causados pelo risco de geada e pela geada efetiva do final de semana retrasado, de intensidade fraca e de prejuízos limitados. 

Os contratos com entrega em setembro/2019 fecharam o dia a 107,40 centavos de dólar por libra-peso, com valorização de 1,85 centavo, ou de 1,7%. Dezembro fechou a 111,20 cents, com elevação de 1,85 centavo, ou de 1,7%.

Deixe um Comentário





Mais Notícias