TECNOLOGIA

Sistema de monitoramento protege o caminhoneiro contra acidentes

O Vsafe reduz em até 86% o número de comportamentos de risco nas estradas e emite alertas para motoristas e transportadoras

Divulgação/Veltec

A empresa Veltec, uma das principais fornecedoras de tecnologia embarcada do Brasil, desenvolveu o Vsafe, primeiro sistema nacional totalmente integrado com telemetria e gestão online e processamento em tempo real. Além de evitar e prevenir acidentes, essa integração com a telemetria permite a gestão total da frota, com o mapeamento da velocidade máxima por trechos a partir do histórico das rotas utilizadas pelos veículos da empresa.

De acordo com Dalton Swain Conselvan, diretor geral da Veltec, trata-se de uma evolução na gestão de frotas e motoristas, uma vez que o sistema permite uma visão detalhada desde o momento da ocorrência do evento até a visualização do vídeo gravado da operação com poucos cliques. O Vsafe já está operando em frotas de empresas de grande porte, como a Raízen, Klabin e Ambev.

Esse sistema emite alertas em tempo real ao condutor, e também ao gestor de frota, sobre possíveis situações que o coloquem em perigo. “Essas situações são fadiga, distração, uso de celular, distância perigosa em relação a outros veículos, fumar enquanto dirige e mudança de pista sem acionar o alerta, entre outras”, diz Conselvan.

O sensor de fadiga atua analisando o comportamento do motorista, através de um sistema chamado Driver Status Monitor (DSM). Aliado ao DSM, outro sistema muito importante para o monitoramento do condutor é o Advanced Driver Assistance System (ADAS), que mantém suas câmeras voltadas para a pista.

Dessa forma, se, por exemplo, o motorista não fizer as pausas para descanso estabelecidas por lei, viajando por muitas horas sem parar, quando ele apresentar os primeiros sinais de sonolência, o algoritmo do DSM identificará esse comportamento e emitirá os alertas para que o motorista e o Centro de Controle Operacional (CCO) fiquem cientes dessa situação de risco.

Ao perceber a recorrência dos alertas, o CCO poderá entrar em contato com o condutor para solicitar que ele pare o veículo e encontre um lugar para descansar. Se esse mesmo motorista não respeitar a distância mínima para veículos à frente, trocar de faixa ou até mesmo invadir a pista contrária, por conta da sonolência, é a vez de o ADAS entrar em ação e emitir alertas.

Testes da empresa em situações reais de clientes demonstraram que o uso do Vsafe reduz em até 86% o número de comportamentos de risco nas estradas, ocasionando também a diminuição de acidentes no trânsito. “Nosso sistema também monitora o consumo e as situações onde há desperdícios. Temos cases de clientes que economizam de 6% a 15%. Isso é muito significativo para os empresários. O combustível é a segunda maior despesa das transportadoras, depois dos custos com salários”, explica o diretor.

Pelos cálculos da Veltec, o uso do Vsafe proporciona uma significativa economia, pois uma fatalidade no trânsito pode custar até R$ 1 milhão para a empresa. “Para os próximos anos, nossa expectativa é de crescimento, uma vez que a segurança no trânsito está entre os metas de desenvolvimento da ONU. O órgão tem o objetivo de reduzir pela metade as mortes por acidentes de trânsito. Entendemos que essa é uma questão vital para o Brasil e para os empresários brasileiros também”, conclui o executivo.

Parceria sobre rodas Parceiro MAN

Transportar gado, grãos, apagar incêndio e o que mais eles precisarem. O Canal Rural e a Volkswagen Caminhões e Ônibus se juntaram para apresentar quem são os verdadeiros aliados na lida dos produtores rurais.

Combate ao fogo na cana

Em Ituverava, interior de São Paulo, Adriano Okano produz 400 hectares de cana, 300 de soja e milho e ainda acha espaço para a criação de gado leiteiro. Ele fala da importância do seu caminhão Man no processo produtivo e no combate a incêndios.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


3 comentário em “Sistema de monitoramento protege o caminhoneiro contra acidentes

  1. Pode até ser. Bom está tecnologia mas os parâmetros dela. Que são incompatíveis para nosso Brazil .
    Ex :vejo os colaboradores da AmBev reclamação em relação a esta tecnologia “não pode abrir a boca não pode tirar as mãos do volante não pode ligar o limpador simultaneamente existe trechos que não se pode passar de 40 kH entre outros fatores que pra o desenvolvedor e excelente mas para o funcionário a mão de obra deixa muito a desejar a rota de mapeamento nos trechos onde a velocidade e minina abre precedente para assaltos risco eminente para o material que transportado ”
    Ressalto que está são opiniões relatadas por motoristas. E minha opinião e mera mente construtiva.

  2. Antes de pensarem em construir algo a respeito de transporte, primeiro vá trabalhar no transporte, antes de inventarem algo pra vigiar motorista, senta a bunda na cadeira de um caminhão e vá conhecer a realidade dos motorista, vcs não conhecem nada de transporte, naomte noção da nossa realidade e ficam inventando seus brinquedinhos e dizendo que é pra nossa segurança, vai se fuder, transporte terrestre não é brincadeira não, não é joguinho pra vcs ficarem brincando não, bando de maricas, bunda mole e fresco.

css.php
Assine grátis a melhor newsletter sobre agronegócios do Brasil