Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Café » Brasil exporta 10% mais café em março, mas receita cai 11%, diz Cecafé

DESEMPENHO NO MERCADO EXTERNO

Brasil exporta 10% mais café em março, mas receita cai 11%, diz Cecafé

Apesar do aumento de volume, o país lucrou menos devido ao preço da saca no mês passado, que estava quase 20% menor do que há um ano

10 de abril de 2019 às 15h20
Por Estadão Conteúdo
sacas de café próximas à lavoura

Foto: Maria Anffe/GcomMT

O Brasil exportou 2,9 milhões de sacas de café em março, alta de 10% ante igual período de 2018, informou nesta quarta-feira, 10, o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). O total leva em consideração produtos verdes, solúveis e torrados e moídos.

Apesar do crescimento nos embarques, a receita teve um recuo de 11%, para US$ 379,1 milhões. No terceiro mês de 2019, o preço médio da saca foi de US$ 127,79, queda de 19% ante março de 2018, quando a média foi de US$ 157,96 por saca.

Em relação a fevereiro deste ano, quando o país enviou 3,542 milhões de sacas ao exterior, o volume registrou queda de 16%. Ainda na variação mensal, o faturamento recuou 18% e o preço mensal ficou 2,69% menor que o patamar visto em fevereiro.

De acordo com o conselho, o arábica representou 83,3% do volume total exportado em março, com 2,4 milhões de sacas embarcadas. O café solúvel contribuiu com 10,9% do volume exportado, 323 mil sacas. O conilon (robusta), por sua vez, representou 5,8% das exportações de café brasileiro em fevereiro, com 173 mil sacas exportadas, expressivo aumento de 125,7% em relação ao mesmo mês do ano passado.

“Os resultados de exportação de café referentes ao mês de março foram muito positivos. O Brasil apresentou boa performance mesmo estando no período de entressafra, com início da colheita do café conilon que acontece em abril/maio no Espírito Santo, Bahia e Rondônia e a colheita do café arábica, em maio/junho nos demais estados e suas devidas regiões”, afirmou o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes.

Em nota, a entidade reafirmou a estimativa de exportação de 40 milhões de sacas até o fechamento do ano cafeeiro.

Cafeicultores buscam tecnologia para reduzir custo em ano de renda incerta

Deixe um Comentário





Início » Notícias da Agropecuária » Notícias » Agricultura » Café » Brasil exporta 10% mais café em março, mas receita cai 11%, diz Cecafé

DESEMPENHO NO MERCADO EXTERNO

Brasil exporta 10% mais café em março, mas receita cai 11%, diz Cecafé

Apesar do aumento de volume, o país lucrou menos devido ao preço da saca no mês passado, que estava quase 20% menor do que há um ano

10 de abril de 2019 às 15h20
Por Estadão Conteúdo
sacas de café próximas à lavoura

Foto: Maria Anffe/GcomMT

O Brasil exportou 2,9 milhões de sacas de café em março, alta de 10% ante igual período de 2018, informou nesta quarta-feira, 10, o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). O total leva em consideração produtos verdes, solúveis e torrados e moídos.

Apesar do crescimento nos embarques, a receita teve um recuo de 11%, para US$ 379,1 milhões. No terceiro mês de 2019, o preço médio da saca foi de US$ 127,79, queda de 19% ante março de 2018, quando a média foi de US$ 157,96 por saca.

Em relação a fevereiro deste ano, quando o país enviou 3,542 milhões de sacas ao exterior, o volume registrou queda de 16%. Ainda na variação mensal, o faturamento recuou 18% e o preço mensal ficou 2,69% menor que o patamar visto em fevereiro.

De acordo com o conselho, o arábica representou 83,3% do volume total exportado em março, com 2,4 milhões de sacas embarcadas. O café solúvel contribuiu com 10,9% do volume exportado, 323 mil sacas. O conilon (robusta), por sua vez, representou 5,8% das exportações de café brasileiro em fevereiro, com 173 mil sacas exportadas, expressivo aumento de 125,7% em relação ao mesmo mês do ano passado.

“Os resultados de exportação de café referentes ao mês de março foram muito positivos. O Brasil apresentou boa performance mesmo estando no período de entressafra, com início da colheita do café conilon que acontece em abril/maio no Espírito Santo, Bahia e Rondônia e a colheita do café arábica, em maio/junho nos demais estados e suas devidas regiões”, afirmou o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes.

Em nota, a entidade reafirmou a estimativa de exportação de 40 milhões de sacas até o fechamento do ano cafeeiro.

Cafeicultores buscam tecnologia para reduzir custo em ano de renda incerta

Deixe um Comentário





Mais Notícias